[ÁUDIO] Portugal: Conheça o novo álbum de Salvador Sobral, "Paris, Lisboa"


O primeiro álbum de Salvador Sobral após a vitória no Festival Eurovisão já está disponível. Ouça as doze canções de "Paris, Lisboa".

O novo álbum de Salvador Sobral, vencedor do Festival Eurovisão de 2017, já está disponível. Composto por doze temas, "Paris, Lisboa" conta com a participação de Luísa Sobral e António Zambujo e canções em português, inglês, francês e castelhano. "Mano a Mano", canção que apresentou no Festival Eurovisão 2018, e "Anda Estragar-me Os Planos", tema que Joana Barra Vaz interpretou no Festival da Canção 2018, fazem parte do álbum que já está disponível nas plataformas digitais e nas lojas físicas, e que contará com uma edição em vinil.




 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte e Imagem: Eurovisiontv/ Vídeo: Eurovisiontv

14 comentários:

  1. Anónimo01:46

    Boringggg ..várias sombras de boring.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15:55

      Pobre e entediante é a personalidade de quem tem de recorrer ao inglês até para exprimir uma emoção básica de desagrado... não se percebe bem em relação ao quê. Enfim.

      Eliminar
  2. Anónimo10:00

    Teria maior gosto em ouvir, caso o artista demonstrarasse mais humildade e menos moralismo. Assim sendo, perde o seu talento pela sua personalidade.
    De qualquer das formas desejo sorte.
    De mim não leva bem um “play”.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:10

      Se esta perdendo um grande talento, um participante de Eurovisão não tem obrigação de ser eurofã (nem antes nem depois)

      Eliminar
  3. Anónimo11:22

    Muito bom!

    ResponderEliminar
  4. Anónimo15:45

    Adoro! Muito bom.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo17:44

    Música é sentimento. Salvadorable :)

    ResponderEliminar
  6. Anónimo20:19

    A seguir a Celine Dion, vai ser o único vencedor do ESC a conseguir uma carreira internacional e a pisar palcos que não sejam apenas europarty's.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo11:49

      Não deverá generalizar-se. Toto Cotugno (1990) não participa em "europarties" e tem uma carreira internacional que não se circunscreve à área da ESC. Por exemplo, daqui a semanas vai atuar na Eslováquia, um país com escassa expressão a nível eurovisivo.

      Eliminar
  7. Anónimo21:40

    O álbum está a ser lançado em 13 países, com distribuição da Warner Music: Portugal, Espanha, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Alemanha, Suíça, Polónia, Croácia, França, Itália, Eslovénia, Reino Unido. Muito sucesso é o que se espera e é bem merecido.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo01:34

    Uns valentes furos abaixo do Excuse Me. Falta a qualidade dos instrumentais dos concertos e falta-lhe a voz que ele tinha antes da operação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:28

      Não concordo com a sua opinião. Considero que este disco é mais maduro do que o anterior, em termos de sonoridade e de letras. Quanto à voz, sim, nas faixas que foram gravadas há muito tempo nota-se que ainda estava em recuperação. Felizmente agora a voz está mais próxima da forma total.

      Eliminar
  9. Anónimo00:24

    Adoro o estilo musical e instrumental do sobral, mas sempre achei que o registro e os maneirismos que faz com a voz nao encaixavam e segue sem convencer-me. O rapaz holandes que fez um cover no the voice tinha uma voz perfeita para este estilo de musica e foi perfeito, timbre parecido ao frank sinatra. Adorava que levassemos uma voz desse genero ao esc. Um michael buble portugues, quem sabe. Seguramente que temos muito talento escondido.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo10:33

    Anóninmo da 1:34, não é essa a opinião de críticos profissionais como Nuno Galopim. Já que gosta tanto da Eurovisão, deixo-lhe a recensão dele ao álbum: https://maquinadeescrever.org/2019/04/03/a-arte-de-saber-dar-o-passo-certo-na-hora-certa/?fbclid=IwAR0nY8PjxQgf4OUxmGAwPvLxtjFYEFccYkfpbT1OH0ZhXo5MN4TIEokbWfQ

    ResponderEliminar