[ZONA DE DISCOS #80] Calema - "A nossa vez"


Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da Canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. 
Esta semana, a análise recai em "A nossa vez", dos Calema.
O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.


Lançamento: 20 de outubro de 2017
Nota: 5/10
Embora estejam a passar no Festival da Canção um pouco mais despercebidos do que inicialmente se previa, o duo Calema é, por terras lusas, o atual expoente máximo da pop assumidamente pop, com um álbum que, no momento desta análise, se encontra há 69 semanas na tabela de discos mais vendidos no nosso país, sendo 46 dessas semanas passadas no top 10 (!!), com um posição máxima no #3!
Números impressionantes para um álbum pop idealizado, concebido e promovido na era obsessiva pelos números, principalmente pelo número de visualizações. Assim, não é de estranhar que “A nossa vez” seja composto por temas que na sua maioria têm direito a (bons) vídeos oficiais e com números de fazer inveja a algumas grandes estrelas. “A nossa vez” (vídeo) conta com a satisfatória cifra de 68 milhões no youtube. Ferramentas promocionais atuais para uma receita intemporal: sons agradáveis e contemporâneos – apimentados com ritmos calientes - melodias comprazíeis mas sem serem memoráveis, letras de amor e imagem cuidada.
“A nossa vez”, o álbum, é um disco sem grande compromisso e preocupações de perdurar na memória. Soa bem hoje, tal como os discos pop instantâneos do passado soavam bem na altura em que fizeram furor. Receita mais do que vista mas que encontra sempre público, até porque esse – o público - se encontra numa eterna renovação geracional, embora os estádios pop parecem manter um certo padrão.
Com produção pop e ritmos maioritariamente mid-tempo, a oferta dos Calema brinda-nos com momentos prazerosos, tais como “Casa de Madeira”, “A nossa vez” e “Kelê Mbê” - que facilmente poderá ser considerado o melhor momento do álbum. São melodias que ficarão na história? Talvez não e provavelmente estaremos perante um daqueles casos em que o artista se torna mais famoso do que a sua obra. No entanto, não há neste registo nada que envergonhe e nada que nos impeça de descobrir, sem qualquer sentido de “guilty pleasure”, ou dar uma espreitadela à cultura pop nacional dos anos 10’s.
Em relação ao Festival da Canção, são bem-vindos, embora “A dois” pareça comungar do aspecto menos positivo do álbum, não é suficientemente impactante numa primeira audição.
Depois do Festival, os Calema embarcam na sua primeira “Tour Europe”, nos meses de março e maio.

Alinhamento / Vídeos promocionais

Ciúme


Tempo


Casa de madeira (Tema destacado por Carlos Carvalho)


Faz o Verão chegar

A nossa vez

Regras

Vai

Sem control 

Kelê Mbê (Tema destacado por Carlos Carvalho)


100 anos mais


Saudades


A nossa vez (acústico)
Vai (A origem)
Tudo por amor – Versão acústico

A ver: “Calema - A Dois - 1ª Semifinal | Festival da Canção 2019”


Pode ouvir o álbum AQUI.

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIÃO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

Sem comentários