[ESPECIAL] Portugal: Conheça o percurso dos compositores e intérpretes do Festival da Canção 2018 (Parte 3)



A RTP anunciou no dia 18 de janeiro em conferência de imprensa o nome dos intérpretes que irão defender as composições a concurso na edição deste ano do Festival da Canção. Uma destas equipas irá defender o título alcançado por Salvador Sobral e Luísa Sobral em Kiev, no dia 12 de maio, no Altice Arena, em Lisboa. Fique a conhecê-los.

O ESC Portugal marcou presença na conferência de imprensa que teve lugar no dia 18 de janeiro no Hub Criativo do Beato, em Lisboa. Com o objetivo de dar a conhecer melhor aos nossos leitores o percurso de cada um dos intervenientes do Festival da Canção deste ano, partilhamos hoje a terceira parte de uma série de 4 artigos, hoje focada em 7 equipas que irão competir na 2.ª Semifinal, a ter lugar no Estúdio 1 da RTP no dia 25 de fevereiro


Compositora: Capicua
Intérprete: Tamin
Canção: Sobre Nós

Ana Matos Fernandes, mais conhecida no mundo da música como Capicua, é uma rapper portuguesa natural do Porto. Licenciada em Sociologia no ISCTE e doutorada em Geografia Humana em Barcelona, deixou o seu amor pela música e pelo rap falar mais alto. Desde muito jovem que cultiva o gosto pelas rimas e de… capicuas. Descobre o Hip Hop com 15 anos de idade. Edita dois EP’s em grupo, “Syzygy" e “Mau Feitio” em 2006 e 2007, respetivamente. Em 2008 inicia o seu caminho a solo, com a aclamada mixtape “Capicua goes Preemo”, seguindo-se inúmeras colaborações com os mais conceituados DJ’s e produtores de Hip Hop nacionais. O seu primeiro álbum em nome próprio “Capicua” chega em 2012, de onde saiu o sucesso “Maria Capaz”. Em 2014, no seu segundo álbum de estúdio segue-se novo sucesso, “Vayorken”, conseguindo-se afirmar como um dos nomes mais sonantes do hip-hop português.


Tamin, é a vocalista dos “Cais Sodré Funk Connection”, um projeto musical de funk e soul nascido no bairro lisboeta do mesmo nome. Tamin inúmera Soul, Neo, RnB, Funk, Jazz e Fado como os estilos musicais que gosta de interpretar, “Mão Negra” e “Like No Other” são apenas alguns dos temas que canta enquanto vocalista do grupo. Esta será a sua estreia no Festival da Canção.




Compositor: Miguel Ângelo
Intérprete: Dora Fidalgo
Canção: Arco-Íris

Miguel Ângelo da Costa Magalhães, ou simplesmente Miguel Ângelo, é um cantor e escritor português nascido em 1966. No início dos anos 80 foi um dos fundadores do grupo “Delfins”, um dos grupos mais importantes e influentes da música portuguesa durante os anos 90 e início dos anos 2000. Em 1985, com os “Delfins”, participa no Festival da Canção com o tema A Casa da Praia. Terminou o curso de Arquitetura em 1989 e chega a exercer até meados dos anos 90, altura em que passa a dedicar-se exclusivamente às artes perfomativas e, mais especificamente, à música. Para além da notoriedade enquanto cantor, é também conhecido por dar vozes a personagens de animação.


Dora Fidalgo não é nenhuma estranha nas lides festivaleiras. Em 1989, enquanto corista dos Da Vinci, vence o Festival da Canção com o eterno 'Conquistador', indo representar Portugal a Lausanne, Suíça, nesse mesmo ano. No início dos anos 90 junta-se aos Delfins, integrando o grupo até ao final da mesma década, altura em que decide parar para ser mãe. Esta será a sua 2.ª participação no Festival da Canção, desta feita numa posição de destaque, enquanto intérprete.




Compositor: Peter Serrado
Intérprete: Peter Serrado
Canção: Sunset


Peter Serrado é um dos 3 participantes no Festival da Canção provenientes dos concursos abertos promovidos pela Antena 3. Nascido em Toronto, no Canadá, é filho de pais portugueses, do Alentejo. Começou a cantar com apenas 5 anos de idade, mas só aos 18 começou a considerar fazer da música a sua carreira depois de vencer num concurso da comunidade local. Começou desde então a compor as suas próprias músicas e já participou em vários concursos tais como o Long and Mcquade Singing Contest ou o CNE Rising Star. Estuda Direito, mas sonha um dia poder viver da música.





