ESC2019: MARUV venceu o Vidbir 2019... mas a participação em Telavive ainda não foi confirmada


Maruv venceu o Vidbir 2019 mas a sua participação no Festival Eurovisão 2019 ainda não está confirmada. A cantora terá de assinar o acordo com a UA:PBC, o que poderá estar em risco devido aos concertos... na Rússia.

A escolha da Ucrânia para o Festival Eurovisão 2019 está a causar polémica no país. Depois de vários elementos do Governo apelarem à desclassificação dos candidatos com ligações à Rússia, onde se incluía a vencedora Maruv, o apresentador Serhiy Prytula leu, em direto, uma declaração da emissora estatal UA:PBC: "A STB propõe todos os participantes da final nacional e conduz o programa, mas não tem o direito de aprovar o representante da Ucrânia (...) É com a UA:PBC que o artista escolhido assina o acordo a validar a sua participação no concurso internacional".

No entanto, a gala ficou marcada por um momento entre Jamala e Maruv. A vencedora do Festival Eurovisão 2016, que integra o painel de jurados da competição, questionou a candidata sobre a Crimeia: "A Crimeia é ucraniana ou russa?" questionou a cantora de forma exaltada, algo que motivou duras críticas nas redes sociai, com Maruv a declarar que o território pertencia à Ucrânia: "Alguém pegou numa arma e eu apenas tento espalhar a paz com a música (...) Quero lembrar que o concurso foi criado após a 2.ª Guerra Mundial para que os países se unissem (...) Primeiro de tudo, isto é um concurso de músicas e não uma eleição política" frisou.


Contudo, a agenda da cantora para os próximos meses poderá influenciar o acordo entre as duas partes, com Maruv a contar com quatro concertos na Rússia nos próximos dois meses. "O anúncio oficial do representante da Ucrânia no Festival Eurovisão será feito após a verificação do cumprimento das condições e da assinatura do contrato" frisou a UA:PBC, recusando fazer mais qualquer comentário.



 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Oikotimes/UAPBC/STB /Imagem e Vídeo: UA:PBC

6 comentários:

  1. Anónimo02:53

    Quer represente ou não a Ucrânia, esta é a canção que fará com os eurofãs possam fingir por 3 minutos em Tel Aviv que estão no Finalmente ... mas acho irónico que haja tanto ênfase em dizer que a Eurovisão é sobretudo sobre música ... e este tipo de música surge levantando gritos de histeria e euforia a la Castelo Branco ... negligenciando as contribuições musicais mais sérias a concurso.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo08:51

    Snceramente tambem acho ridiculo. Foram fazer uma pergunta dessas neste tipo de programas? Ela mesmo sendo Ucraniana pode ter outra opção...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo12:38

    Eu não ia gostar de ser representado por uma cantora que gosta de dar concertos em países invasores

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que é que isso tem a ver? Por dar concertos num país não quer dizer que aceite o que ele faz ou que é de acordo com o regime do mesmo... São artistas, naturalmente querem dar o máximo de concertos e divulgar a sua música!
      Que mentalidades meu deus... É por isso que o mundo está onde está...

      Eliminar
    2. Anónimo19:50

      Vocês julgam sem vivência. Nem todo russo é igual ao governo, além do mais a invasão na Criméia é POLÍTICA, vale lembrar também que a população da Criméia prefere fazer parte da Rússia. MARUV tem um reconhecimento do povo russo de forma maravilhosa, acho injusto com os fãs russos um boicote. Fazer show para população russa não é fazer show para Putin. Acorda para a vida, gente. Eu sou brasileiro e tenho VERGONHA do presidente que aqui governa. Nem todo russo apoia Putin e concorda com a anexação da Criméia. Vocês falam que não se deve meter política no festival, mas são os primeiros a apontar o dedo.

      Eliminar
  4. Anónimo15:03

    Quanta idiotice e tacanhez de espírito. E nunca gostam de nada! Mostrem lá o génio que há em vocês! Esta canção, se for mesmo a representante da Ucrânia (tirem lá as politiquices daqui), vai ser TOP 5 na final do ESC!

    ResponderEliminar