[ESPECIAL] Portugal: Conheça o percurso dos compositores e intérpretes do Festival da Canção 2018 (Parte 4)


A RTP anunciou no dia 18 de janeiro o nome dos intérpretes que irão defender as composições a concurso na edição deste ano do Festival da Canção. Uma destas equipas irá defender o título alcançado por Salvador Sobral e Luísa Sobral em Kiev, no dia 12 de maio, no Altice Arena, em Lisboa. Fique a conhecê-los.

O ESC Portugal marcou presença na conferência de imprensa que teve lugar no Hub Criativo do Beato, em Lisboa. Com o objetivo de dar a conhecer aos nossos leitores um pequeno resumo do percurso de cada um dos intervenientes do Festival da Canção deste ano, terminamos hoje uma série de 4 artigos, falando das últimas 6 equipas que irão competir na 2.ª Semifinal, a ter lugar no Estúdio 1 da RTP no dia 25 de fevereiro.



Compositor: Diogo Piçarra
Intérprete: Diogo Piçarra
Canção: Canção do Fim

Incontornável e que dispensa grandes apresentações, Diogo Piçarra é um dos maiores nomes da atualidade da música portuguesa. Começou a dar-se a conhecer, com sucesso, através de vários vídeos carregados na plataforma “Youtube” onde interpretava covers de grandes sucessos da música internacional e nacional. Em 2009 participa na 3.ª edição dos “Ídolos” (a mesma de Salvador Sobral) e chega à fase do piano. Em 2010 participa também na 4.ª edição da “Operação Triunfo” mas sem alcançar um resultado assinalável. Foi em 2012 que, finalmente, chegou ao grande público e às luzes da ribalta com a participação na 4.ª temporada dos “Ídolos” que acabou por vencer. Parte para Londres onde estuda na conceituada London Music School, regressando a Portugal após a conclusão do curso, seguindo-se o lançamento do seu álbum de estreia em 2015, “Espelho”, de onde saíram grandes sucessos como “Tu E Eu” e “Verdadeiro”. Segue-se o segundo álbum, “do=s”, lançado no ano passado e onde se repete o sucesso comercial com temas como “Dialeto”, “História”, “Já Não Falamos” e “Só Existo Contigo”. Continuamente apontado como um dos nomes mais desejados pelos fãs portugueses para representar Portugal na Eurovisão, 2018 marca a sua primeira tentativa nesse sentido, com a primeira participação no Festival da Canção.

 



Compositor: Armando Teixeira
Intérprete: Lili
Canção: O Voo das Cegonhas

Armando Teixeira é um produtor e músico português nascido em 1968, em Lisboa. Ao longo da sua carreira integrou várias bandas e projetos musicais, entre os quais se destacam os Da Weasel, Boris Ex-Machina, Balla e Bullet. Em 2005 editou o álbum em nome próprio, “Made To Measure”. Enquanto produtor, trabalhou com nomes como Rui Reininho, Loto, Pilar ou Post Hit. Esta será a sua segunda participação no Festival da Canção, após ter-se feito apresentar em 2012 enquanto compositor e letrista da canção “O Mundo Passa”, interpretada por Vânia Osório.


Liliana Correia, ou mais conhecida como Lili, é a intérprete escolhida por Armando Teixeira para defender a sua composição no Festival da Canção. Enquanto vocalista do grupo Ballerina, venceu um dos prémios imprensa da Blitz. Posteriormente colaborou com Armando Teixeira nos projetos “Bullet” e “Balla”. Esta será a sua estreia no Festival da Canção.




Compositor: João Afonso
Intérprete: Rita Ruivo 
Canção: Anda Daí

João Afonso é um autor e intérprete nascido em Moçambique, em 1965, onde viveu até aos 18 anos de idade. Sobrinho de José Afonso, ou mais conhecido do grande público como Zeca Afonso, foi precisamente ao apresentar novas versões das canções do seu tio, através do projeto “Maio Maduro Maio”, que obteve visibilidade junto do grande público. Estreou-se a solo em 1997 com o lançamento do seu primeiro álbum, “Missangas”. Ao longo da sua carreira, tem trabalhado com vários músicos e intérpretes nacionais como é o caso de José Mario Branco, Amélia Muge, Uxia, Pablo Milanés, Paco Ibañez, entre outros. Esta participação marcará a sua estreia no Festival da Canção.


