[AO VIVO] O Teatro Baltazar Dias, no Funchal, recuou aos "mágicos" anos 70


O Teatro Baltazar Dias, no Funchal, recuou aos anos 70 com um tributo aos cantores portugueses da época. Vânia Fernandes e Fernando Almeida foram algumas das vozes responsáveis e o ESCPORTUGAL marcou presença no evento.

O Teatro Baltazar Dias, no Funchal, recebeu, recentemente, um Tributo aos cantores portugueses dos anos 70, com principal relevo para os cantores madeirenses que se destacaram nessa época. As vozes de Vânia Fernandes (FC/ESC2008), Fernando Almeida (FC2001), Sara Rodrigues e Miguel Pires foram as escolhidas para recordar e prestar homenagem a nomes como Luís Filipe Aguiar (FC1985/86), Sérgio Borges (FC1966/70/86), Tony Amaral, Carlos Paredes, António Calvário (FC/ESC1964), Herman José (FC1983) e Nicolau Breyner (FC1968), entre tantos outros.


E foi com imagens do Festival da Canção de 1970 de Maria Fernanda, apresentadora da edição, a anunciar a participação de Sérgio Borges em defesa de "Onde Vais Rio Que Eu Canto", que a noite começou. Miguel Pires foi o responsável por recriar o tema no palco do Teatro Baltazar Dias, seguindo-se Fernando Almeida com "Hully Gully" do Conjunto Académico João Paulo, grupo liderado por Sérgio Borges. Sem qualquer surpresa, a "nossa" Vânia Fernandes encantou todos os presentes com uma dupla homenagem: a cantora deu voz a "Noites da Madeira" e "Pomba Branca", clássicos de Max e Tony Amaral, respetivamente. A Fernando Almeida coube a versão rock de "Maria Tens a Mania", canção de Max, a quem se juntou Sara Rodrigues para defenderem, em dueto, "Baile dos Ilhéus", tema popular da ilha.

Da canção popular ao jazz e passando do fado à canção de intervenção, sucederam-se os tributos a solo e em dueto aos vários cantores que marcaram os anos 70 com o profissionalismo e brilhantismo a que estamos habituados, levando-nos a viajar pelos clássicos da música portuguesa. Contudo, há a destacar alguns momentos: o solo do guitarrista Pedro Marques em "Verdes Anos", de Carlos Paredes, foi um dos momentos mais apreciados da noite, destacando-se também o "Regresso", canção que Miguel Pires cantou em homenagem a António Calvário.



Um dos momentos humorísticos da noite esteve a cargo de Vânia Fernandes e Miguel Pires. A dupla recriou as icónicas personagens do Senhor Feliz e Senhor Contente celebrizadas por Herman José e Nicolau Breyner, tendo sido responsáveis pela apresentação do Festival da Canção de 1977. Outra das homenagens que mais tocaram os presentes esteve a cargo de Vânia Fernandes: a cantora realçou o papel de lutadora e revolucionária de Maria Guinot na sociedade portuguesa após o 25 de Abril, dando voz a "Silêncio e Tanta Gente", tema que é o seu favorito da história do concurso, conforme referiu.

"Venham Mais Cinco" de Zeca Afonso, "Brinquedo Desfeito" de Luis Filipe Aguiar, "Gostava de vos ver Aqui"  e "Nini dos Meus Quinze Anos" de Paulo de Carvalho foram outros dos temas recordados antes da homenagem ao maestro Vitor Costa, músico e intérprete com uma vasta obra que faleceu recentemente, tendo sido o autor de um dos hinos da Região Autónoma da Madeira. E foi com "E Depois do Adeus" que a noite encerrou, com todos os cantores em palco.


A acompanhar os cantores estiveram os exímios músicos Ricardo Dias (direção de orquestra e baixo), Duarte Andrade (piano), João Freiches (sintetizador), Rodolfo Cró (guitarra), Luís Barreto (bateria) e Pedro Marques, convidado especial da noite e que esteve na guitarra portuguesa. Esta iniciativa partiu de Paulo Ferraz (FC1986) e teve colaboração da Câmara Municipal do Funchal e do Teatro Baltazar Dias.

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: NunoNunes /Imagem: TeatroBaltazarDias/ Vídeo: Youtube

2 comentários:

  1. Anónimo06:38

    Parabens ao texto do Nuno Gomes. Esta muito bom

    ResponderEliminar
  2. Magnífica noite e excelente artigo de Nuno Nunes. Parabéns a todos.

    ResponderEliminar