Irlanda: Ex-ministro da Justiça denuncia intimidações para Sarah McTernan desistir da Eurovisão 2019


O antigo ministro da Justiça Alan Shatter acusou a Campanha de Solidariedade para com a Palestina na Irlanda (IPSC) de intimidar a cantora Sarah McTernan para desistir do Festival Eurovisão 2019.

Dias depois de terem sido revelados os representantes da Irlanda no Festival Eurovisão 2019, Alan Shatter, antigo ministro da Justiça, acusou a Campanha de Solidariedade para com a Palestina na Irlanda (IPSC) de intimidar Sarah McTernan para desistir do concurso. Segundo o político, a cantora foi intimidada pelas redes sociais pelos ativistas pró-palestinianos para boicotar o evento que será sediado em Telavive: "Olá Sarah. Da maneira como a votação funciona, tens zero hipóteses de ganhar. Mas se boicotares, serás lembrada para sempre" e "Terás todo o respeito da nação irlandesa se desistires agora. Não estragues a tua carreira, antes dela começar" são alguns comentários ainda disponíveis nas redes sociais da cantora.


O político irlandês, conhecido por ser um forte defensor de Israel, garante que a cantora Sarah McTernan não tem qualquer posição política: "Ela é completamente apolítica. (...) É uma mulher muito talentosa que merece todo o nosso apoio" referiu, tecendo duras críticas a quem pressionou a cantora a desistir, "Acho que chocante que as pessoas achem que é melhor intimidá-la e assediá-la a desistir da participação em Telavive. Essas pessoas perdem toda a noção e valores morais".



Estreante em 1965, a Irlanda conta com 52 participações no Festival Eurovisão, sendo o país com maior número de vitórias, 7 (1970, 1980, 1987, 1992/94 e 1996). Fora da Grande Final desde 2013, Ryan O'Shaughnessey conquistou, em Lisboa, o apuramento para a Final com "Together", tema que terminou em 16.º lugar com 136 pontos, 3 oriundos do televoto português.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: IrishTimes / Imagem e Vídeo: Eurovision.tv

Sem comentários