[ZONA DE DISCOS #31] Anabela - "Casa Alegre"

Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da Canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. Esta semana o destaque vai para mais recente álbum de Anabela. "Casa Alegre" foi lançado em 2015, mas aproveitando o regresso de Anabela ao Festival da Canção, pensamos que é a altura ideal para recuperar um disco que tem ainda muito para dar e que merece, portanto, ser devidamente descoberto.
O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.

Data de lançamento - março de 2015
Nota: 8/10

Este é o regresso esperado da grande voz que outrora, enquanto mulher adolescente, representou Portugal na Eurovisão e deixou o povo luso orgulhoso com uma canção que se tornou num moderno clássico da música portuguesa. No entanto, a carreira de Anabela rapidamente tomou outros voos e o álbum "A Cidade (até ser dia)" (1993) foi o seu último disco verdadeiramente pop. Em 1996, através de "Primeiras Águas", atingiu a maioridade artística ainda com apenas 19 anos e, em 1998, grava aquele que pode ser considerado o seu melhor trabalho "Origens" e que é a sua primeira verdadeira inserção no universo da world music. "Casa Alegre", de certo modo, e para o mercado estrangeiro, pode também ser apresentado como world music e se tiver uma divulgação que lhe faça justiça, podemos ver "Casa Alegre" ao lado dos últimos discos de Mariza e Carminho que nas listas de vendas internacionais.

"Casa Alegre" parte de uma matriz acústica mas suficientemente ampla para satisfazer, quer os amantes das novas composições do Fado em moldes tradicionais, como acontece com "Fiz dos teus olhos os meus" (letra e música de Miguel Gameiro), quer os apreciadores de um "Fado Crossover", especialmente audível em "O pecado mora ao lado". Temos também uma ligeira inspiração jazzística em "Viagem" ou então os temas verdadeiramente world music como "Dar a Voz" e o contagiante "Oh minhas amigas". "Casa Alegre" vive ainda da comunhão entre a mestria das palavras ("Qualquer alma") e um naipe de músicos que ajudam a tornar este disco uma referência obrigatória para quem aprecia boa música.

Anabela é a voz que todos os portugueses conhecem, que continua inconfundível e que acaba por dar o retoque final e pessoal a todos os temas, fazendo deste disco um dos lançamentos mais importantes de 2015. Anabela, uma voz que já tínhamos saudades de ouvir em disco de longa-duração. Só esperamos que o facto do disco não ser editado por uma multinacional não minimize o potencial que "Casa Alegre" tem.

Anabela está de volta ao Festival da Canção com o tema "Para te dar abrigo". Embora obviamente esse tema não esteja incluído em "Casa Alegre", esta nova participação no mítico concurso da RTP seria / será um ótimo pretexto para a editora Espacial / Full of Stars dar uma nova vida publicitária a esta "Casa Alegre".

Tracklist:
 1. Qualquer alma
 2. Casa alegre
 3. Pedi meu bem
 4. O dia que lá vem
 5. Quem disse
 6. Fiz dos teus olhos os meus
 7. Dar voz
 8. Viagem
 9. Oh minhas amigas
 10. O pecado mora ao lado
 11. Só hoje
 12. Oh minhas amigas (Feat Lura)

 1º vídeo: “O pecado mora ao lado”:

 2º vídeo: “Fiz dos teus olhos os meus”:

 3º Vídeo: “Oh minhas amigas”:
 
4º vídeo: “Casa alegre” 

 Tema destacado por Carlos Carvalho: “Qualquer alma” e “Pedi meu bem”

Pode ouvir o disco AQUI

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIAO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

1 comentário:

  1. Anónimo22:28

    Obrigado por darem espaço à Anabela nesta rubrica! :) Gosto muito desta excelente cantora. Lembro-me de ter comprado a cassete de "A Cidade (até ser dia)" (1993). Lol! O tempo passa tão rápido.... A minha canção favorita desse trabalho é "Balada de abalar". :)

    ResponderEliminar