Portugal: Alma Nuestra, com Salvador Sobral, anuncia disco para 2019


O projeto Alma Nuestra, composto por Victor Zamora, Nelson Cascais, André Sousa Machado e Salvador Sobral, lançará o primeiro disco em 2019.

Antes do concerto na Praça de Giraldo, em Évora, integrado no Artes à Rua, o projeto Alma Nuestra, que conta com o vencedor do Festival Eurovisão 2017, Salvador Sobral, esteve à conversa com o Infocul, revelando alguns pormenores sobre o projeto que "apresenta música latina dos anos 20, 30 e 40". 

"Este projecto surge em 2016 e tem dois lados, por um lado estou eu, que adoro música da América latina, que me conheci por causa do Caetano Veloso, conheci pelo Fina Estampa do Caetano Veloso, comecei a interessar-me por boleros, a partir do disco comecei a ouvir outras pessoas", começa por explicar Salvador Sobral, integrante do grupo ao lado de Victor Zamora (piano), Nelson Cascais (contrabaixo) e André Sousa Machado (bateria), acrescentando "por outro lado está o Victor, que é cubano e que depois decidiu vir para Portugal trabalhar, e depois o ponto essencial é o dia em que nos conhecemos bem, o dia em que nos conhecemos no Hot Club, ele é essencialmente um pianista de Jazz e eu ouviu tocar, tem uma técnica brutal, uma sensibilidade muito importante, e pronto é cubano e tem a cena no sangue”, até que um “dia combinámos mesmo fazer algo, víamo-nos sempre na Fábrica, porque a Fábrica do braço de Prata é o sitio onde nascem todos os projectos".

Para Victor Zamora, a vitória de Salvador Sobral não trouxe nada de positivo nem negativo ao projeto: "“este projecto nasceu com o Salvador antes de ele ganhar o Festival da Canção e as sensações são exactamente as mesmas (...) agora talvez seja mais fácil apresentarmos o nosso trabalho". Por outro lado, André Sousa Machado revelou que "viemos a viagem para cá a falar sobre isso, sobre a necessidade de marcarmos datas, gravarmos temas do repertório que já temos e vamos falar, aproveitando este espectáculo, para pormos isso em prática tão breve quanto possível", afirmando que "seguramente" haverá disco em 2019.

"Logo no inicio do espectáculo eu digo que vamos apresentar música dos anos 20, 30, 40 a América Latina(…) o ‘Amar pelos dois’ foi escrito em Portugal, no século XXI, portanto não vamos tocar. Caso alguém queira ouvir pode ir ouvir para casa no Spotify. E então aí já ninguém vai pedir porque eu disse aquilo" afirmou, por fim, Salvador Sobral, deixando de parte a possibilidade de integrar "Amar Pelos Dois" no alinhamento do projeto Alma Nuestra.

Aceda AQUI à entrevista na íntegra.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Infocul /Imagem: CMEvora / Vídeo: Youtube

1 comentário:

  1. Anónimo00:15

    Adoro música latina do princípio de século, estou muito curioso para conhecer este projeto do Salvador

    ResponderEliminar