JESC2018: Regras não foram aplicadas para permitir participação de Israel

As regras do Junior Eurovision Song Contest diziam que apenas 18 países podiam participar mas a inscrição de Israel foi aceite na mesma.


Israel foi o último país a confirmar a sua participação no Festival Eurovisão da Canção Júnior de 2018. A informação foi avançada pela BTRC, emissora pública bielorrussa, responsável pela organização da edição deste ano do concurso infantil. Segundo as regras do concurso, apenas 18 países poderiam participar, mas estas não foram aplicadas para permitir que Israel também pudesse entrar na competição. 

Este será o 2.º ano consecutivo em que o vencedor da Eurovisão volta a participar na Eurovisão Júnior. Israel segue assim os passos de Portugal. Pode confirmar todos os países inscritos no JESC 2018 AQUI.

 Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Eurovoix /Imagem: JuniorEurovision.tv

7 comentários:

  1. Por mim Israel não participa no ESC nem JESC.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:12

      Então, ainda bem que os brasileiros não mandam na Eurovisão

      Eliminar
    2. Eu não mando em nada, mas Austrália e Israel não são parte da Europa. É a verdade.

      Eliminar
    3. Bobby22:03

      Jefferson, peço-te uma resposta honesta: Se o Brasil for convidado a participar, também serás contra a participação do teu país no ESC?

      Eliminar
    4. Anónimo22:13

      O anónimo deve estar a confundir a EBU com o Parlamento Europeu.
      A EBU não é uma organização democrática, os portugueses não têm qualquer poder nas decisões tomadas pela organização da Eurovisão e a RTP não representa a vontade ou opiniões dos portugueses

      Eliminar
    5. Prefiro as musicas da Europa mesmo, não queria o Brasil no ESC, mas seria bom só para transmitir o evento. mas fora isto, não. Mas atualmente o nível da competição está uma vergonha! Eu acompanho por causa das boas musicas que ficam na SF e para conhecer novos artistas.

      Eliminar
  2. Anónimo13:10

    As regras também não foram aplicadas na ESC deste ano para favorecer Israel.
    Há a questão de a emissora na altura não cumprir os requisitos e depois há o facto de a canção Toy ter palavras de cariz publicitário (Pikachu e Barbie), algo proibido segundo o regulamento.
    Ainda me lembro que em 2016 houve aquele problema com a Austrália por causa das palavras "face time" (e a música não sofreu alterações porque o trademark da Apple é "FaceTime" e não "face time" como foi apresentado na letra).

    ResponderEliminar