ESC2019: Mónaco continua fora do Festival Eurovisão em 2019


A emissora estatal do Mónaco confirmou, esta manhã, que não estará representada no Festival Eurovisão 2019. A última participação do país aconteceu em 2006.



A emissora estatal do principado do Mónaco anunciou, esta manhã, que não fará parte da lista de participantes da próxima edição do Festival Eurovisão da Canção, que acontecerá em Israel. A Telé Monte Carlo esteve fora da competição durante 24 anos, entre 1980 e 2004, quando  decidiu regressar ao certame por três edições. Nessa altura, a emissora justificou a retirada por não concordar com o sistema de votação, tendo referido que "o voto político faz com que o Mónaco não tenha qualquer hipótese de apuramento". Nos últimos anos a ausência tem sido justificada devido à falta de apoios financeiros.

Sem cidade anfitriã nem datas oficiais, o Festival Eurovisão 2019 conta, atualmente, com 23 países provisoriamente confirmados: Alemanha, Azerbaijão, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Estónia, Finlândia, França, Letónia, Lituânia, Irlanda, Israel, Malta, Noruega, Polónia, República Checa, São Marino, Sérvia, Suécia, Suíça e Ucrânia já confirmaram presença. Por outro lado, Andorra, Bósnia-Herzegovina, Eslováquia, Luxemburgo, Mónaco e Turquia confirmaram que não estarão a concurso em Israel, apesar de terem participado anteriormente no evento.

O Mónaco estreou-se na Eurovisão em 1959, tendo participado por 24 ocasiões entre 1959-1979 e 2004-2006. No entanto, o pequeno principado ficou por dezasseis ocasiões no top 10 da competição, tendo vencido em 1971 com a cantora Séverine e o tema Un banc, un arbre, une rue. A última participação do Mónaco esteve a cargo de Séverine Ferrer e o tema La Coco-Dance, que no palco de Atenas não foi além do 21.º lugar com 14 pontos na semifinal.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCToday / Imagem e Vídeo: eurovision.tv

2 comentários:

  1. Anónimo16:51

    E eu vou perguntar sempre ... para que insistir com os países que realmente não querem participar, e andam há anos a dizer isso? O que falha nas nossas cabeças que se recusa a compreender uma mensagem direta e clara?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:12

      Mas foi das "nossas" cabeças que proveio a insistência? A EBU questiona regularmente as estações de televisão nela filiadas sobre o interesse em transmitir, organizar, financiar uma série de eventos. É natural que nesta altura do ano as questione já sobre o ESC. Umas confirmam a participação outras recusam, outras analisam-na ainda. Como, em termos de ESC, há pouco a dizer em agosto, os "sites" dedicados ao tema noticiam aquilo de que vão tendo conhecimento, por repetitivo que às vezes possa ser…

      Eliminar