Compositor: Paulo Flores
Intérprete: Minnie & Rhayra
Canção: Patati Patata


Paulo Flores é um dos representantes dos PALOP da edição deste ano do Festival da Canção. Nascido em Luanda, em 1972, é um dos grandes nomes da música angolana. Mudou-se para Lisboa durante a sua infância e iniciou a sua carreira artística em 1988 enquanto compositor de kizomba, posteriormente adotando o estilo Semba. As suas canções são sobejamente conhecidas por tratarem de diversos temas de relevo da sociedade angolana.



Minnie & Rhayra é a dupla que irá defender a proposta de Paulo Flores no Festival da Canção 2018. Yasmeen Ribeiro Caetano, nome artístico Minnie, pisará o palco do Festival da Canção pela primeira vez, assim como a sua colega de dueto, Rhayra, que participou no “The Voice Angola” em 2015 e fez parte da equipa de Paulo Flores, chegando até às galas ao vivo.






Compositora: Francisco Rebelo
Intérprete: David Pessoa
Canção: Amor Veloz


Francisco Rebelo é músico e produtor. Nascido em 1963, conta já com mais de duas décadas de atividade na música. Iniciou a sua formação musical no Hot Club de Jazz em 1991 e entretanto tem colaborado com vários dos maiores nomes da música em Portugal, tais como Sam The Kid, Aline Frazão, Mind da Gap, Boss AC, Rádio Macau, Black Company, entre outros. É um dos grandes responsáveis por detrás dos “Orelha Negra” e faz parte também do projeto “Cais Sodré Funk Connection”. Em 2017 foi produtor dos medleys apresentados durante a final do Festival da Canção.


Em 1994, quando em plena adolescência, David Pessoa parte para os Estados Unidos com os seus pais, o seu caminho muda para sempre. Influenciado pelas sonoridades Blues, Gospel, Southern Rock e Soul Music caraterísticos da costa este dos EUA, desperta para a música influenciado pelas sonoridades afro-americanas profundamente vincadas na região onde vivia. Começa a fazer parte de bandas locais e começa a escrever os primeiros temas. De regresso a Portugal, escolhe a Arquitetura como profissão até que, em 2010, decide definitivamente abraçar de vez o seu amor pela música e fazer dela a sua vida. Lançou o seu primeiro single em 2014, intitulado Ainda Temos Tempo.






Compositora: Tito Paris
Intérprete: Maria Inês Paris
Canção: Bandeira Azul

Tito Paris, de nome Aristides Paris, nasceu em Cabo Verde em 1963, sendo músico e cantor radicado em Lisboa. Um dos maiores e mais consagrados nomes da música cabo-verdiana , é responsável por vários temas imortalizados nos seus vários trabalhos discográficos já lançados. Em 2017 recebe a Ordem do Mérito pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, pelo efeito unificador da sua música entre todos os países de língua portuguesa. Lançou nesse mesmo ano o seu último e mais recente trabalho “Mim ê Bô” que conta com a participação de Boss AC e do músico brasileiro Zeca Baleiro. Este será a sua estreia no Festival da Canção.



Maria Inês Paris é sobrinha de Tito Paris e também foi uma das concorrentes da última edição do “The Voice Portugal”. Tem um banda composta por primos e amigos de nome “General Cachaça”, toca piano e guitarra e, para além do canto, também nutre uma profunda paixão pela dança. Esta será, tal como o seu tio, a sua estreia no Festival da Canção.






Compositora: Daniela Onis
Intérprete: Daniela Onis
Canção: Para Lá Do Rio

Daniela Onis é mais uma das 3 representantes provenientes dos concursos abertos da Antena 3 para o Festival da Canção. Nascida em Lisboa, viveu e cresceu em Odivelas toda a sua vida. É licenciada em Turismo e Teatro e, para além de cantora, é também atriz. Trabalha em televisão, cinema e dobragens e nutre um gosto especial pela escrita. Ao aventurar-se em criar os seus próprios temas, decidiu participar no programa “Master Class” da Antena 1, tendo, por esta via, sido selecionada como uma das compositoras do Festival da Canção 2018.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESC Portugal / Imagens: ESC Portugal & Google / Vídeos: Youtube

1 comentário:

Temas em Destaque