[ZONA DE DISCOS #42] Waylon - "The world can wait"

Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da Canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. Esta semana o destaque vai o novo álbum de Waylon. 
O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.




Data de lançamento: 13 de abril de 2018
Nota: 9,5/10


A Holanda, em 2018, voltou a competir na primeira divisão qualitativa e trouxe-nos o eurovisivamente experiente Waylon (parte dos The Common Linnets, 2014). “Outlaw In 'Em” foi country rock sem hormonas adolescentes, uma estética musical explosiva e viril mas sem exibicionismos. O que Waylon patenteia é paixão, coesão e segurança pela arte de atuar ao vivo e isso nota-se a léguas de distância. Infelizmente, o público europeu não foi tão recetivo a este radar americanizado, pelo menos não aquele que estava à espera de padrões pop mais convencionais, de acesso mais imediato.

Para a posteridade, e para ser descoberto, fica o novo álbum “The world can wait” (#1 no top holandês, 3 semanas no top 10, 5 no total). “The world can wait” contém os 5 temas com os quais Waylon se candidatou a Lisboa: “Back together” (#1, embora não seja o melhor tema, provavelmente seria a aposta mais segura para um melhor resultado); “Outlaw in ‘em” (#2); “The world can wait” (#10); “That’s how she goes” (#4) e “Thanks but no thanks” (#9), o que é um exame mais que suficiente para fazer uma radiografia perfeita a este novo disco do ex The Common Linnet. Com uma base assumidamente country, o álbum reveste-se de alguns subgéneros desse estilo como country rock, country pop-rock e até algum country folk.

 Ao ouvir o álbum na íntegra, facilmente ficamos convencidos que Waylon está no seu tempo de glória discográfico, com cada um dos temas a valer por si e a merecer destaques particulares, como “Shadows in the dark” (#3, talvez a melhor descoberta do disco), a balada “Home” (5), a boa base rítmica de “Highway of heartache” (#7) e “She just wants to play” (#8), provavelmente um dos futuros grandes momentos ao vivo.

 Como bónus, temos a oportunidade de ouvir “Outlaw in ‘em” na sua versão integral, pois os 37 segundos excedentes não permitidos pelas regras eurovisivas impossibilitaram-nos de ouvir, a partir do Altice Arena, a rajada de guitarra eléctrica que acaba por ser um dos momentos altos do tema. Refira-se ainda que a edição em LP de “The world can wait” contém dois temas extra: “Country don’t hurt” e “Sometimes stronger”.

Alinhamento
1. Back together
2. Outlaw In’Em
3. Shadows in the dark
4. That’s how she goes
5. Home
6. Paperboy
7. Highway of heartache
8. She just wants to play
9. Thanks, but no thanks
10. Life can wait
11. Outlaw in’Em (versão eurovisiva)
Temas disponíveis na edição em vinil
12. Country don’t hurt
13. Sometimes stronger

 Vídeos promocionais 

 Outlaw in ‘Em

 Temas candidatos a representar a Holanda na Eurovisão 2018 Back Together 

 The world can wait 

 That’s how she goes (canção destacada por Carlos Carvalho, em conjunto com “Shadows in the dark” e “Outlaw in’Em”) 

 Thanks but no thanks 

 Pode ouvir o disco AQUI

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIÃO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

Sem comentários