Sergey Lazarev: "A Bielorrússia tem grandes hipóteses de ficar entre os três primeiros"


O cantor russo Sergey Lazarev, terceiro classificado no Festival Eurovisão de 2016, garante que Alekseev poderá alcançar um resultado histórico para a Bielorrússia: "Espero que as correntes não interfiram na classificação".

Em entrevista à imprensa bielorrussa, Sergey Lazarev, terceiro classificado no Festival Eurovisão de 2016 em representação da Rússia, garantiu que Alekseev poderá igualar ou superar o seu resultado na próxima edição do certame: "A Bielorrússia tem grandes hipóteses de ficar entre os três primeiros no Festival Eurovisão 2018. Aliás, até poderá ocupar uma posição mais alta, mas tudo dependerá da atuação e do quanto Alekseev estiver moralmente preparado para tal".

O cantor russo espera, contudo, que a prestação de Alekseev não seja prejudicada por factores alheios ao concurso: "Espero que as correntes que costumam estar presentes nestes concurso não interfiram com o representante da Bielorrússia. Espero que ele tenha um bom desempenho, quero uma boa interpretação e que ele não se preocupe... Conheço-o pessoalmente, assisti à sua formação e acho que ele é um óptimo candidato".

Depois de abandonar a final nacional ucraniana, Alekseev inscreveu "Forever" no Eurofest 2018, competição que venceu com a pontuação máxima do júri e do público, mesmo depois da polémica em torno do lançamento antecipado da candidatura. Contudo, o cantor representará a Bielorrússia na oitava posição da primeira semifinal, agendada para 8 de maio.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Belta / Imagem: Google / Vídeo: Eurovision.tv

6 comentários:

  1. Anónimo12:49

    Este homem não tem gosto nenhum!! Viu-se pela música que levou em 2016

    ResponderEliminar
  2. Anónimo13:06

    Se não ganhar, são as correntes. Se não ganhar Israel, são as correntes, se não ganhar Espanha, são as correntes. Se não ganhar a França, são as correntes. Etc etc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14:29

      E Portugal GANHOU!!! pronto

      Eliminar
  3. Anónimo15:10

    O Sergey a mostrar as suas "true colours" com estas afirmações provando que como verdadeiro Russo que é não consegue perceber que a canção dele nao era a melhor de 2016 senão a sua apresentação cénica. Por isso vamos culpar a política pela sua derrota, claro. Se ele tivesse coragem para ter um posicionamento crítico face ao país que vive pela forma como avalia a humanidade como se ainda vivêssemos na era de Estaline, talvez a credibilidade dele como pessoa e consequentemente como musico mereceria o nosso apreço. Uma vez que ele não tem essa coragem por medo da consequências do governo russo na sua carreira musical, ele tem que fazer o seu papel e culpar tudo e todos pela sua derrota. Mas pior do que ele é o Kirkorov que anda em desespero bruto para vencer isto tudo e esquecer que em 1995 ficou em 17.º lugar. O ego de certos maníacos supera a compreensão humana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo00:57

      "(...) não consegue perceber que a canção dele nao era a melhor de 2016 senão a sua apresentação cénica."

      Nem isso. Encenação pouco original, pois foi claramente inspirada no vencedor do ano anterior. Serviu apenas para desviar o foco de uma canção banal.

      Mas o forte da Rússia costuma ser esse. Armar um carrosel para desesperadamente apelar ao voto. O pior é que já resultou (2008), quando lá meteram um patinador artístico porque fica giro e tal, e conseguiram ganhar com outra canção banal.

      Eliminar
  4. Anónimo16:48

    Não fosse as múltiplas alterações sem nexo,uma boa voz...a final era bem possível agora assim ainda por cima na 1ªsemifinal é difícil!

    ResponderEliminar