[PERSONALIDADE] Recorde connosco as personalidades estrangeiras mais marcantes de 2018


Seis personalidades disputam o título de Personalidade Estrangeira do Ano 2018 na votação do ESCPortugal. Conheça melhor os seis selecionados e saiba como votar nos seus favoritos.

Apesar do título de Personalidade Estrangeira do Ano ter sido criado no ano passado, tendo Francesco Gabbani sido o vencedor, todos os anteriores vencedores do título Personalidade do Ano foram estrangeiros: Anouk (2013), Conchita Wurst (2014), Loic Nottet (2015) e Jamala (2016). Este ano, seis candidatos, escolhidos pela equipa do ESCPortugal, estão na corrida, sendo que apenas um poderá arrecadar a distinção.


Conheça melhor as seis personalidades na disputa e saiba como votar AQUI:

Vencedor da edição de 2009 com uma das maiores marcas de sempre do certame, Alexander Rybak foi um dos primeiros artistas internacionais a reagir à vitória de Salvador Sobral em Kiev com uma versão de "Amar Pelos Dois". Meses depois, o cantor foi anunciado como participante no Melodi Grand Prix 2018, tendo adquirido o direito de representar a Noruega em Lisboa. Apesar do triunfo na semifinal, "That's How You Write a Song" fez história... ao ficar em 15.º lugar na Grande Final.


Depois de falhar o acesso ao certame pela Grécia, Eleni Foureira foi escolhida internamente pela emissora cipriota para representar o país no Festival Eurovisão em Lisboa. Depois de uma pré-temporada morna"Fuego" tornou-se uma das favoritas ao triunfo com o começo dos ensaios, tendo terminado em 2.º lugar na Grande Final. Contudo, a canção tornou-se um dos maiores sucessos do ano, com a cantora a desdobrar-se em concertos em vários países europeus. Para a memória eurovisiva ficam também as diversas imagens da comitiva cipriota na cidade portuguesa.


Escolhida para representar a Rússia em 2017 com Flame Is Burning, Julia Samoylova foi impedida de entrar em território ucraniano depois de ter atuado na Crimeia, algo que viola a Constituição da Ucrânia. Apesar de ter manifestado o desejo de viajar para Kiev, mesmo com a possibilidade de ser detida, a emissora russa Channel1 abandonou a competição depois de semanas de incertezas. Contudo, a promessa foi cumprida e Julia Samoylova representou o país em Lisboa com I Won't Break, tornando-se a primeira candidatura russa a falhar o acesso para a Grande Final do concurso.


Vencedora da primeira edição do Festival Eurovisão e com duas outras participações, bem como várias tentativas de regressar ao evento, Lys Assia era, acima de tudo, uma fervorosa seguidora do certame. A cantora deixou-nos no final de março, com 94 anos de idade, deixando uma profunda tristeza no mundo eurovisivo. Em maio, na Grande Final do concurso, Daniela Ruah, uma das apresentadoras do concurso, recordou a carreira e a estima de Lys Assia pelo evento... mas acreditamos que a verdadeira homenagem decorrerá nos próximos anos.


Com uma vitória difícil na versão original de Rising Star, onde chegou à Final do concurso através de um wildcard, Netta Barzilai tornou-se na representante israelita em Lisboa com "Toy", tema que rapidamente se tornou no grande favorito ao triunfo. Com milhões de visualizações, a candidatura triunfou em Lisboa, com a preferência do público. Contudo, o sucesso de "Toy", canção que foi alvo de sátira em vários países, arrefeceu rapidamente e a cantora marcou presença em poucos eventos após o triunfo. 


Depois da participação eurovisiva na comitiva da Bélgica em 2015 e 2017, Surie adquiriu o direito de representar o Reino Unido em Lisboa com "Storm". Fora das favoritas à vitórias, a cantora começou, desde cedo, a destacar-se entre a comunidade eurovisiva com uma grande proximidade com todos os seguidores do evento. Em Amesterdão, ocupou o lugar da cantora francesa, que por motivos de saúde não podia subir ao palco, dando voz a uma versão em inglês de "Mercy", sendo que, semanas depois, seria alvo de uma invasão de palco no Festival Eurovisão. Contudo, apesar de lhe ter sido retirado o microfone durante alguns segundos, Surie continuou a atuação, levando ao rubro o Parque das Nações, recusando voltar a subir ao palco.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte/Imagem: ESCPortugal / Vídeo: Youtube

Sem comentários