Bielorrússia: Alexander Rybak defende participação de Alekseev no Festival Eurovisão 2018


Alexander Rybak, vencedor do Festival Eurovisão de 2009 e representante da Noruega em Lisboa, defendeu a participação de Alekseev na edição deste ano: "Espero que os bielorrussos o apoiem, porque sem apoio tudo será complicado".

Alexander Rybak, cantor nascido em Minsk e vencedor do Festival Eurovisão pela Noruega, defendeu, publicamente, a participação de Alekseev em Lisboa. Questionado sobre as críticas de alguns cidadãos bielorrussos ao facto do país ser representado por um "estrangeiro" em Lisboa, o representante norueguês não hesitou e saiu em defesa do cantor ucraniano: "Pelo que sei, as regras do concurso não proíbem um artista estrangeiro a representar o país. Espero que os bielorrussos o apoiem, porque sem apoio tudo será complicado" afirmou.

O vencedor da edição do Festival Eurovisão de 2009 realçou ainda o apoio que recebeu pelos noruegueses: "Ao mesmo tempo, congratulo-me pelo facto do povo norueguês não ser contra o seu país ser representado por alguém de raízes bielorrussas. Tenho muita sorte" defendeu, afirmando que os norueguês não contestaram a sua participação porque "lá os artistas são mais valorizados pelo seu talento".

Depois de abandonar a final nacional ucraniana, Alekseev inscreveu "Forever" no Eurofest 2018, competição que venceu com a pontuação máxima do júri e do público, mesmo depois da polémica em torno do lançamento antecipado da candidatura. Contudo, o cantor representará a Bielorrússia na oitava posição da primeira semifinal, agendada para 8 de maio.



Depois da vitória eurovisiva em 2009, Alexander Rybak está de regresso ao Festival Eurovisão com "That's How You Write a Song". A canção abrirá a segunda semifinal do certame, a 10 de maio, sendo a 1500.ª canção da história do concurso. 


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Eurovoix / Imagem: Google / Vídeo: Eurovision.tv

2 comentários:

  1. Anónimo14:10

    Já eu acho mal , não ia gostar de ver Portugal a ser representado por um estrangeiro , uma coisa é ser um emigrante como o rybak a residir no país que representa , o Alekseev não tem nada de bielo-russo , nem vive lá ...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo17:32

    Eu acho muito bem que qualquer cantor(a) possa representar um país que não é o seu país de origem e se as regras do concurso o permitem e desde que o(a) cantor(a) tenha uma qualidade acima da média então porque não?

    ResponderEliminar