[ESPECIAL] As maiores diferenças do júri e do televoto nas semifinais do Festival Eurovisão 2018


37 países disputaram, este ano, as semifinais do Festival Eurovisão 2018, sendo que o júri e o televoto nem sempre estiveram de acordo com a classificação. Descubra quais foram os países que mais opiniões dividiram.


37 países disputaram as duas semifinais do Festival Eurovisão 2018, sendo que apenas 20, dez de cada gala, conquistaram o apuramento para a Grande Final. A votação esteve a cargo do júri e do televoto, em iguais percentagens, sendo que, excepto raras excepções, as duas vertentes da votação não estiveram de acordo... Viaje connosco nos resultados das semifinais e descubra as maiores discrepâncias entre as duas votações:

Júri e Televoto em concordância em 7 países
De entre os 37 países semifinalistas, o júri e o televoto apenas concordaram em pleno em 7 dos candidatos, atribuindo-lhe as mesmas classificações. A Islândia e a ARJ Macedónia ocuparam os lugares mais baixos da primeira semifinal terminando em 19.º e 18.º, respetivamente, nas duas votações, enquanto a Arménia e o Azerbaijão também receberam classificações iguais: Aisel foi 12.ª classificada no júri e no televoto, terminando em 11.º lugar na semifinal, enquanto Sevak Khanagyan foi 14.ª nas votações e terminou em 15.º lugar na geral. Por outro lado, na segunda semifinal, houve consenso em três candidatos: São Marino foi 16.º nas votações e terminou em 17.º lugar (apenas à frente da Geórgia), Montenegro recolheu o 14.º posto nas duas classificações, terminando em 16.º, enquanto a Eslovénia, a única finalista a recolher consenso, foi 9.ª classificada no júri e no televoto, conquistando o apuramento na 8.ª posição.


Uma posição de diferença em dois países
Em 2 dos 37 países, o júri e o televoto estiveram em desacordo por apenas uma posição. Os dois casos aconteceram na segunda semifinal, dizendo respeito ao vencedor e ao último classificado da gala. A Noruega ficou em 2.º lugar no júri e em 3.º no televoto (curiosamente, o país conquistou 133 pontos em ambas as votações), terminando em 1.º lugar na semifinal, enquanto a Geórgia ficou em último na votação do júri (18.º), tendo ocupado o 17.º lugar no televoto, apenas à frente de Malta.


Diferença de duas posições na Lituânia e na Irlanda
Dois dos países "avaliados" nas semifinais tiveram uma diferença de duas posições na classificação do júri e do televoto. A Irlanda foi sexta classificada no televoto e oitava no júri nacional, terminando a primeira semifinal no sexto lugar, mas o caso da Lituânia foi bem mais... dramático: a canção defendida por Ieva Zasimauskaitė terminou em 9.º lugar no televoto e em 11.º lugar no júri, mas no fim das contas conquistou o apuramento no 9.º posto da semifinal 1.


Quatro países com diferenças de três posições
Vencedor da primeira semifinal, Israel não reuniu consenso na votação: Netta Barzilai e "Toy" venceram a votação do júri, mas não foram além do 4.º lugar no televoto, tendo uma diferença de três posições entre as duas votações. O mesmo aconteceu com a Áustria e República Checa: Cesár Sampson ficou em 4.º lugar, fruto do 2.º do júri e do 5.º no televoto, enquanto Mikolas Josef ficou em 3.º lugar com votação inversa, 5.º no júri e 2.º no televoto. Na segunda semifinal, o apuramento da Sérvia também não foi unânime: o país passou em 9.º lugar para a Final, tendo sido o 8.º classificado no televoto e o 11.º no júri.



Apesar das quatro posições de diferença, as votações estiveram de acordo
Cinco países tiveram quatro posições de diferença entre as duas votações na semifinal do Festival Eurovisão. Contudo, nenhuma delas esteve em desacordo sobre o futuro da candidatura no concurso. A Bielorrússia e a Croácia, 16.º e 17.º classificado, respetivamente, na semifinal 1 andaram "de mão dada" nas votações: no televoto, Alekseev arrecadou o 13.º lugar, enquanto Franka apenas conquistou o 17.º posto, sendo que, na votação do júri, a ordem inverteu com o candidato bielorrusso a cair para o 17.º lugar e a cantora croata a terminar em 13.º. Ainda na semifinal 1, a Bulgária (7.ª) ficou em 4.º no júri e 8.º no televoto, enquanto a Estónia (5.º) arrecadou o bronze no televoto e o sétimo lugar no júri. Na segunda semifinal, a Austrália, quarta classificada, também não foi consensual nas votações, com o terceiro lugar no júri e o sétimo no público.



