[ESPECIAL] Curiosidades sobre o Festival Eurovisão Júnior 2018


O Festival Eurovisão Júnior 2018 decorreu, ontem, em Minsk, terminando com a vitória da Polónia. França e Austrália também conquistaram os seus melhores resultados... enquanto que sete países alcançaram (ou igualaram) as suas piores marcas. Conheça algumas das curiosidades do evento de ontem.



Em 16 anos de competição, Minsk tornou-se a segunda cidade a receber o Festival Eurovisão Júnior em duas ocasiões distintas, sendo que a Minsk Arena é a primeira arena a receber duas edições do concurso. Além disso, a Bielorrússia é o terceiro país a albergar o concurso por duas ocasiões (depois da Ucrânia e de Malta).


Com as estreias de Cazaquistão e País de Gales e o regresso de Azerbaijão, França e Israel, a edição de 2018 do certame infanto-juvenil tornou-se a maior de sempre com 20 países a concurso, destronando a marca recorde (19) que havia sido alcançada em 2004.


O regresso de França ao concurso entrou para a história como o maior interregno de participações de um país: França apenas havia participado em 2004, regressando ao final de 14 anos. O antigo recorde era detido pela Polónia, participante em 2003 e 2004, e que regressou em 2016.


Pela primeira vez, Portugal não atribuiu qualquer pontuação ao país vencedor: a Rússia recebeu os 10 pontos de Portugal em 2006 e os 12 pontos em 2017, enquanto que a Bielorrússia também recebeu a pontuação máxima portuguesa em 2007. Por sua vez, este ano, a Polónia ficou de fora dos pontuados de Portugal, terminando em 14.º lugar nas preferências do júri português.


Com o 8.º lugar de 2017 como melhor resultado no certame, a Polónia conquistou o seu melhor resultado no Festival Eurovisão Júnior 2018 com a vitória de Roksana Węgiel, tornando-se o 11.º país vencedor do concurso.

Com a vitória da canção bilingue "Anyone I Want to Be", defendida em polaco e em inglês, o idioma inglês alcança o primeiro lugar da tabela classificativa das línguas no concurso. O russo, utilizado em 2005, 2006, 2007 e 2017, lidera agora com o inglês, usado em 2013, 2015, 2017 e 2018.


França, segunda classificada em Minsk, também alcançou o seu melhor resultado no concurso, depois de ter sido 6.º classificada em 2004. Também a Austrália repetiu o melhor resultado alcançado, tendo terminado em 3.º lugar pelo segundo ano consecutivo.


Por outro lado, 7 dos 20 países participantes alcançaram (ou igualaram) o seu pior resultado de sempre na edição: Portugal (16.º-18.º), Albânia (13.º-17.º), Rússia (9.º-10.º), Azerbaijão (11.º-16.º), Irlanda (15.º-15.º), Sérvia (17.º-19.º) e Arménia (8.º-9.º).

Os dois países estreantes tiveram destinos bastante diferentes: o Cazaquistão alcançou o 6.º lugar na geral, enquanto País de Gales ficou em 20.º (e último) lugar na classificação final.


Portugal e País de Gales ficaram a zeros na votação dos 20 júris nacionais, sendo a primeira vez na história do concurso que um país ficou sem qualquer votação depois de uma ronda de votação com todos os país participantes.

As mulheres continuam a dominar as vitórias no Festival Eurovisão Júnior: Roksana Węgiel é a 9.ª mulher a solo a triunfar, sendo que apenas 5 rapazes conseguiram o triunfo no concurso (o último em 2014).


A Arménia e o Azerbaijão continuam a evitar-se na votação: todos os elementos do júri da Arménia e do Azerbaijão colocaram o outro país na última posição no Festival Eurovisão Júnior 2018, repetindo o que havia acontecido no Festival Eurovisão nos últimos anos. Também em 2012 e 2013, os dois países evitaram-se na votação.


Por outro lado, a Rússia atribuiu 3 pontos à Ucrânia, com 4 dos 5 jurados a colocarem a canção ucraniana nas dez mais votadas, mas a Ucrânia não pontuou a Rússia, com 2 jurados a colocarem a canção russa na última posição.


Com o resultado do Cazaquistão, Portugal desceu para 37.º lugar na tabela classificativa do JESC entre 39 países. O melhor resultado português é o 14.º, alcançado em 2006 e 2017, sendo apenas superior ao 16.º da Suíça e ao 20.º do País de Gales.

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL/Imagem/Vídeo: JESC

4 comentários:

  1. Anónimo19:02

    Só uma nota, até a pouco tempo nas rondas de votações todas as canções já começavam com 12 pontos, não sei se pode ter influência no que disseram no que toca a Portugal e Gales serem os únicos a não terem recebido nenhum ponto em toda a história :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim. Tivemos isto em conta: mesmo com os 12 pontos automáticos, todos os países foram pontuados por, pelo menos, um país nessas edições.

      Eliminar
  2. Anónimo19:06

    quem fazia parte do juri português? quem a RTP escolhe come experts da musica nestes concursos europeus nunca tem os mesmos gostos no que o resto da Europa gosta...e por isso que os Portugueses nunca tem muito sucesso nestes programas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:52

      Ja li por aí não sei se e verdade mas fizeram parte a Daniela Varela 2009, a Mariana Venâncio Jesc 2017

      Eliminar