ESC2018: Israel é a favorita da INFE Roménia e aproxima-se da liderança da votação


Israel recebeu a pontuação máxima da INFE Roménia, uma das associações filiadas à INFE Network, mas França continua na liderança das votações.


A INFE Roménia revelou, esta tarde, as suas preferências para o Festival Eurovisão 2018, tornando-se a 2.ª das 24 associações de fãs filiadas à INFE Network a revelar a sua votação para a INFE Poll 2018. Israel recebeu a pontuação máxima da associação, aproximando-se do primeiro lugar, ocupado pela França, país que apenas recebeu 6 pontos da INFE Roménia. Bulgária e Bélgica encerraram o pódio das preferências dos associados, que atribuíram os primeiros pontos à Grécia e à Suécia.

Votação da INFE Roménia
12pts Israel
10pts Bulgária
8pts Bélgica
7pts Áustria
6pts França
5pts Ucrânia
4pts Estónia
3pts Grécia
2pts Suécia
1pt Dinamarca

c


Classificação Total (3 de 24)
1.º França - 30 pontos
2.º Israel - 27 pontos
3.º Bulgária - 17 pontos
4.º Ucrânia - 15 pontos
5.º Bélgica - 14 pontos
6.º Áustria - 11 pontos
7.º Dinamarca - 10 pontos
8.º Alemanha - 8 pontos
9.º República Checa - 8 pontos
10.º Bielorrússia - 7 pontos
11.º Estónia - 7 pontos
12.º Itália - 5 pontos
13.º Grécia - 3 pontos
14.º Suíça - 3 pontos
15.º Suécia - 2 pontos
16.º Irlanda - 2 pontos
17.º Lituânia - 1 ponto

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCToday / Imagem: INFE / Vídeo: Eurovision.tv

4 comentários:

  1. Anónimo21:12

    vou rir tanto quando o salvador que criticou a fast food music entregar o troféu à cantora de israel! hahahaha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:47

      Onde é que a música de Israel é fast food?

      Eliminar
    2. Anónimo09:16

      A temática é recorrente, a sonoridade dance e étnica é bastante ouvida na eurovisão... e os sons de galinha vão tocar aos novelty acts que vemos a toda a hora neste concurso! Não é nada novo nem fresco!! É pop, com refrão que fica no ouvido... há imensas músicas todos os anos neste registo. Tirando a questão dos loops que a cantora faz em palco (e que é, de facto, um ponto original) sim, é fast food! E não digo com isto que é uma má musica... cumpre o propósito, que é animar e dar nas vistas. Mas continua a ser fast food! Lá porque muita gente gosta, não faz dela uma boa composição, diferente e original automaticamente.

      Eliminar
  2. Anónimo22:52

    ele provavelmente nem deve gostar da maioria das músicas, até lá ele já deve estar mentalmente preparado, mas eu é que não quero que Israel ganhe.

    ResponderEliminar