Tozé Brito: "Penso que vamos assistir a um recuo no Festival da Canção"


Jurado do Festival da Canção 2018, Tozé Brito mostrou-se preocupado com as próximas edições do certame: "Uma série de nomes que aceitaram o convite este ano, se forem convidados a escrever canções para o ano vão dizer que não se querem meter".


O músico e produtor Tozé Brito, vice-presidente do júri das semifinais do Festival da Canção 2018, revelou, em entrevista, estar preocupado com a edição do próximo ano do certame nacional: "Posso estar muito enganado, mas, uma vez mais, penso que vamos assistir a um recuo". O também administrador da Sociedade Portuguesa de Autores considerou que "aquilo que se tinha ganho com o Festival [da Canção] perdeu-se com o festival deste ano".

As acusações de plágio feitas a Diogo Piçarra, que tomaram "proporções absurdas", não foram caso isolado: "Não foi só o Diogo Piçarra. A canção que ganhou também já foi acusada de plágio e andam a vasculhar, a tentarem perceber se há mais plágios nas carreiras dessas pessoas. Isto é quase ridículo. Parece que os portugueses não têm mais do que fazer senão falar de futebol e de plágio".

Para Tozé Brito, as consequências irão ter efeito nas próximas edições do Festival da Canção, que irá ter um "recuo": "Uma série de nomes que aceitaram o convite este ano, se forem convidados a escrever canções para o ano vão dizer que não se querem meter".

Aceda AQUI à conversa na íntegra.

Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: Blitz / Imagem: Google

37 comentários:

  1. Anónimo19:44

    Apesar de não gostar nada deste senhor, sou obrigado a concordar com ele...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo19:52

    Abram candidaturas a todos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:07

      A melhor opção seria abrir mais candidaturas públicas.
      Mas a questão do plágio do Diogo piçarra tomou as proporções que tomou porque a RTP ficou calada e nãoo disse nem aí nem ui

      Eliminar
    2. Anónimo23:27

      Anónimo das 22:07 - a RTP não tinha de se pronunciar, simplesmente porque não é a entidade competente para comentar plágios. Isso só iria causar mais estragos ao evento. A RTP manteve-se sóbria e longe de confusões. tal como é esperado

      Eliminar
    3. Anónimo01:21

      Anónimo das 23:27 - Quando houve a história do plágio em Itália a RAI não teve que se manifestar o assunto?
      Relembro a história:

      http://www.escportugal.pt/2018/02/italia-ermal-meta-fabrizio-moro-poderao.html
      http://www.escportugal.pt/2018/02/italia-rai-confirma-manutencao-de-ermal.html

      A RTP não organiza o Festival da Canção? Então eles tinham que dizer alguma coisa, nem que fosse para acalmar os ânimos.
      Um "ouvimos os vossos comentários e vamos analisar a situação" tinha sido suficiente para acalmar muita gente

      Eliminar
    4. Anónimo16:29

      Se a RTP comentasse seria apenas para piorar a situação para o Piçarra. Não é possível defender i indefensável. As canções são iguais. Se ele avançasse e ganhasse, Portugal acabaria desclassificado.

      Eliminar
  3. Anónimo20:05

    Vêm estes velhos do Restelo agoirentos. Pois eu acho que deve-se começar por não convidar... o To Zé Brito. Muitos não aceitarão pela perseguição que se dez ao Diogo Piçarra sem que a RTP ou alguém ligado ao festival o tivesse defendido. E até pela forna como houve erros de votação inadmissíveis. Se o ESC em Portugal for bem sucedido, claro que muitos quererão participar. Agora resta renovar o que ainda não foi renovado, e este senhor faz parte desse rol...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:22

      100% de acordo.

      Eliminar
  4. Anónimo20:24

    Concordo e já tinha sublinhado isso em alguns sítios que visito. Para o ano a qualidade vai recuar e bastante pois os portugueses são uma pobreza de espírito que só se sentem grandes a deitar os que trabalham abaixo e vivem em prol de tramar a vida dos outros para se sentirem presentes na sociedade. Está tudo dito e concordo em pleno com as palavras do Brito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15:56

      Concordo consigo. Aliás é sabido que o principal inimigo de Portugal, é o próprio português!

