Trinta países confirmados provisoriamente e três países oficialmente de fora: é este o atual cenário do Festival Eurovisão 2018. Contudo, muitos outros países já deixaram algumas pistas sobre como será o seu futuro no concurso.

A poucos mais de duas semanas do prazo para a entrega das pré-inscrições junto da EBU/UER (15 de setembro), o Festival Eurovisão 2018 conta com 30 países provisoriamente confirmados, isto é, 30 países já anunciaram publicamente a intenção de participarem, sendo que o número poderá vir a ser bastante superior... Contudo, até 10 de outubro, data máxima em que um país pode retirar a inscrição sem sofrer qualquer penalização do organismo máximo do certame, a lista continuará provisória e só posteriormente será revelada a lista oficial de participantes.

No entanto, o ESCPortugal pôs mãos à obra e reuniu as informações de 51 países que poderiam fazer-se representar no Festival Eurovisão em 2018: 30 já confirmaram, 4 estão indecisos, 6 manifestaram interesse mas não confirmaram, 2 poderão ficar de fora, 3 estão oficialmente de fora, 1 poderá estrear-se e 6 ainda não deram qualquer informação sobre a competição. Saiba tudo de seguida:


Países provisoriamente confirmados (30):

Alemanha (AQUI)
Depois de três anos a ocupar os últimos lugares da tabela, o chefe de entretenimento da ARD descartou a possibilidade de desistir do Festival Eurovisão e garantiu a concentração de esforços na reformulação da final nacional alemã.

Arménia (AQUI)
O Conselho de Administração da AMPTV aprovou a participação do país no Festival Eurovisão 2018. Contudo, até ao momento, não foi revelado qualquer pormenor sobre o processo de seleção dos candidatos.

Austrália (AQUI)
Apesar da criação do Eurovision Asia Song Contest (AQUI), a Austrália continuará a concurso no Festival Eurovisão 2018. A SBS, emissora do país, confirmou a participação em Lisboa, havendo o desejo de realizar uma final nacional num futuro próximo (AQUI).

Áustria (AQUI)
A emissora estatal da Áustria revelou que o seu representante em Lisboa voltará a ser escolhido internamente. As inscrições estão abertas até ao final do mês de agosto, não havendo qualquer informação sobre a data do anúncio do escolhido.

Azerbaijão (AQUI)
Sem qualquer detalhe sobre o processo de seleção, a emissora azeri apenas confirmou a participação no Festival Eurovisão em 2018. Contudo, o país poderá voltar a utilizar a seleção interna, algo que acontece desde 2015.

Bielorrússia (AQUI)
Confirmada a participação no Eurovision Song Contest 2018, os representantes da Bielorrússia em Lisboa deverão voltar a ser eleitos pelo Eurofest, final nacional do país em anos anteriores.

Bélgica (AQUI)
A cargo da emissora VRT, a Bélgica voltará a escolher os seus representantes de forma interna. No país, o interesse pelo Festival Eurovisão cresceu e diversos artistas já manifestaram o desejo de rumar a Lisboa em maio (AQUI).

Chipre (AQUI)
Ainda antes da prestação de Hovig em Kiev, o chefe de delegação do país revelou que Chipre iria selecionar os seus candidatos para 2018 através de uma final nacional, depois de dois anos de seleções internas. Mais recentemente, rumores avançaram que um compositor seria o responsável pela candidatura, havendo apenas seleção aberta do candidato (AQUI), algo que não foi confirmado nem desmentido pela CyBC.

Dinamarca (AQUI)
Com inscrições abertas a compositores nacionais e internacionais até 15 de setembro, a Dinamarca escolhe os seus representantes para o Festival Eurovisão 2018 a 10 de fevereiro com o Dansk Melodi Grand Prix 2018.

Espanha (AQUI)
Sem grandes detalhes, Ana María Bordas, a nova chefe de delegação espanhola, revelou, no Twitter, que a emissora já está a preparar a participação no Festival Eurovisão 2018.

Estónia (AQUI)
Com a confirmação efetuada antes do certame em Kiev, a Estónia selecionará os seus representantes para o Festival Eurovisão de 2018 a 3 de março, data da Grande Final do Eesti Laul.

Finlândia (AQUI)
A Finlândia tornou-se o primeiro país confirmado no Eurovision Song Contest 2018 ao revelar a utilização do UMK como final nacional pelo sétimo ano consecutivo. As candidaturas deverão ser enviadas entre 1 e 4 de setembro, não havendo ainda data para a competição (AQUI).

