O ESCPortugal recolheu, para si, algumas das mais interessantes curiosidades sobre o Festival Eurovisão Júnior 2017, certame que decorreu ontem em Tbilisi.

Sabia que a Rússia venceu o Festival Eurovisão Júnior 2017 com uma pontuação mais pequena que a do ano passado, quando terminou em 4.º lugar? Ou que a ARJ Macedónia terminou em 12.º lugar pela 6.ª vez em 7 edições consecutivas? E que apenas dois países conquistaram a sua pior classificação de sempre? 

Aceda a essas e a mais curiosidades sobre o Junior Eurovision Song Contest 2017 de seguida:

Depois de dez participações dentro do top7 após a vitória em 2006, a Rússia voltou a vencer o Festival Eurovisão Júnior com Polina Bogusevich e "Wings". Contudo, esta não é a maior marca do país: em 2016, o grupo Water of Life Project arrecadaram 202 pontos, mais 14 que Polina em Tbilisi.

É a primeira vez desde a imposição de um sistema de votação repartido que o vencedor do Festival Eurovisão Júnior não vence nenhuma das vertentes da votação: Polina foi 2.ª nos júris nacionais e ficou em 6.º lugar na votação online. Desde a criação do concurso, o vencedor nunca havia ficado fora do pódio do público: o pior resultado havia sido conquistado por Itália em 2014, em que Vincenzo Cantiello apenas conquistou o terceiro posto no público.


Com a vitória em Tbilisi, a Rússia torna-se o segundo país com maior sucesso no Festival Eurovisão, com duas vitórias e dois segundos lugares. A Geórgia continua na liderança com 3 vitórias e 2 segundos lugares, enquanto a Bielorrússia desce para a terceira posição (com 2 vitórias, 1 segundo e 2 terceiros lugares) e Malta ocupa a 4.ª posição com duas vitórias.

Os três pontos que separaram as candidaturas da Rússia e da Geórgia é a margem de vitória mais pequena do concurso desde 2010, ano em que a Arménia roubou o título à Rússia por apenas 1 ponto.

Pela 12.ª vez em 15 edições, o vencedor do Festival Eurovisão Júnior atuou na segunda parte do alinhamento. As três excepções aconteceram em 2003 e 2008, com a Croácia e a Geórgia a atuarem na 2.ª e na 6.ª posição, respetivamente, enquanto a Holanda venceu o certame em 2009 a atuar na 7.ª posição entre 13 países.

Além disso, esta foi a primeira vez que a língua russa venceu o concurso em conjunto com o inglês. O russo havia vencido a solo entre 2005 e 2007 e o inglês contava com seis vitórias: a solo em 2013 e 2015 e em bilingue em 2009, 2011, 2012 e 2014.


A Geórgia igualou o melhor resultado alcançado por um país anfitrião do concurso: em 2013, a Ucrânia também conquistou a segunda posição em Kiev, ficando a 9 pontos da vitória. Esta é a segunda vez que a Geórgia alcança o segundo lugar depois de ter vencido a edição do ano anterior, repetindo-se a história de 2011 e 2012.


A concurso pelo terceiro ano consecutivo, a Austrália voltou a conquistar a sua melhor classificação. O 3.º posto alcançado por Isabella Clarke com "Speak Up" é a melhor classificação, mas os 172 pontos alcançados não superam os 202 arrecadados por Alexa Curtis no ano passado, tendo terminado em 5.º lugar.


Vencedora da votação online da edição, a Holanda conquistou o melhor resultado desde 2011, ano em que terminou em 2.º lugar. Contudo, os 156 pontos que deram o 4.º lugar aos Fource foram insuficientes para superar a marca de 174 pontos alcançada pelas Kisses no ano passado.


A Arménia ficou fora do pódio pela primeira vez desde 2013, sendo a quarta vez desde a sua estreia em 2007 que o país falha as três primeiras posições.

O 8.º lugar com 138 pontos de Alicja Rega e "Mój Dom" é o melhor resultado da história da Polónia no Festival Eurovisão Júnior 2017.


Apesar de ter sido o 2.º país mais votado pelo público, o 13.º lugar na votação dos jurados empurrou Malta para o 9.º lugar da geral, sendo o pior resultado do arquipélago desde o seu regresso em 2013.



Depois de dois últimos lugares consecutivos, a ARJ Macedónia escapou aos últimos lugares da competição pelo segundo ano consecutivo, terminando novamente em 12.º lugar. De realçar que, nas últimas sete edições em que marcou presença, a ARJ Macedónia terminou em 12.º lugar por seis ocasiões. Aliás, com treze participações desde 2003, o país soma já sete vezes o 12.º posto no curriculum.

Mariana Venâncio e "Youtuber" conquistaram o 14.º lugar com 54 pontos para Portugal, tornando-se a melhor classificação do nosso país na competição infantil, deixando para trás o 14.º posto de Pedro Madeira em 2006 com 22 pontos. Além disso, esta foi a primeira vez que Portugal recebeu pontos de três países na competição (Arménia, Geórgia e Itália): em 2006, apenas Espanha e Malta votaram na candidatura portuguesa, enquanto que Jorge Leiria, em 2007, foi pontuado pela Arménia e por Chipre.


Pela primeira vez, os 12 pontos de Portugal não rumaram à Bielorrússia, mas, pela segunda participação consecutiva, o vencedor do Festival Eurovisão Júnior recebeu a pontuação máxima de Portugal. A única vez que a votação portuguesa não deu a pontuação máxima ao vencedor foi em 2006, quando as gémeas russas ficaram na segunda posição do televoto português.

A Bielorrússia (34), a Rússia (28), a Ucrânia (12) e a Sérvia (11) são os países que foram pontuados por Portugal nas três edições em que o nosso país marcou presença.


Com apenas três participações no concurso, a Irlanda conquistou a sua pior classificação de sempre ao terminar em 15.º lugar com 54 pontos. A anterior marca era o 12.º lugar da estreia, em 2015, com 36 pontos.


Apesar de ter repetido a classificação do ano passado, em que ficou em 16.º lugar com 27 pontos, Chipre ficou pela primeira vez em última lugar no Festival Eurovisão Júnior, terminando no 16.º posto com 45 pontos.

Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: ESCPortugal /Imagem/Vídeo: JuniorEurovision.tv

0 comentário(s):

Enviar um comentário

Temas em Destaque

 
Top