Cinco lugares de diferença decidiram 3 apuramentos e 2 vitórias
De entre as duas semifinais, seis países foram classificados pelo júri e pelo televoto com cinco lugares de diferença, sendo que a Moldávia (terceira classificada, com o 2.º lugar no público e o 7.º no júri) foi o único país que menos sofreu com essa diferença. Na semifinal 1, a Suíça, 13.ª classificada, foi eliminada devido ao 15.º lugar no televoto, tendo em conta que foi 10.ª classificada no júri, enquanto Chipre, vice-campeã da eliminatória, venceu o televoto, mas não foi além do 7.º lugar na votação do júri.  Por sua vez, na segunda semifinal, dois dos países eliminados estiveram "perto" do apuramento: a Roménia (11.ª) foi 8.ª no júri, mas foi eliminada com o voto do público (13.ª), enquanto que a Polónia (14.º) ficou em 10.º no televoto, mas não foi além do 15.º no júri. A Suécia, segunda classificada na semifinal, também falhou o triunfo na eliminatória devido ao 6.º lugar no televoto, tendo sido a candidatura mais votada do júri.


Analisemos agora, em pormenor, as 11 maiores diferenças entre o público e o júri nas semifinais:

11.º Grécia - 6 lugares de diferença
Representada por Yianna Terzi e "Oniro mou", a Grécia falhou o apuramento para a Grande Final ao terminar no 14.º lugar da semifinal 1. No televoto, a candidatura grega conseguiu o 10.º lugar (com os 12 pontos de Chipre e presença no top3 das preferências da Albânia, Arménia e Bulgária), enquanto que na votação do júri, Yianna não foi além do 16.º lugar com 28 pontos, sendo que 18 foram oriundos do Azerbaijão (10) e Chipre (8).


10.º Rússia - 6 lugares de diferença
Fora da Final pela primeira vez na história, com Julia Samoylova a terminar em 15.º lugar na semifinal com "I Won't Break", a Rússia também dividiu opiniões nas duas votações. No televoto, a candidatura russa alcançou o 11.º lugar com 51 pontos, tendo sido a canção mais votada na Letónia e a terceira na Moldávia e Montenegro, enquanto que, no júris nacionais, a Rússia ocupou o 17.º (e penúltimo lugar) com apenas 14 pontos: apenas a Moldávia (7), Noruega (4) e França (3) votaram na prestação de Julia Samoylova.


9.º Ucrânia - 6 lugares de diferença
Sexto classificado na semifinal, "Under the ladder", defendido por Melovin, não reuniu total consenso entre as duas votações. Apesar da margem de 20 pontos sobre o 11.º classificado, a Ucrânia não foi além do último lugar de apuramento na votação do júri, enquanto que, no televoto, Melovin ficou no 4.º lugar, com a pontuação máxima da Holanda.


8.º Bélgica - 7 lugares de diferença
Depois de três apuramentos consecutivos, a Bélgica voltou a cair nas semifinais eurovisivas com o 12.º lugar de Sennek com "A Matter of Time". Favorita do júri da Bulgária e segunda classificada nos painéis de Portugal e República Checa, a canção da Bélgica seria finalista pela votação dos jurados (9.º com 71 pontos), enquanto que o televoto não teve a mesma opinião: Sennek não foi além do 16.º lugar com apenas 20 pontos, de onde se destaca os 8 pontos atribuídos pela Lituânia.


7.º Finlândia - 8 lugares de diferença
Também na semifinal 1, a Finlândia conquistou o apuramento para a Grande Final do Festival Eurovisão depois de três eliminações consecutivas, com Saara Aalto e "Monsters" a ocuparem o 10.º lugar na semifinal com 108 pontos (mais 14 que o Azerbaijão, 11.º). Com o apoio dos países nórdicos, a canção da Finlândia alcançou o 7.º lugar na votação do público (com 12 pontos da Estónia, 10 da Islândia e 4 de portugal), enquanto que, na votação do júri, a interpretação de Saara não foi além do 15.º lugar, tendo sido pontuada por 11 dos 22 painéis de jurados.