Rita Ruivo estreou-se aos 4 anos, na Gala Internacional dos Pequenos Cantores da Figueira da Foz, de onde é natural. Começou por gravar música tradicional portuguesa, no disco ‘Ceia Louca’ da Brigada Victor Jara, em 2003. Nesse ano, entrou na escola da Operação Triunfo depois de cantar a Senhora do Almortão, integrando a 2.ª edição deste concurso televisivo da RTP. Continuou a dar voz ao reportório tradicional, foi parte das sete mulheres nas Segue-me à Capela e do projeto DaCorDaMadeira, onde canta atualmente. Gravou jazz vocal com o Jogo de Damas em 2012. O percurso pelo cancioneiro português inspirou a construção de reportório para um concerto de fado tradicional, intitulado Amor e Desamor, em resposta ao convite da Casa da Música em 2013, na cidade do Porto onde reside. Doutorou-se em Engenharia Química e exerceu investigação nessa área durante 9 anos. Exerce desde 2016 investigação em Ciências da Educação e Psicologia para a Educação Ambiental, paixão já antiga que trazia pelas ciências sociais e humanas. Este ano será a sua estreia no Festival da Canção.




Compositora: Isaura
Intérprete: Cláudia Pascoal
Canção: O Jardim

Isaura é um dos novos nomes mais sonantes da música portuguesa atual. Estreou-se em 2014 com o tema “Useless”, que cativou as atenções do público, somando mais de 100 mil visualizações no Youtube. Segue-se “Change It”, novo tema lançado em 2015 e que a levou aos palcos de diversos festivais como Super Bock Super Rock, Rock in Rio Lisboa, NOS Alive, Bons Sons e MED. Foi nomeada para a categoria “Revelação” nos Portugal Festival Awards. Fez um dueto com Diogo Piçarra em “Meu É Teu”, participando posteriormente em vários espetáculos do músico. O Festival da Canção 2018 marcará a sua estreia na final nacional portuguesa para a Eurovisão.


Cláudia Pascoal tem 23 anos de idade e foi uma das revelações da última edição do “The Voice Portugal”. Natural de Gondomar, a música é algo que faz parte da sua essência desde sempre. Aos 15 anos de idade começa a tocar guitarra e tem um álbum composto por si, mas ainda não lançado por falta de apoio necessário para a sua concretização. Mais uma estreia no Festival da Canção.




Compositor: Bruno Cardoso
Intérprete: Sequin
Canção: All Over Again

Bruno Cardoso, artisticamente mais conhecido por Xinobi, é mais um dos nomes a estrear no Festival da Canção. Inspirado pela música e pelo cinema, é nos géneros Disco, House, Electro e Techno que se aventura e que produz grande parte da sua música. Estreou-se profissionalmente na música em 2008, contando já com dois trabalhos discográficos lançados, “1975”, em 2014, e o mais recente “On The Quiet”, em 2017. Ao trabalho de músico, junta-se o de DJ e editor na Discotexas, etiqueta que fundou juntamente com Moullinex.


Ana Miró é o nome de batismo da cantora Sequin. Apelidada de “menina” da elétronica, enche a sua música de influências orientais e de lantejoulas. Lançou o seu primeiro álbum em 2014, “Penélope”, com 25 anos de idade, após pertencer a vários projetos musicais como “The Ballis Band”, “Heats” e “Jibóia”. Alguns dos temas mais irreverentes que se poderão encontrar neste trabalho incluem “Beijing”, “Origami Boy” e “Hikaru Garden”, com um marcado traço oriental. De resto, esta será a sua estreia no Festival da Canção.




Compositora: Aline Frazão
Intérprete: Susana Travassos
Canção: A Mensageira

Aline Frazão é um dos nomes mais sonantes da nova geração de músicos angolanos. Nascida em Luanda, onde ainda hoje reside, em 1988. É cantora, compositora e guitarrista, lançando o seu álbum de estreia em 2011, “Clave Bantu”. O segundo álbum seguiu-se em 2013, “Movimento”, destacando-se os temas “Ronda” e “Desassossego”. Em 2015 segue-se o terceiro álbum, “Insular”, contando com a colaboração de Capicua. Esta será a sua estreia no Festival da Canção.


Susana Travassos é natural do Algarve, estreando-se este ano no Festival da Canção. Uma carreira musical que começou em 2008 com o lançamento do álbum “Oi Elis”, tem passado grande parte da sua vida no Brasil, onde tem feito trabalhado com artistas como Zeca Baleiro, Fagner, Toninho Horta, Xico César, entre outros. Em fase de pré-lançamento está o seu terceiro trabalho, de temas originais, gravado em Buenos Aires.



Esta e outras notícias no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!

Fonte: ESCPortugal / Imagens: RTP & ESCPortugal / Vídeos: Youtube

2 comentários:

  1. Anónimo22:26

    Saudades da Ritinha da Operação Triunfo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. rita ruivo marques15:15

      obrigada! há 15 anos, na 2ª edição da operação triunfo na RTP.. foi em 2003 :
      www.youtube.com/watch?v=fwZh9WPH5_k
      até breve

      Eliminar

Temas em Destaque