ESC2018: EBU/UER anuncia mudanças no sistema de votação do certame


A União Europeia de Radiodifusão (EBU/UER) anunciou, esta manhã, uma nova mudança no sistema de votação do Festival Eurovisão 2018.


O site oficial do Festival Eurovisão anunciou, esta manhã, uma nova mudança no sistema de votação para a edição deste ano: apesar de manter a proporção 50/50 do júri e do televoto, o novo sistema dará maior peso à votação de um grupo de jurados em prol de um jurado individualmente.


Até ao ano passado, os pontos dos júris nacionais eram atribuídos pela soma das votações dos diversos jurados, seguindo o modelo de peso linear, segundo o qual cada classificação de cada jurado tem o mesmo impacto. Contudo, por exemplo, se quatro jurados classificassem uma canção em primeiro lugar, enquanto que o quinto jurado a classificaria em último lugar, tal votação poderia impedir que a canção recebesse a pontuação máxima do júri.

Deste modo, a votação do Festival Eurovisão 2018 incluirá uma pequena mudança: em vez de atribuir uma classificação a cada votação individual, a EBU/UER atribuirá valores de pontuação pré-definidos a cada classificação, aumentando assim os valores dos dez primeiros classificados, especialmente os três primeiros. Esses valores de pontuação começam com o valor de 12 para a primeira classificação, diminuindo exponencialmente com a ordem de classificação, seguindo o chamado modelo de peso exponencial. A soma desses valores dos cinco jurados nacionais criará o resultado final do júri, onde os dez primeiros classificados receberão os respetivos pontos.



Assim, quanto menor for a classificação de um jurado a uma determinada canção, menor será o impacto dessa votação no resultado geral, enquanto que, quanto maior a classificação, maior o impacto no resultado final. A decisão foi tomada pelo Grupo de Referência em janeiro, garantido que o objetivo era que a votação de um grupo de jurados tivesse prioridade perante a opinião de um jurado individual. "Ano após ano, avaliamos os passos que podemos dar de modo a fortalecer o processo de votação. Umas mudanças são grandes, outras são pequenas." afirmou Jon Ola Sand, referindo que "a mudança anunciada não terá impacto na logística da votação do júri".

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte/Imagem: Eurovision.tv

27 comentários:

  1. Anónimo14:01

    Q ganda salganhada!!! Não percebi nada!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo16:09

      na verdade até é muito fácil compreender... com um exemplo pratico, percebe se claramente,,, ou seja, uma musica fica melhor cotada se em 3 pessoas por exemplo se tivesse votaçao do genero 12, 10, 4, do que se tivesse 9, 9, 8, ou seja, são os mesmo pontos (26 em 36 possiveis), mas como tem classificaçoes mais altas, ganhava mais no 1º exemplo...

      Eliminar
    2. Anónimo16:10

      Isto ja acontece por exemplo na ginastica uma coisa do genero, onde são anuladas a nota maxima e minima.. para persuadir os espertinhos.

      Eliminar
  2. Anónimo14:05

    Se este modelo estivesse em vigor o ano passado Portugal teria mais ou menos pontos do júri?

    ResponderEliminar
  3. Anónimo14:05

    Ou seja, dentro do júri de cada país, há juízes de primeira e de segunda. Nao sei se estou de acordo com isto. Aliás em teoria estou totalmente contra.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo14:11

    Portugal só não recebeu 12 do júri da Áustria porque um senhor meteu Portugal em 26 ... foi tão ridículo , por isso aplaudo esta mudança

    ResponderEliminar
  5. Será assim? no lugar de 1,2,3,4,5...19 até o ultimo lugar, será 12,10,8...1 até a 10ª musica e as outras 9 sem pontuação? Aí somam-se as notas dos juris e faz o top 10 juri de cada país????

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, não será 12, 10, 8, etc... Vai ser algo do tipo 12, 11,9, 11,7, 11,3... Quanto mais baixo a classificação, menos impacto em relação aos outros vai ter...

      Eliminar
    2. Entendi, todas terão uma nota, mas irá diminuindo um valor apenas para diferenciar.

      Eliminar
    3. Anónimo18:41

      Nao nao é. É como disseram. Dar 12,10, 8,... Antes era 26,25,24,23 ...

      Eliminar
    4. Sim e o decréscimo dos valores são exponenciais para não haver uma grande disparidade entre aquele que votou uma música como melhor e outro que votou como pior...

      Eliminar
  6. Anónimo14:20

    Muito positiva esta mudança.
    O que faz basicamente é minimizar o impacto que um elemento do júri terá na classificação de uma canção que tenta "anular"; dilui o bias negativo e os ódios de estimação dentro do júri.
    Só ficava bem à EBU/UER ilustrar essa mudança com um exemplo para que se possa ver que esta mudança faz sentido (mas o sentido de justiça é sempre discutível) e para não criar desagrado entre os fãs que não estão familiarizados com a análise de dados.

    ResponderEliminar
  7. Poderá também beneficiar canções em que, por exemplo, quatro júris atribuem o 15º lugar e um o 1ºlugar em detrimento de canções em que os cincos atribuam o 11º lugar, neste caso seria mais justo atribuir pontuação mais alta ao 2º caso e não ao 1º, o que poderá não acontecer com este "novo sistema de votação" do jurí... Enfim, tem os seus prós, tem os seus contras.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo14:39

    Não percebi muito a explicação, mas lembro-me de ter ouvido quem em alguns modelos estatíticos os valores anómalos (i.e. uma opinião que difere totalmente da opinião dos outros) não são contabilizados para eliminar biases

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14:49

      Exactamente. Chama-se a isso um outlier

      Eliminar
  9. Anónimo14:52

    O jardim deve ficar nos últimos lugares . Como aconteceu com a Áustria . Esperem e vejam

    ResponderEliminar
  10. Este sistema não vai fazer com que o fosso entre os primeiros e últimos seja maior?

    ResponderEliminar
  11. Anónimo18:16

    espero que isto não tire o recorde de Portugal , ser o país vencedor que recebeu mais pontos no atual e antigo sistema é de dar gozo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:10

      Por este novo sistema, o Salvador teria conseguido ainda mais pontos...

      Eliminar
  12. Anónimo18:25

    Por acaso não estou de acordo... Isto só demonstra que não podemos ter uma opinião contrária....temos que ser carneirinhos atrás uns dos outros....se há um júri com um gosto diferente dos outros tira-se lhe o gosto... Muito pouco democrático...

    ResponderEliminar
  13. Anónimo19:33

    a EBU devia se preocupar em arranjar uma forma de evitar ver juris a meterem musicas em ultimo por odios e politicas..
    todos os anos ver o azerbaijao e a armenia a fazerem isso é ridiculo! ja para nao falar tambem na troca de 12 pontos entre romenia, moldavia grecia e chipre...

    ResponderEliminar
  14. Anónimo21:11

    Quem serão os membros do júri português? Os mesmos do FC?

    ResponderEliminar