[ZONA DE DISCOS #56] Sergey Lazarev – “The One”

Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da Canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. Hoje o destaque vai para novo álbum de Sergey Lazarev, "The One".
O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.



Lançamento: 01 de junho de 2018
Nota: 6/10



Alsou, Mumiy Troll e Dima Bilan já tentaram e não se pode dizer que tenham sido extremamente bem-sucedidos. Agora é a vez de Sergey Lazarev, depois da (primeira) aventura eurovisiva, dar um passo assumido rumo à aspiração de uma carreira verdadeiramente internacional, longe dos enormes radares geográficos da mãe russa, o mesmo é dizer, Sergey Lazarev apresenta um álbum cantado em inglês, álbum esse que foi lançado no passado dia 01 de abril, intitulado “The One”, recuperando alguns ares do ainda fresco “В эпицентре / V Epitsentre” e não esquecendo “You are the only one”, o tema (e atuação) que o imortalizou na comunidade eurovisiva há já dois anos e meio.

De um modo geral, “The One” revela as potencialidades e fragilidades de um disco pop. Potencialidades no sentido em que, de facto, numa primeira audição, o disco parece-nos surpreendentemente forte, mas no reverso da medalha não há qualquer âmago para além do óbvio,  nem subtileza. Aliás, o disco é demasiadamente direto, como se pode facilmente comprovar pelos títulos de algumas canções, tais como “Eat you up” (#2) e “Lucky Stranger”. (#6).

“The One” é o tipo de álbum talhado para que, sem sequer tentarmos, memorizamos o refrão à primeira, registando-o automaticamente no nosso consciente.

“The one” poderá ter um prazo de validade bastante curto, mas é um terreno musical bastante válido, ou melhor, tão válido quanto qualquer outro, embora cientes de que está desprotegido para críticos pseudo-intelectuais e apresenta-se como potência máxima para se transformar num adorado-odiado “guilty pleasure”.

É um disco com um alvo e missão bem definidos, alcançar as massas e fazer mossa no menor tempo possível. Quando enjoar, quando despertar a sensação de muito antigo – um ano no máximo - não há problema, haverá outro disco a caminho que irá funcionar como substituto.

Posto isto e colocando o novo disco de Sergey Lazarev em perspetiva com os padrões da pop internacional atual, “The One” merece destaque, mesmo no meio de toda a sua previsibilidade, desde a obrigatória balada num disco pop, a balada básica que soa bem numa primeira audição, “Yesterday” (#8), a temas que soam desnecessariamente a Take That do início dos anos 90 – com a devida actualização sónica – como são os casos de “You put out the fire” (#1) e “Lucky Stranger” (#6).

Do lado aditivo – sem qualquer complexo de culpa – destacamos a veraneia “Deep blue” (#4) e, aquele que poderá facilmente ser indicado como o melhor tema do disco, “On the other side” (#5).

Para o público eurovisivo, o facto de “You are the only one” parecer o tema mais forte, poderá funcionar como desvantagem, principalmente para todos aqueles que não se dão ao trabalho de desfrutar um álbum na íntegra.

Não é este disco que vai tornar Sergey numa estrela planetária, mas parece-nos que Lazarev não irá ficar por aqui….


Tema recuperado do último álbum russo
Lucky Stranger


Temas destacados por Carlos Carvalho: “Deep Blue” e “On the Other Side”





Alinhamento
You put out the fire
Eat you up
Going under
Deep bue
On the other side
Freaky tonight
Lucky stranger
Yesterday
You are the only one
Flying
Not worthy anymore
Stande by me (ft. Dj Miller)


Pode ouvir o disco aqui.

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIÃO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

Sem comentários