      Eliminar
    2. Anónimo16:30

      Não. O pior inimigo de Portugal é mesmo a vírgula entre sujeito e predicado.

      Eliminar
  5. Anónimo20:39

    Seria muito bem feito ! A polémica em volta do diogo foi ridícula ! Suécia todos os anos tem acusações de plágio e os suecos não fizeram o que os portugueses fizeram ! Perdemos uma grande música melhor que o jardim de longe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:23

      Concordo.

      Eliminar
    2. Anónimo01:37

      Eu cá prefiro O Jardim, mas haviam outras boas canções mas muitas delas destruídas ao vivo.

      Eliminar
    3. Anónimo16:33

      Havia canções muito boas este ano, mas a do Piçarra não era uma delas. Era uma melodia básica e repetitiva, com uma letra de lugares comuns.

      Eliminar
  6. Anónimo20:44

    Convidem o Armando Teixeira de novo, ou compositores do género! E abram candidaturas também.
    E mais diversidade!
    Já agora por favor metam a equipa criativa do palco do The Voice no FC, as atuações do The Voice conseguem ser mais bonitas que no FC.

    ResponderEliminar
  7. Esperemos que não. Mas o que ele diz tem algum nexo pois realmente parece que os portugueses so a deitar os outros abaixo e a auto sabotarem se é que estão bem. Sinceramente não precebo a necessidde disto. Parece qie odeiam o país onde vivem e só querem velo na lama.

    ResponderEliminar
  8. Mas por que se insiste em dizer que "os portugueses" (plural) ou até "Portugal" prejudicaram Diogo Piçarra? Ele não teve o primeiro lugar no televoto da sua semifinal? Foram "estrangeiros" que telefonaram? Teve azar (sinceramente não acredito que quisesse ter copiado), mas a verdade é que as duas canções eram muito idênticas, em várias passagens demasiado idênticas. E não esqueçamos também que foi ele que decidiu retirar-se da competição. Não foram "os portugueses" que o expulsaram. Tal como, verdade seja dita, também não foi a IURD que denunciou as semelhanças (não simpatizo minimamente com a "organização", mas aquele canto é de outra corrente religiosa). Quanto ao que Tozé Brito diz, talvez o recuo se tenha já verificado este ano: canções tentando (em vão) aproximar-se da vencedora do ano passado (o que resultou num espetáculo pouco variado), vários intérpretes desafinados e com má dicção, poucos deles verdadeiramente profissionais da música... Recordo a atuação de Anabela (será que a canção que interpretou era tão má que merecesse aquele zero do júri regional?), com um frasear perfeito, boa voz, entrosamento com as câmaras e comparo-a com outras do mais absoluto amadorismo, como as simpáticas meninas do (agradável até) "Patata" ou a intervenção na final da intérprete do "Voo das Cegonhas", que fez com que parte da letra nem se entendesse.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo22:48

    Completamente de acordo com as acusações de plágio ao Diogo Piçarra, mais igual não podia ser. Agora se copiou efectivamente ou não, isso já nao me interessa. Sao iguais, ponto. Em relação ao To Zé, também podes sair que nao fazes falta nenhuma. Ah e já agora, tenho direito a falar tanto como tu, Rui Veloso, Júlio Isidro, José Cid e outras muitas musas que gostam de tocar mas nao podem ser tocados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo08:04

      Mas só é plágio se for provado que é uma cópia efetivamente, que existiu a intenção de copiar. Duas músicas muito parecidas não são automaticamente plágio.
      Tem todo o direito a dar a sua opinião, sem dúvida... pense só que da próxima vez ela será mais levada em conta se estiver informado e suportar essas afirmações com conhecimento de causa e não apenas com suposições e ideias pré concebidas! "É assim e pronto" nunca foi e nunca será um argumento

      Eliminar
    2. Anónimo16:36

      Se uma música é igual a outra anterior, não há como recusar.

