[ZONA DE DISCOS #24] Sergio Dalma - "Via Dalma III"

Todas as semanas no ESCPORTUGAL, a crítica aos álbuns editados por artistas que participaram no concurso Eurovisão da canção e/ou seleções nacionais ao longo dos anos. Esta semana o destaque vai para o mais recente disco de Sergio Dalma.
 O responsável da rubrica é Carlos Carvalho.


Data de lançamento: 06 de outubro de 2017
Nota: 4/10

Depois de dois capítulos extremamente bem-sucedidos – “Via Dalma” (2010; #1; 6x platina) e “Via Dalma II” (2011; #1; 4x platina) – Sergio Dalma continua a sua saga de homenagem à música italiana com “Via Dalma III”. À semelhança dos capítulos anteriores, o cantor espanhol de timbre italiano, que outrora representou a Espanha na Eurovisão em solo italiano, apresenta uma série de versões de temas que se tornaram marcos na história musical do século XX, muitas delas originais e popularizadas por nomes que nos são verdadeiramente familiares, tais como Domenico Modugno (ESC 58, 59 e 66), Nicola Di Bari (ESC 72), Ricchi e Poveri (ESC 78), Matia Bazar (ESC 79) e Toto Cutugno (ESC 90).

 “Via Dalma III” pode ser fruído partindo de dois distintos preceitos: 1º) ouvimos “Via Dalma III” como sendo simplesmente o novo disco de Sergio Dalma; ou, 2º) ouvimo-lo tendo como referência as versões originais dos temas. Esta crítica foi elaborada seguindo o segundo princípio e Sergio Dalma saiu claramente a perder, principalmente nos temas de Drupi (“Pequeña Y Frágil” e “Vado Via”), faltando a intensidade vocal dos originais. Nos restantes temas, as comparações com as versões italianas foram também inevitáveis e nem a produção de Claudio Guidetti conseguiu fazer de “Via Dalma III” um disco marcante.

Será “Via Dalma III” um trabalho menor? O público espanhol contesta categoricamente tal hipótese, colocando o álbum no #1 do top de vendas nacional por duas semanas. A 9 de janeiro de 2018, o disco encontra-se ainda no #8, contabilizando 11 semanas no top 10 (12 no top 15) e um disco de ouro (20 000 cópias).

Estará um “Via Dalma IV” em preparação? Quem sabe, até porque é um conceito de fácil operacionalização e Sergio Dalma pertence à primeira liga dos cantores espanhóis, o que nos garante a priori uma qualidade interpretativa, mas preferimos ouvi-lo através das sua própria obra, sem necessidade de recorrer uma vez mais ao manual de História da pop italiana. Vamos “dar a César o que é de César”.

Tracklist (com indicação das versões originais entre parêntesis)
1-                    “Solo Tú” (“Solo Tu” - Matia Bazar - 1977)
2-                    “Mia” (“Donna, donna mia” - Toto Cutugno - 1983)
3-                    “Este Amor No Se Toca” (“Questo Amore Non Si Tocca” - Gianni Bella - 1981)
4-                    “Necesito Un Amigo” (“Ci Vorrebbe Un Amico” - Antonello Venditti – 1984)
5-                    “Volare” (“Volare” - Domenico Modugno – 1958)
6-                    “Yo Que No Vivo Sin Ti” (“Io Che Non Vivo Senza Te” - Pino Donaggio – 1965)
7-                    “Toda la vida” (“Tutta La Vitta” - Lucio Dalla – 1984)
8-                    “Será porque te amo” (“Sera Porque Te Amo” - Ricchi e Poveri – 1981)
9-                    “Amores” (“Quanti Amori" - Toto Cutugno )
10-                 “Pequeña Y Frágil” (“Piccola e Fragile” - Drupi – 1974)
11-                 “Vado via” (“Vado Via” - Drupi – 1973)
12-                 “Trotamundos” (“Trotamundos” - Nicola di bari – 1968)


Primeiro vídeo promocional: “Solo tú”



 Segundo vídeo promocional: “Este amor no se toca”



 Tema destacado por Carlos Carvalho: “Será porque te amo”



Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: OPINIAO CARLOS CARVALHO / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

Sem comentários