ESC2019: Será Jerusalém a cidade anfitriã da Eurovisão 2019?

Netta Barzilei é a grande vencedora do Festival Eurovisão da Canção 2018. A polémica está instalada em torno da possível escolha de Jerusalém como  cidade anfitriã para 2019.


Israel é o país vencedor do Festival Eurovisão da Canção 2018 e, como é tradição, ganhou o direito de receber o evento naquela que será a 64.ª edição do mítico concurso europeu.

Os primeiros instantes após a confirmação de Israel enquanto país vencedor foram marcadas por várias declarações que levam a acreditar que a cidade de Jerusalém, capital proclamada do Estado de Israel, mas disputada também pelo Estado da Palestina, será a escolha para acolher o concurso europeu.

Em conferência de imprensa após a vitória, Netta Barzilei e outros elementos da delegação israelita foram perentórios em afirmar Jerusalém como o próximo destino do Festival Eurovisão da Canção, com Jon Ola Sand, supervisor executivo do evento, a distanciar-se das declarações, afirmando ser muito cedo para falar em datas ou cidades.

Outra das personalidades israelitas a confirmar isso mesmo foi o próprio Primeiro-Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, momentos após a vitória de Netta em Lisboa, lançando um tweet na sua conta oficial a declarar "Netta, trouxeste um grande glória para o Estado de Israel! No próximo ano em Jerusalém!":
Outra das altas personalidades do Estado de Israel a reagir foi o Presidente Reuven Rivlin, dizendo: "Estamos orgulhosos de ti, querida Netta. Esperamos por todos no próximo ano, em Jerusalém"

Os próximos meses irão ajudar a esclarecer a questão em torno da próxima cidade a receber o evento, com Tel-Aviv a posicionar-se também como uma forte candidata.

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESC Portugal / Imagem: eurovision.tv

21 comentários:

  1. Anónimo16:39

    ESC2017??

    ResponderEliminar
  2. Anónimo16:47

    Por mim enquanto Israel, estar nesta situação de guerra, nao a festival lá, não a segurança.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo16:54

    Entao israel esta em guerra e a eurovisão é la?? A Rússia sera que participa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo19:55

      Se eu estivesse à frente da delegação russa não participava, foi vergonhoso a forma como a audiência no altice apupou a porta voz russa e isso que o júri deu 8 pontos a Israel, imaginem se isso não tivesse acontecido

      Eliminar
    2. Anónimo19:57

      Passou de eurovision para eurodead

      Eliminar
  4. Anónimo17:08

    Ja voltamos as polemicas e politiquices de sempre

    ResponderEliminar
  5. Anónimo17:15

    Esta foi também, como se está a ver, uma vitória política para afirmar Jerusalem como capital de Israel.

    Espanta-me como a EBU se deixa manipular e levar por tantos interesses políticos e económicos.

    Adoro a eurovisão mas sei perfeitamente que os resultados são uma "semi-farsa". Muito antes da competição estar lançada já a EBU sabe quem tem de ganhar.

    O mesmo se passou com Portugal, houve interesses económicos (privados e estatais) em ter o ESC cá. Apesar da excelente canção e tudo o mais... até imagino que a canção do "candidato" a vencedor é aprovada em primeiro lugar pela EBU...

    Claro há anos em que as coisas escapam ao controlo ou não se prevê tudo....

    Esta é a minha visão do "submundo" do concurso, mas poderei estar a ser demasiado "teorias da conspiração"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18:29

      Não é uma teoria só sua. Eu também penso o mesmo e há muito tempo!

      Eliminar
    2. a EBU queria uma vitoria portuguesa...e acharam que ou era em 2017 ou nunca mais aconteceria
      Estavam mts condições reunidas para Portugal ganhar no ano passado, mas não foi uma coisa combinada. Quanto mt a partir de certa altura foi-se conduzindo a coisa de forma a ganhar Portugal

      Eliminar
    3. Anónimo18:49

      👏👏👏👏 totalmente de acordo!

      Eliminar
    4. Anónimo19:55

      Ahahah, achas mesmo que Portugal tinha alguém para falar com a EBU porque tinha interesses que a Eurovisão fosse cá? Ahahahah

      Eliminar
  6. Anónimo17:23

    Ah pois, é verdade, nada de política na Eurovisão...

    ResponderEliminar
  7. Anónimo18:04

    Vão gastar balurdios fazer uma grd Eurovisão e reduzir a organização portuguesa a nada...
    Em Jerusalem nem precisam gastar dinheiro com pirotécnia...diz que tem mts explosões por lá

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo18:34

      Há uma coisa que Israel não terá de certeza, é tranquilidade para as pessoas andarem livremente como andaram cá. Vai ser uma rica dor de cabeça para a EBU.

      Eliminar
    2. Anónimo19:56

      Mas acho que Jerusalém não é considerada a capital pela ebu

      Eliminar
    3. Anónimo20:17

      Mas a EBU tambem não obriga a que seja realizado na capital. Nem no próprio território obriga, pelo que em relacao a isso nao vai poder fazer nada. E ainda bem porque isso sim seria meter-se na política.

      Eliminar
  8. Anónimo19:06

    Israel, que eu me lembre, sempre teve disputas de território com a Palestina e conflitos com os países de maioria muçulmana, mas isso nunca foi impedimento ao facto de organizarem o festival em Jerusalém, tanto em 1979, como em 1999.

    Julgo que o concurso, no próximo ano, vai voltar a ser organizado lá, até porque a arena que possui as melhores condições, pelo que já vi, é a Pais Arena Jerusalem, com capacidade para cerca de 15 mil pessoas, tendo sido inaugurada em 2014.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo19:36

    A ser verdade... não acho normal.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo19:59

    Eu diria que isso é tudo teorias da conspiração, porém existem duas formas de influenciar as votações:

    - através de sites de fãs
    - através dos sites de apostas

    Se este género de plataformas colocarem certa música no topo a imprensa internacional vai dar publicidade gratuita a essa música e as pessoas vão ter contacto com ela mesmo antes do concurso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo20:20

      Israel não estava em primeiro nas apostas, Portugal no ano passado tambem não. E Salvador publicidade teve muito pouca é nenhum dos sites/blogs o davam como principal candidato a vitória.

      Eliminar
    2. Anónimo22:05

      Israel esteve no número 1 depois de se conhecer a música.
      Só perdeu esse lugar depois da primeira semifinal.
      Foi favorita da OGAE e INFE e foi muito falada e promovida em diversos sites de fãs da eurovisão.
      Não é por acaso que Lisboa estava cheia de Israelitas este ano

      Eliminar