      Eliminar
    3. Anónimo19:20

      Não há como recusar a semelhança, completamente de acordo... mas não é suficiente para acusar de plágio! Trata-se de um crime, não de um ato leviano. É um ato que acarta com consequências legais e eu penso que não se pensa muito nisso pelas redes sociais quando se anda na caça às bruxas. Isto de acusar alguém de um crime, sem provas e sem hipótese de presunção de inocência, não é muito digno de um país que se diz civilizado. Mas não é só por cá, parece-me um mal bem maior do que esse! Parece-me que hoje em dia temos imensos juízes e executores a vaguear por aí, cheios de certezas. É triste

      Eliminar
  10. Anónimo23:49

    Pelo que ele diz até parece que este ano foi um ano de génios musicais... no FC. Juízo! Provavelmente os convites feitos não o foram aos melhores e mais inspirados do momento. Seria melhor não condicionar a torneira através dos convites. Às vezes andam desconhecidos a criar coisas interessantes E originais que não podem aparecer porque se convidam quem eles acham que devem ser convidados. As cunhas nunca são boas conselheiras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo01:47

      Coincidência na música é normal, acontece até aos bons compositores. A música não tem uma sequência melódica ilimitada. No FC há diversas músicas que têm a melodia muito semelhante a outras na minha perspectiva, mas não quero dar exemplos, assim como há neste ano no ESC e sempre houve no ESC.
      Mas concordo que a RTP devia dar mais spotlight a caras desconhecidas e subestimadas neste país, até porque o FC só assim tem piada. O Diogo Piçarra não precisava do FC para nada, e também não senti muito a canção dele.

      Eliminar
  11. Não concordo nada que disse, Os compositores não vão aceitar os convites por medo acusar a canção de plagio? Enfim... mais valia estar calado mas é. E também não acredito a um recuo no FC, as polémicas sempre houve e sempre haverá as polémicas (seja no nosso festival, outros festivais nacionais ou na eurovisão), e também se houver um recuo do Festival da canção, só a RTP quiser.

    ResponderEliminar
  12. Anónimo02:00

    Finalmente tivemos alguém como o diogo no festival , alguém com uma carreira em Portugal e fizeram o que fizeram ... para o ano levam com amadores , homens da luta e suzys para aprenderem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo05:23

      Mas o que muita santa gente quer na Eurovisão são mais Suzys e mais pimba apenas para dar festa. Não ha genuinamente interesse no factor "qualidade" e quando vemos que os restantes países também pouco se preocupam com a qualidade (não é galinha Israelita?) não admira que andem aí pessoas e fas desesperados por uma Ana Malhoa com uma bodega latino-pimba mal cantada mas que dá festa ... e festa é uma unica coisa que se quer da Eurovisão. Talvez sofram de hiperatividade ou incapacidade de ouvir música que não tenha batida ritmo e uma letra que tenha significado porque obriga os ouvidos a escutar e o cérebro e pensar.

      Eliminar
    2. Anónimo16:50

      Até porque os outros convidados eram menos só porque o Diogo era conhecido? Basicamente estás a chamar de amadores aos outros convidados? Talvez para ser cantor digno é preciso milhões de views no youtube? Alguém conhecia o Salvador Sobral sem ser nos Ídolos?
      Temos música boa, para além do pimba.

      Eliminar
    3. Anónimo17:04

      Esquecem-se do que aconteceu no ano passado. As pessoas não querem Anas Malhoas, nem galinhas cacarejantes. Apesar de tudo, a qualidade normalmente compensa, como bem pudemos comprovar no ano passado.

      Eliminar
    4. Anónimo17:17

      Se Portugal optar por canções de qualidade (e teve várias candidatas recentemente), consegue um bom lugar. Este ano não interessava o resultado, mas sobretudo levarmos algo de que nos orgulhássemos. Tenho pena que não tenha ganhado a melhor, mas - pensando já nos próximos anos - sinceramente, espero bem que não voltemos a ter participações de ídolos pop, com legiões de fãs fanáticos.

      O Piçarra já estava aclamado como vencedor muito antes de se conhecerem as canções. Apresentou-se com uma música elementar e repetitiva e uma letra feita de lugares comuns e, mesmo assim, foi aclamado pelos fãs cegos, como se se tratasse de uma obra de arte, um golpe de génio, o cúmulo da originalidade, etc. Quando se percebeu que essa composição básica era cópia de um hino religioso (com versões em praticamente todo o mundo), mesmo assim os fãs cegos continuaram a defendê-lo com unhas e dentes, batendo no peito e acusando a RTP - como se a culpa não fosse apenas do próprio compositor.

