Ermal Meta apoia Mahmood: "A música não tem passaportes"


Ermal Meta, representante italiano em Lisboa, defendeu Mahmood depois da polémica em torno da sua vitória no Festival di Sanremo 2019: "Para quem diz que a vitória foi política: por favor, não coloquem m***a numa coisa tão bonita".


Vencedor do Festival di Sanremo 2018 ao lado de Fabrizio Moro, o cantor Ermal Meta saiu em defesa de Mahmood, cantor que venceu o Festival di Sanremo 2019 e conquistou o direito de representar Itália no Festival Eurovisão 2019. O cantor, nascido na Albânia, criticou quem acusa a RAI de ter manipulado a vitória de Mahmood para parecer "uma vitória política": "A todos os que dizem que a vitória de Mahmood é uma vitória política: por favor, não coloquem merda numa coisa tão bonita. A música não tem passaportes, mas se você se importar com isto, pode ver o passaporte italiano de Alessandro" escreveu nas redes sociais, respondendo às críticas que Mahmood tem recebido por ser descendente de um emigrante egípcio. 

Com várias dezenas de seguidores a responderam ao seu tweet, o cantor respondeu a alguns comentários, garantindo que Mahmood tem todo o mérito na vitória: "Para todos aqueles que não entenderam. Em momento algum disse que ganhou a melhor canção... porque não há melhor canção. É tudo baseado em gostos pessoais (...) Só estou a dizer que é justo honrar o vencedor. Honremos os vencedores".





Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte/Imagem: EurofestivalNews / Vídeo: RAI

1 comentário:

  1. Anónimo08:11

    Nao percebo a polémica. O metodo de votação nao foi sempre este?

    ResponderEliminar