6.º Hungria - 8 lugares de diferença
Como a Finlândia, também a Hungria, 10.ª classificada na semifinal 2, conseguiu o apuramento, registando 8 lugares de diferença entre a votação do júri e do público. Com uma margem de apenas 4 pontos sobre o 11.º classificado, o grupo AWS e "Viszlát nyár" arrecadaram o 5.º lugar no televoto da semifinal, com 88 pontos, destacando-se a pontuação máxima da Sérvia e o segundo lugar da Roménia e da Polónia. Por outro lado, para os júris nacionais, a Hungria seria a 13.ª classificada, com apenas 23 pontos, sendo apenas pontuada por 6 dos 21 países.


5.º Albânia - 8 lugares de diferença
Em quinto lugar nesta contagem vem a Albânia, país representado por Eugent Bushpepa e "Mall", que conquistou o apuramento no 8.º posto da semifinal 1, mas foi o país menos consensual na primeira eliminatória do Festival Eurovisão 2018. Apesar do terceiro lugar na votação do júri, onde recebeu a pontuação máxima da Islândia e Bielorrússia, tendo ficado a apenas 1 ponto da Áustria, a Albânia ficaria de fora da Grande Final no voto do público: o país foi 11.º no televoto, com 48 pontos, tendo recebido a pontuação máxima da ARJ Macedónia e o segundo lugar na Grécia e na Suíça, sendo votado por apenas mais sete países.


 4.º Holanda- 8 lugares de diferença
Waylon e "Outlaw in 'Em", representantes da Holanda, foram dos candidatos menos consensuais entre as duas votações da semifinal, registando oito lugares de diferença entre ambas. Apesar do apuramento no 7.º lugar da semifinal, com 174 pontos, a candidatura holandesa teria sido eliminada segundo a votação do público: com apenas 47 pontos, "Outlaw in 'Em" não foi além do 12.º lugar no televoto. Por outro lado, os júris nacionais colocaram Waylon na 4.ª posição com 127 pontos, destacando-se os 12 pontos da Ucrânia e o segundo lugar registado na Sérvia, Geórgia, Polónia e Eslovénia.


 3.º Letónia- 8 lugares de diferença
A cinco pontos do apuramento, a Letónia, representada por Laura Rizzotto e "Funny Girl", conquistou o 12.º lugar na semifinal 2 da competição, com 106 pontos. Contudo, a candidatura letã foi uma das mais votadas dos júris nacionais, alcançando a 6.ª posição com 92 pontos, sendo a segunda mais votada na Ucrânia, França e Alemanha. Contudo, na votação do público, o país não foi além do 15.º lugar com 14 pontos: apenas a Geórgia (7), Polónia (4), Dinamarca (2) e Ucrânia (1) pontuaram "Funny Girl".


 2.º Dinamarca - 11 lugares de diferença
Apesar de não liderar a tabela da maior discrepância entre televoto e júri, a votação da Dinamarca é uma das mais marcantes da história do sistema de votação atual. Rasmussen e "Higher Ground"  conquistaram o apuramento no 5.º lugar da semifinal, tendo sido a candidatura mais votada pelo televoto com 164 pontos, sendo a favorita da Austrália, Holanda, Hungria, Noruega, São Marino e Suécia. Contudo, por outro lado, o júri colocou a canção da Dinamarca em 12.º lugar, fora do lote de apurados, com apenas 40 pontos, com a candidatura a recolher a segunda maior pontuação do júri de Itália.


1.º Malta - 13 lugares de diferença
A escassos 10 pontos do apuramento, Malta falhou, pelo segundo ano consecutivo, o apuramento para a Grande Final, com Christabelle e "Taboo" a terminarem em 13.º lugar na semifinal, tendo sido a candidatura menos consensual das semifinais. A canção de Malta ocupou o 5.º lugar na preferência dos júris, com 93 pontos, sendo pontuada por 17 dos 20 países de jurados. Contudo, no televoto, a candidatura de Malta não foi além do 18.º (e último) lugar, conquistando apenas 8 pontos (7pts da Austrália e 1 da Dinamarca), votação que culminou na eliminação do país.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte/Imagem/Vídeo: Eurovision.tv

5 comentários:

  1. Anónimo23:50

    A Lituânia não passava a final Pelo júri ? Não acredito nisto !

    ResponderEliminar
  2. Anónimo06:47

    Ja nao ha jurados profissionais da verdadeira musica como antigamente

    ResponderEliminar
  3. Anónimo11:27

    Malta em 5º nos júris?! Devia ter passado...

    ResponderEliminar
  4. Malta devia ter passado...foi mt injusto. Apesar de eu nao ter gostado do staging..estava a acontecer mt coisa mt efeito..

    ResponderEliminar