[Olhares sobre o A DAL 2019] Quem representará a Hungria no Festival Eurovisão 2019?


A Hungria escolhe, esta noite, os seus representantes para o Festival Eurovisão 2019 através do A Dal 2019, certame que conta com oito participantes.


Baseado no sucesso dos Olhares sobre o Festival Eurovisão, iniciativa criada em 2009, o ESCPortugal realiza, esta temporada, a terceira edição do Olhares sobre as finais nacionais, em colaboração com o painel do ESCPORTUGAL Regiões. O Olhares sobre as Finais Nacionais chega hoje à Hungria, país que escolhe os seus representantes através do A Dal 2019. Oito candidatos estão na corrida, com o júri e o televoto a serem os responsáveis por eleger os representantes húngaros no Festival Eurovisão 2019 em duas rondas distintas de votação

Conheça, de seguida, os favoritos do painel de comentadores:

Adão Nogueira escolhe Joci Papai e "Az én apám"
Este ano, a Hungria presenteia-nos com mais uma excelente final nacional. Com vários géneros  musicais, desde o rock, rap baladas e quase todas as musicas em húngaro (o que já mostrou ser uma mais valia). O A Dal continua a apostar (e bem) nos sons étnicos e apresenta três propostas que podem representar e bem a Hungria em TelAviv. Acredito que não será fácil a escolha entre Joci Pápai, Gergő Szekér e The Middlentoz. Para mim não foi nada mas Joci Pápai e Az én apám são a minha escolha. Ele tem uma voz única e já mostrou o que é capaz de fazer num palco da Eurovisão.


Cláudio Guerreiro escolhe Vavra Bence  e "Szótlanság"
Esta é uma final onde a língua oficial do país se apresenta em clara maioria, já que apenas uma das canções é interpretada em inglês. Muitos acham a língua húngara pouco melódica, mas confesso que penso precisamente o contrário, visto que consigo gostar bastante de cinco propostas desta final. “Szótlanság”, de Bence Vavra, é um dos exemplos disso: uma canção pop em que o húngaro assenta que nem uma luva. Além disso, temos o bonito timbre do cantor que assim que solta as suas cordas vocais acaba por nos passar a emoção da  canção sem percebermos uma única palavra do que canta.


Fábio Cipriano Ventura escolhe Gergő Szekér e "Madár, repülj!"
Acompanhei a selecção húngara desde o início (3 quartos-finais, 2 semi-finais) e desde o primeiro momento em que a ouvi, Petruska e "Help Me Out Of Here" tornou-se a minha canção favorita. Infelizmente, foi desclassificada e a final nacional húngara perdeu parte do seu encanto. Ainda assim, não posso negar a existência de boas canções ainda em concurso, que concorrem pela oportunidade de ir até Tel Aviv. Contrariamente àquelas que são apontadas como favoritas (que, a meu ver, são canções genéricas e que provavelmente até será uma delas a representar o país), eu escolho outras duas como minhas favoritas: Fatal Error – "Kulcs" e Gergő Szekér – "Madár, repülj!". A primeira, que se tornou uma grower para mim, mantém a tradição húngara do rock e com uma performance brutal que agrada tanto aos olhos. A segunda, de forma oposta, é um registo mais calmo mas doloroso e intenso sobre um episódio trágico na vida do intérprete/compositor. Musicalmente falando, o meu voto recai sobre a última. Espero que o pássaro consiga voar até Israel! Menção honrosa para todas as canções que foram cantadas em húngaro, algo que tristemente começa a ser raro neste mundo eurovisivo.


Hugo Sepúlveda escolhe Gergő Szekér e "Madár, repülj!"
Depois da escolha AWS’ome do ano passado, Hungria apresenta-nos uma selecção, na sua generalidade, mediana. Os retornados Joci Pápai e András Kállay-Saunders (The Middletonz) são dos potenciais vencedores. Respectivamente, Az én apám não chega aos calcanhares de Origo e Roses é um misto sensações. Como um todo, penso que seja a melhor proposta. Como canção, é muito moderna, com bastante energia e ritmo, mas tem partes que a banalizam por completo. Posto isto, quem mais me prende a atenção é Gergő Szekér com Madár, repülj. Não criando uma adoração imediata, é aquela que me intriga mais e “puxa” para ver com atenção. Apesar de Gergő precisar de um coro para estar vocalmente mais seguro, gosto de como a voz dele reforça o traço melancólico da música. complementado com um traço de sonoridade circense. Espero que seja este passarinho a voar até Israel!

João Diogo escolhe Joci Papai e "Az én apám"
Como sempre, a Hungria tem uma das melhores finais nacionais do ano. Se inicialmente a minha favorita era "Roses", as atuações ao vivo fizeram-me mudar de ideias e Joci Papai passou a ser o meu favorito. Uma canção diferente daquela que apresentou na Eurovisão 2017 mas com a mesma qualidade. Espero que se sagre o grande vencedor e volte a dar à Hungria um bom resultado.


Nuno Carrilho escolhe The Middletonz e "Roses"
Se a Hungria estiver com vontades de continuar com a série de bons resultados no Festival Eurovisão, a vitória do A Dal 2019 estará entre Joci Pápai, Gergo Szeker e The Middletonz, sendo que "Roses" é a minha canção favorita. Bem defendida, viciante e com potencial para uma grande atuação, sinto que The Middletonz têm tudo para voltar a pôr a Hungria nos lugares cimeiros. No entanto, e apesar de não ser grande fã da participação de Joci Pápai em 2017, destaco a sua grande canção deste ano também. Se ganhar um dos dois, ficarei feliz.

Aceda, de seguida, aos resultados das votações dos 6 comentadores:

1.º Gergő Szekér – "Madár, repülj!" - 56 pontos
2.º The Middletonz  – "Roses" - 53 pontos
3.º Joci Pápai – "Az én apám" - 49 pontos
4.º Bogi Nagy – "Holnap" - 37 pontos
5.º Vavra Bence  – "Szótlanság" - 37 pontos
6.º Fatal Error – "Kulcs" - 36 pontos
7.º Gergő Oláh – "Hozzád bújnék" - 35 pontos
8.º Acoustic Planet – "Nyári zápor" - 27 pontos



 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

1 comentário:

  1. Há aqui uma que se destaca perfeitamente das restantes.Do meu ponto de vista, Széker é quem deveria voar mais longe.

    ResponderEliminar