Itália: Il Volo e Ultimo venceram as galas do 'Festival di Sanremo 2019'


Il Volo e Ultimo foram os vencedores das primeiras quatro galas do Festival di Sanremo 2019. Mahmood, vencedor do certame, nunca ficou nos três primeiros classificados.

A vitória de Mahmood e "Soldi" no Festival di Sanremo 2019 continua a fazer furor nas redes sociais, com diversos seguidores do formato a tecerem duras críticas ao sistema de votação do certame. Deste modo, a emissora italiana RAI revelou as votações na íntegra das primeiras galas do certame, com Ultimo e Il Volo a dividirem, entre si, as vitórias nas transmissões.

Ultimo e "I tuoi particolari" foram os vencedores da primeira gala do certame, que contou com a participação dos 24 candidatos, com o favoritismo do público e do júri demoscópico, tendo ficado em sexto lugar na votação da imprensa. Il Volo seguiram-se nas preferências, com a vitória no júri demoscópico, enquanto que Mahmood ficou na 8.ª posição, sendo o favorito da imprensa mas um dos menos votados das restantes parcelas de votação.

Na segunda gala, que contou com 12 dos candidatos, os Il Volo triunfaram, com a votação mais alta do televoto e do júri demoscópico, sendo seguidos por Arisa e Loredana Bertè. Por sua vez, na noite seguinte, Ultimo triunfou com a votação máxima do público, seguido de Simone Cristicchi, favorito das restantes parcelas de votação, enquanto Irama encerrou o pódio, colocando Mahmood na quarta posição.

Na quarta noite do Festival di Sanremo 2019, os Il Volo, que subiram ao palco com Alessandro Quarta, foram os mais votados, ficando em 1.º lugar no público e em 21.º na votação do júri de honra. Ultimo, que atuou com Fabrizio Moro, ficou em 2.º lugar, seguido de Simone Cristicchi & Ermal Meta e Loredana Bertè & Irene Grandi, enquanto Mahmood, que atuou com Guè Pequeno, ficou na quinta posição, com a vitória na votação do júri de honra.

No que diz respeito à primeira ronda da Grande Final, Mahmood venceu a votação do júri de honra, terminando em 2.º na imprensa e em 7.º no televoto. Ultimo, favorito do televoto, foi sexto classificado nas restantes votações, enquanto os Il Volo, segundos no televoto, não foram além do 13.º lugar na votação da imprensa e 21.º no júri de honra, apurando-se para a SuperFinal devido à média das galas anteriores. Loredana Bertè, quarta classificada, foi a terceira mais votada da noite, tendo sido a favorita da imprensa.

Por sua vez, na Superfinal, Ultimo liderou as preferências do televoto com 46,50%, seguido de Il Volo (39,40%) e Mahmood (14,10%). Contudo, Mahmood venceu as votações do júri de honra e da imprensa, vencido a votação com 38,90%, seguido de Ultimo (35,60%) e Il Volo (25,50%).

Aceda AQUI aos resultados na íntegra.



 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: RAI /Imagem: Google / Vídeo: Youtube

10 comentários:

  1. Anónimo17:34

    Qual foi fórmula que Sanremo usou para calcular o resultado na final?
    Alguém sabe?
    Dividindo as percentagem do público e júri por dois e depois somando-as não dá a vitória a Mahmood

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo17:41

      Devevser tipo em Portugal. Nao interessa a quantidade porquw devem converter tipo 12, 10, 8,.. Nao e como em Franca e Suecia

      Eliminar
    2. Anónimo17:48

      Se alguém tiver paciência para decifrar este enigma, está aqui afolha do site oficial de Sanremo com as percentagens:

      http://www.rai.it/dl/doc/2019/02/10/1549808790256_Risultati_Televoto_Sanremo_2019.pdf

      Eliminar
    3. Anónimo21:37

      Segundo o resultado expresso na tabela final(pdf) e embora não tenham indicado a percentagem de votação dos júris (apenas indicaram a posição relativa) pelas minhas contas a canção vencedora teve 73,36% no conjunto dos votos dos júris, a segunda teve 20,45% e a terceira 6,19%. O do público foi 20,95%, 48,80% e 30,26%. Total destes dois foi 47,15%, 34,62% e 18,22%. A este valor final ainda se ponderou o resultado anterior da noite só para as três primeiras com o valor de 30,68%, 36,50% e 32,82% originando o valor final de 38,92%, 35,56% e 25,53%.

      Eliminar
    4. Anónimo22:04

      anónimo das 21h37 obrigado pela sua análise, é um anjo, kudos ;)

      Eliminar
  2. Mandy19:46

    Está muito claro que motivações ideológicas do júri determinaram na escolha de Mahmood: um filho de pai árabe representando a Itália numa competição em Israel. A canção (ou o artista) é ruim? Não! No entanto, existiam opções melhores competindo. As vaias do público sanremense não foram à toa: todos perceberam as intenções.
    Infelizmente, alguns países (ou artistas) querem usar a plataforma eurovisiva para levantar tais questões dentro do certame. Tudo bem, isto sempre foi feito, mas chegou a níveis alarmantes este ano. Não faz sentido determinadas pessoas assinarem boicotes ao festival em Israel e, depois, participarem de seletivas só para transformá-lo num palanque contra o país anfitrião.
    Ninguém é obrigado a concordar com as articulações políticas de qualquer país, mas nós precisamos frear este discurso hipócrita que está assombrando a todos. Desculpem a forma como escrevi: eu fico muito aborrecida ao me deparar com situações como esta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:16

      Está muito longe do que aconteceu o ano passado?
      Havia eurofãs a quererem humilhar o Salvador obrigando-o a dar o troféu a uma música fast-food e o conseguiram, a vitória da Netta foi e é uma vitória totalmente política, tanto pela questão israelita, como pelos eurofãs, furiosos com o senhor "music is feeling".
      A mim não me estranha isto acontecer, todos sabíamos o que ia acontecer quando Israel ganhou e até antes da primeira semifinal havia pessoas a escrever tratados sobre o conflito Israelo-Palestino nas secções de comentários. Israel quis ganhar a eurovisão, agora que se desenrasque.
      Como portugueses muitas ofensas tivemos nós que suportar pela falta de ecrãs led.

      Eliminar
    2. Anónimo23:42

      Tem muita ração em desmentir a Mandy, Anónimo das 21:16, a delegação israelita fiz de tudo para ganhar, incluido pagar anuncios no YouTube e Google Adsense e manipular aos eurofãs mediante a imprensa para fazer ficar a Salvador como "o malvado snob que quer destruir o festival e a musica pop" quando ele só diz a sua opinão sobre o tema e agora quase un ano depois os eurofãs estão muito arrepentidos e dizem que Eleni Foureira debeu haver ganhado agora que viram que "Toy", com tudo e os bots que compra para ter visita, nunca foi nem sera um sucesso (até "Amar pelos dois" vendeu mais e isso que não é nada comercial)

      Eliminar
    3. Anónimo01:31

      Onde é que viu que "Amar pelos dois" vendeu mais que "Toy"? Lololol o Toy tem muitos mais views que o Salvador

      Eliminar
    4. Anónimo02:32

      Rita.
      O festival deve ser isento de troca de favores. Que ganhe o melhor: musica,letra os cantores, neste caso primam pelas vozes fabulosas e originais
      Para mim quem venceu foi IL VOLO. Estes jovens vao dar que falar

      Eliminar