Portugal: Bilhetes para a Eurovisão estarão a gerar um mercado ilegal com preços exorbitantes

A entrada no mercado da venda de bilhetes para o Festival Eurovisão 2018 de empresas de revenda com preços exorbitantes e os constantes bloqueios da plataforma oficial de venda, estão a gerar uma onda de indignação. A RTP alerta os interessados para que comprem os ingressos apenas nos sítios oficiais.

As duas primeiras fases de venda de bilhetes para o Festival Eurovisão da Canção 2018 esgotaram em pouco tempo, com o site oficial de venda, e seus parceiros, a terem sucessivos bloqueios, deixando os interessados à beira de um ataque de nervos! Na passada quarta-feira, a RTP, através do sítio oficial blueticket, pôs à venda mais alguns lugares e a polémica começou já aí: não obstante a data oficial ter sido anunciada como sendo o dia 20, no dia anterior a FNAC vendeu alguns bilhetes através da sua bilheteira online, tal como publicámos AQUI, o que motivou uma série de reclamações. No dia seguinte, pelas 10 horas, o site oficial blueticket, bem como os seus parceiros, sofreram ao longo do dia sucessivos bloqueios, tendo vários leitores informado o ESCPORTUGAL que conseguiram comprar bilhetes nessas plataformas e nas lojas físicas mesmo depois dos bilhetes terem sido anunciados como estando esgotados. Por outro lado, apesar de ter sido anunciado que seriam vendidos lugares de todas as categorias,  isso alegadamente não aconteceu. O ESCPORTUGAL não conseguiu uma informação oficial sobre este assunto.

Uma aparente novidade é a entrada neste mercado de empresas de revenda que conseguem o que o público em geral não consegue: adquirir um elevado número de bilhetes, com a agravante de, depois, os colocarem à venda a preços exorbitantes. No nomento em que escrevemos este artigo, há bilhetes que, pelo site oficial têm um custo aproximado aos 100 Euros e que, agora, ali aparecem com valores superiores a 500 Euros, como pode ver AQUI.

O Correio da Manhã publicou, esta manhã, um artigo sobre este assunto. Segundo a lei portuguesa, esta atividade constitui um crime de especulação, que se verifica "sempre que a venda de bilhetes seja efetuada por valor superior ao dele constante, traduzindo-se num lucro ilegítimo obtido por um terceiro que em nada contribuiu para a organização ou realização do evento". Fonte da ASAE esclareceu a este jornal que "se os domínios destes sites não estão alojados em Portugal", como se verifica neste caso, "as autoridades nacionais não podem atuar diretamente". No entanto, a mesma fonte garante que "pode existir cooperação entre autoridades de vários países para fazer face a esta situação". A Blueticket garante, ao Correio da Manhã, "não poder controlar o uso que é dado aos bilhetes comprados na sua plataforma e alerta para a possibilidade de alguns ingressos vendidos na ‘candonga’ serem falsos". Por esse facto, "os detentores de títulos não válidos não poderão aceder ao evento".

A RTP não emitiu qualquer informação sobre esse assunto, nem esclareceu quantos bilhetes foram efetivamenre vendidos e quantas fases de vendas seguir-se-ão. A este jornal, a televisão pública alerta os interessados para que comprem os ingressos "apenas nos sítios oficiais".

O canal espanhol La Sexta emitiu uma reportagem sobre a revenda de bilhetes em todo o mundo, concluindo tratar-se de um negócio que move mais de 1000 milhões de Euros. Pode ver essa reportagem AQUI. Fazendo uma simples pesquisa online, em vários foruns e grupos de facebook várias pessoas informam que foram vítimas de bilhetes falsos vendidos nessas plataformas de revenda e que, depois, não conseguiram ter acesso a concertos e a grandes festivais realizados em Portugal.


Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: CORREIO DA MANHÃ, ESCPORTUGAL / Imagem: GOOGLE

12 comentários:

  1. Sou fã e após as 2 tentativas falhadas de comprar 1 bilhete golden circle, aceito ver a final em direto na RTP com a condição de vibrar com a Dulce Pontes a cantar Amor a Portugal, logo a abrir!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui Ramos21:50

      Excelente ideia

      Eliminar
    2. Anónimo23:47

      Claro que não!!! Antiquado!!

      Eliminar
  2. Anónimo14:57

    Não dizem nada, não fazem nada ... enfim, os fãs ficam em casa porque não conseguem comprar bilhetes e os criminosos ficam com o bolso cheio de dinheiro a vender bilhetes falsos. Acho que vai ser magnifico ver o recinto com manchas vazias de publico na grande noite ...

    ResponderEliminar
  3. Ricardo Alves15:54

    A Blueticket nao tem servidor capaz de receber tantos pedidos ao mesmo tempo, por isso bloqueia. O funcionario da loja que me estava a tentar vender, estava sempre a rogar pragas, disse que a blueticket acontece sempre o mesmo, sempre que ha um mega concerto.

    ResponderEliminar
  4. Marie16:48

    é uma das piores experiências que já tive - eu sou um fã da Eurovisão e sempre fui, mas não vou tentar por ingressos para as semifinais depois de passar 10 horas on-line e chegar ao último minuto antes de eu estar informado de que os ingressos foram vendidos Fora

    ResponderEliminar
  5. Bem, o que é um bocado estranho aqui é o facto de estes "sites/empresas" terem conseguido acesso para comprar e o comum dos mortais não... se bem que sempre achei que mais e 80000 pessoas em fila de espera era no mínimo estranho... possivelmente metade eram IPs falsos... aqui sim, deveria haver maior controlo...

    Mas depois a questão que se impõe é... quem alimenta isto são os próprios fãs!!... quer dizer eu gosto do ESC mas pagar uma renda de casa para 4 horas de espetáculo é um abuso... prefiro comprar uma viagem, mas isto sou eu...

    ResponderEliminar
  6. A maioria desses bilhetes são falsos, o melhor mesmo é nem tentar.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo20:57

    Eu por exemplo já comprei bilhetes para o Júri Show onde não queria, pois a bancada que queria não estava disponível para venda, o que não sabia pois havia me dito que a empresa iria vender tudo. Assim sendo, se comprar o q eu quero vou vender o outro.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo20:57

    Eu por exemplo já comprei bilhetes para o Júri Show onde não queria, pois a bancada que queria não estava disponível para venda, o que não sabia pois havia me dito que a empresa iria vender tudo. Assim sendo, se comprar o q eu quero vou vender o outro.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo09:59

    Muito bem. Ha que denunciar

    ResponderEliminar
  10. Anónimo11:16

    As oportunidades de arranjar bilhetes são a meu ver raríssimas

    ResponderEliminar