      Se o Piçarra tivesse concorrido com o "Parabéns a você", ganhava na mesma. No próximo ano, se aparecer outro ídolo teen, nunca mais voltamos a levar qualidade à Eurovisão.

      Eliminar
  13. Anónimo06:36

    Ainda chourando pelo Diogo Piçarra? Tenham juizio! Ele foi obligado pela Universal Music a participar no Festival da Canção e aproveitou a acusação do plagio para fugir da responsabilidade e ficar como um rei culpando aos "malvados trolls pelo sabotear a segunda melhor clasificação de sempre", todo o mundo sabe que UMG anda chateada porque o Salvador pudo ser internacional e romper records na musica portuguesa e Diogo ainda não pode (tambem isso explica o feito do juri dando 10 pontos a "O jardim", porque deixando ganhar a Isaura -que é de Universal- eles ficariam calmos e não perderiam o dinheiro que invirteram promocionando a "Canção do Fim")

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14:04

      Comentário mais desnecessario e descabido.Toda a informaçao apresentada baseada em suposiçoes.Obrigado pela Universal a participar?Culpar alguem? E nao sei se anda atento ao panorama musical nacional o Diogo é de há uns anos pra cá um dos maiores artistas musicas do nosso pais , mesmo com este protagonismo do Salvador , o mesmo apenas é conhecido pelo Amar pelos Dois enquanto que o Diogo tem varios exitos e em Portugal vendeu mais portanto essa opiniao da UMG andar chateada é 1º Descabida e dissimulada 2º Mostra a ignorancia de algumas pessoas Enfim.....

      Eliminar
    2. Anónimo17:07

      Isso e mentira. O Salvador não é conhecido apenas pelo "Amar Pelos Dois".
      No último ano teve 3 CDs no Top de vendas (Excuse me, Excuse me - ao vivo, e Alexander Search) e esgotou as principais salas de espetáculos do país... e não foi a cantar o Amar pelos Dois (que aliás ele nunca mais voltou a cantar na versão original).

      Eliminar
  14. É preciso ter lata. Então uma música que na sua maioria é igual a outra e a culpa é de quem descobriu? Então o que se fazia era deixar passar? E os outros compositores? Estamos no nível do vale tudo e dos intocáveis. Não há ninguém acima da critica...e vem este senhor, que fez coisas bonitas na música portuguesa com este comentário.
    Quem estiver de consciência tranquila concorre sem receios...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo13:58

      Pois é mas o Piçarra cocorreu de consciencia tranquilo e sem receios e depois viu-se o que a mentalidade retrogada portuguesa fez...Ele desistiu porque quiz mas acima de tudo para a polemica nao alcançar outro patamar , nem sem o que iria acontecer se ele tivesse ganho.Já viu por acaso a final nacional da Suécia? O maior evento de seleçao tem sempre acusacoes de plagio e acha que o Suecos fazem o nós fizemos? CLARO QUE NAO porque eles sabem o verdadeiro significado de plagio , apoiam os seus cantores e vem primeiros os factos.

      Eliminar
    2. Anónimo19:31

      "Quem estiver de consciência tranquila concorre sem receios"... afirmação muito bonita, mas digna de quem não entende absolutamente nada de marketing pessoal! Uma carreira no mundo do espetáculo vive imenso da promoção e da imagem do artista. Como é lógico, o Diogo decidiu abandonar a competição porque entendeu que isso só lhe traria má publicidade... o público mais vocal, na sua maioria, condenou-o num assunto que não compreende (embora pense que sim) e ele agiu pelo bem da sua carreia, que ao contrário do que dão a entender alguns comentários, é bem mais importante do que uma participação no Festival da Canção. Isso não diz absolutamente nada sobre a sua presunção de culpa! Diz só e apenas que ele e a sua equipa são pessoas sensatas e inteligentes. Mas se o plágio é assim tão difícil de compreender, é natural que isto seja um conceito complicado de entender também...

      Eliminar