[ZONA DE DISCOS #73] Brainstorm: “About The Boy Who Plays The Tin Drum”

Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da Canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. 
Esta semana, a análise recai no novo álbum dos Brainstorm.
O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.


Lançamento: 25 de maio de 2018
Nota: 8,5/10
Abriram da melhor maneira possível a aventura letã na Eurovisão no já distante ano de 2000. Dos 3 minutos que os levou ao 3º lugar, saltaram imediatamente para o “World Beat” da CNN, lançaram o primeiro álbum em inglês, “Among the Suns", e nunca mais pararam.
18 anos depois, lançam o 8º em inglês, “About the boy who plays the tin drum”, esgotam concertos nos bálticos e na Rússia, atuando, também, no ano que acabou de terminar, na Bielorrússia, Chipre, Reino Unido e Irlanda. À semelhança dos trabalhos anteriores, em “About the boy who plays the tin drums” vemos os Brainstorm – ou Prāta Vētra – fazendo o seu trabalhando multiplicado por 3 e lançam um álbum para o mercado internacional, o que está aqui em análise, para além da versão russa – “Wonderful day”, sim o título é em inglês – e, obviamente, a versão em letão, “Par to zēnu, kas sit skārda bungas”.
O que mantém o trabalho dos Brainstorm digno de registo é a frescura e o entusiasmo criativo da banda fazendo com que cada álbum pareça uma nova banda a pedir um lugar ao sol, com o que isto tem de positivo. O novo álbum veste a pele de uma banda orgânica que não se inibe dos aparatos pop – “Nothing lasts forever” – disco – “Closer to you”, fazendo lembrar uns The Cure nas suas “happy phases”, especialmente em “Something to memorize”.
Adicionando uma textura futurista, o vídeo de “Wonderful Day” teve segmentos filmados a partir da Estação Espacial Internacional, com imagens de Sergey Ryazanskiy, da Roscosmos.
De um modo geral, o álbum faz um corte com a sonoridade indie mais destemida que tinha sido a tónica nos últimos registos de longa-duração, colocando desta vez a ênfase no pop, pop-rock. Assim, sem grandes segredos e com ajuda de Povel Olson e David Larsson na produção e Anton Corbin na fotografia (sim, Anton Corbin!) e com pelo menos um vídeo que merece o prémio para “vídeo do ano” – “Nothing lasts forever” -, “About the boy who plays the tin drum” é música bem feita, pop requintada e elegante mas sem grandes preocupações intelectuais, e nem assim tem sempre de ser para termos um bom disco.
Para os aficionados de idiomas mais exóticos, ou pelo menos não tão comuns de ouvirmos em canções, Renars Kaupers, o vocalista, oferece-nos um tema interpretado em russo, um dueto com Marina Kravets - "Kak ya iskal tebya - e um cantado na sua língua-mãe, o letão – “Pirmais Latvietis Uz Mēness”.
Os Brainstorm são frequentemente apresentados como o grande nome do rock, pop-rock báltico. Com o novo disco irão reforçar este estatuto por muito mais tempo. Imperdível!

Temas promocionais (Não por ordem de lançamento)
" Nothing lasts forever”


“Wonderful day”


“Closer to you”


"Pirmais latvietis uz Mēness”


“Как я искал тебя"


“My mind’s so lost (on you)


Tema destacado por Carlos Carvalho: “Nothing lasts forever”, aqui na versão letã.


Alinhamento
Nothing last forever
Something to memorize
For my girl
For my friend
Wonderful day
Как я искал тебя
My mind’s so lost (on you)
Always gonna let you down
Closer to you
Pirmais Latvietis Uz Mēness

Pode ouvir o disco AQUI.

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIÃO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

Sem comentários