Philip Kirkorov: "Aceitei o convite de um país que é solidário com a política do meu presidente"


Philip Kirkorov está novamente na corrida pelo Festival Eurovisão 2018, depois de ter afirmado que nunca mais voltaria ao certame: "Aceitei o convite porque veio de um país que é solidário com a política do meu presidente".

Depois de ter participado pela última vez no Festival Eurovisão em 2016 quando foi responsável pela atuação de Sergey Lazarev, Philip Kirkorov está novamente na corrida pelo Eurovision Song Contest 2018, contrariando as declarações da altura. "Não vejo mais sentido na minha participação no concurso. Fiquei desapontado com isto" afirmou momentos depois da vitória ucraniana, apesar da Rússia ter sido a favorita do televoto.

Apesar de exigir uma mudança nas regras do concurso para o seu regresso, Philip Kirkorov revelou, recentemente, que está novamente na corrida pelo certame, não revelando contudo o país em questão (AQUI). O Azerbaijão, país que será representado por Aisel, é a hipótese mais convincente, teoria que ganhou mais intensidade após as declarações de Kirkorov ao jornal KP: "Concordei e aceitei o convite de um país que é solidário com a política do meu presidente. Caso contrário, eu não defenderia qualquer outra bandeira. Espero que este ano a Rússia seja finalmente apreciada".

A confirmar-se a participação no Festival Eurovisão, esta não será a primeira vez que Philipp Kirkorov trabalhará para outra delegação, sem ser a russa: em 2005 e 2007 esteve envolvido na participação da Bielorrússia, sendo que, em 2008, foi um dos compositores de Shady Lady, representante da Ucrânia. Além disso, Kirkorov também representou a Rússia como cantor na segunda participação do país no concurso europeu, em 1995, com Kolybelnaya Dlya Vulkana, terminando em 17º lugar na final com apenas 17 pontos, sendo a pior classificação de sempre do país.


Esta e outras notícias também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: eurovoix / Imagem: vladtime / Vídeo: Eurovision.tv

6 comentários:

  1. Nunca mais nos livramos desta personagem yuck...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo17:03

    Lembrei-me agora... então e a Yulia Samoylova? Qual é o ponto da situação, vem ou não vem?

    ResponderEliminar
  3. Anónimo17:03

    A verdade e que as musicas que ele compoem trazem muito a Eurovisão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo21:46

      Muito azeite?

      Eliminar
    2. Anónimo07:54

      A canção de 2016 era uma ótimo show visual, mas muito fraquinha como canção.

      Eliminar
    3. Anónimo17:45

      Mas é o lado visual que impressiona os que mais apreciam a Eurovisão pelas piores razões ... e nesse aspeto este Kirkorov aposta a 200% ... ou seja conteúdo musical nulo mas muito show que hipnotiza o olhar de quem não sabe/não quer saber ouvir ... O que mais me choca nisto é a arrogância desta homem de que o mundo eurovisivo tem que girar à sua volta como uma criança egocêntrica e imatura e, para agravar o cenário, ele só trabalha com países que apoiam a didatura e a homofobia de Vladimir Putin??? Quando pensas que o absurdo não pode bater mais fundo, surpreendes-te sempre ... Lamentável!

      Eliminar