[ZONA DE DISCOS #35] Michalis Hatzigiannis - “Erotas Aggathi”

Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da Canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. Esta semana o destaque vai o novo álbum de Michalis Hatzigiannis. 
 O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.
Data de lançamento: 22 de dezembro de 2017
Nota: 7,5/10


A Eurovisão de 1998 foi o “Livro do Génesis” da sua carreira. Um percurso artístico que nos últimos 20 anos anda ininterruptamente a lançar novos capítulos, convertendo-se num dos nomes mais aclamados da música grega no século XXI.

Michalis Hatzigiannis lançou, no final de dezembro de 2017, o seu novo álbum, “Eritas Aggathi”, e o sucesso continua. “Erothas Aggathi” apresenta um conjunto de dez canções assentes numa visão de sucesso comercial, norteadas por canções românticas que não irão desapontar nem as expectativas da Cobalt Music, nem as da sua enorme legião de fãs. Sem qualquer sinal de uma desesperada intenção de estar em sintonia com as últimas tendências sonoras, o álbum ganha na conciliação entre melodias orelhudas e pelo papel principal que vários instrumentos vão ganhando ao longo do desfile de canções. Se o trompete evidencia-se na abertura do álbum, “Anna”, o banjo ganha o protagonismo em “Se Poion Na Po To S' Agapó” (#4). Já o trombone reclama ser ouvido em “Eísai To Astéri Mou” (#5), o ukelele em “Saïtiá” (#6) e o violino em “Lámpsi, Fotovolída” (#7). Uma saída airosa, inteligente e apelativa para um álbum que, numa primeira audição, é apenas mais um num vasto espólio discográfico do género. O apogeu do álbum, em termos melódicos, está repartido entre “Pantoú” (#3) e “Se Poion Na Po To S' Agapó” (#4). Contudo, o momento mais impactante será “Saïtiá” (#6), numa atitude descontraída e bastante prazerosa a nível auditivo, numa espécie de resposta helénica aos monstros comerciais latinos de Luís Fonsi.

 “Erothas Aggathi” recupera ainda o aperitivo de veraneio lançado no verão de 2017, “Kráta Me Edó” (#9) e a balada “Kráta Me Edó” (#8), lançada há dois anos. De um modo geral, este novo álbum apresenta-se sólido, sem nunca se afastar de seu principal objetivo, o sucesso comercial. Os gregos, perceberam na perfeição esse intuitivo artístico. O álbum entrou diretamente para o #8 da tabela de vendas na Grécia, chegando, 8 semanas depois, ao tão cobiçado #1.

Alinhamento
Άννα // Anna
Έρωτας Αγκάθι // Eros Agathi
Παντού // Pantoú
Σε Ποιον Να Πω Το Σ' Αγαπώ // Se Poion Na Po To S' Agapó ft. Dimitra Galani
Είσαι Το Αστέρι Μου // Eísai To Astéri Mou
Σαϊτιά // Saïtiá ft. Thanásis Alevrás
Λάμψη, Φωτοβολίδα // Lámpsi, Fotovolída
Κράτα Με Εδώ // Kráta Me Edó
Κοίτα Με // Kráta Me Edó
Καληνύχτα // Kalinýchta


Vídeo atual: “Σε Ποιον Να Πω Το Σ' Αγαπώ” // “Se Poion Na Po To S' Agapó” ft. Dimitra Galani
   
 Outros temas promocionais: 


 Tema destacado por Carlos Carvalho: “Pantoú”, “Se Poion Na Po To S' Agapó” e “Saïtiá” 

Pode ouvir o disco AQUI

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIAO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

1 comentário:

  1. canções #8 e #9 têm títulos diferentes; a nona intitula-se “Koíta Me” (transliterando para Português: Kita Me)

    ResponderEliminar