França (AQUI)
Depois de diversas seleções internas, a emissora francesa selecionará os seus representantes para Lisboa através de uma final nacional dirigida pela Endemol. As canções deverão ser interpretadas maioritariamente em francês, não tendo ainda sido revelado o número de galas e a data das mesmas.

Geórgia (AQUI)
Apesar de estar a atravessar a pior fase de resultados da sua história, a Geórgia já confirmou a participação no Festival Eurovisão 2018, mas não revelou qualquer detalhe sobre o processo de seleção.

Holanda (AQUI)
A emissora AVROTROS confirmou a participação em Lisboa, recusando adiantar pormenores sobre o processo de seleção, apesar de ser espectável o recurso à escolha interna. Alain Clark (AQUI), Caro Emerald (AQUI) e a luso-descendente Romy Monteiro (AQUI) são alguns dos cantores que já manifestaram interesse em participar no certame pela Holanda.

Irlanda (AQUI)
A emissora estatal irlandesa RTÉ confirmou, oficialmente, a participação na próxima edição do Festival Eurovisão, mas recusou-se avançar com pormenores sobre a seleção dos representantes. 

Islândia (AQUI)
Fora da Grande Final desde 2014, a Islândia voltará a escolher os seus representantes através do Söngvakeppn. A Grande Final decorrerá a 3 de março, estando as semifinais agendadas para 17 e 24 de fevereiro. Os detalhes da competição deverão ser revelados nas próximas semanas.

Letónia (AQUI)
Depois do último lugar na semifinal em Kiev e do primeiro afastamento da Grande Final dos últimos três anos, a emissora estatal da Letónia confirmou que irá estar representada no Festival Eurovisão 2018. Os representantes deverão ser selecionados pelo Supernova, mas nenhuma informação foi confirmada pela LTV.

Lituânia (AQUI)
A emissora lituana LRT foi uma das primeiras a confirmar a participação em Lisboa, manifestando interesse em realizar as diversas eliminatórias do Eurovizijos em diferentes cidades do país. Contudo, até ao momento, não foi revelado qualquer pormenor sobre a competição.

Malta (AQUI)
Apesar do afastamento precoce de Claudia Faniello em Kiev, a emissora de Malta manterá o formato do Malta Eurovision Song Contest para o Festival Eurovisão 2018. O concurso terá apenas uma gala, que será realizada em janeiro, sendo que o público terá 100% de responsabilidade dos resultados.

Noruega (AQUI)
O Melodi Grand Prix voltará a ser utilizado como final nacional da Noruega para o Festival Eurovisão em 2018. É possível submeter canções até 10 de setembro, e compositores de todo o mundo podem fazê-lo, apesar da NRK dar preferência aos noruegueses.

Polónia (AQUI)
A emissora polaca TVP incluiu a participação no Festival Eurovisão 2018 e a realização de uma final nacional no seu orçamento para 2018, existindo rumores que a competição poderá contar com diversas galas nos pólos regionais da emissora.

Portugal (AQUI)
Anfitrião do Festival Eurovisão 2018, Portugal voltará a escolher os seus representantes através do Festival da Canção. Composto por 2 semifinais e uma Grande Final, que será realizada em Guimarães a 4 de março, o formato sofreu alguns ajustes, entre eles, o número de participantes (20) e o método de escolha dos compositores a concurso.

República Checa (AQUI)
Apesar do afastamento na semifinal em Kiev e dos baixos valores audiométricos, o chefe de delegação CT garante haver planos para a participação no Festival Eurovisão de forma contínua.

Roménia (AQUI)
O Conselho de Administração da TVR, emissora estatal da Roménia, confirmou que o país participará no Festival Eurovisão 2018, apesar do orçamento para o próximo ano ainda não ter sido finalizado. A Selectia Nationala deverá decorrer em Cluj e será realizada entre 19 de janeiro e 11 de fevereiro (AQUI).
Rússia (AQUI)
Depois da polémica em torno da escolha de Yulia Samoylova e da retirada do país da competição, a Rússia garantiu a participação no Festival Eurovisão de 2018. Contudo, Yulia foi apontada como a representante do país, mas até ao momento nenhuma informação foi dada neste sentido (AQUI).
Sérvia (AQUI)
A emissora estatal da Sérvia revelou que voltará a realizar o Eurosong como final nacional para o Festival Eurovisão 2018: um dos requisitos do certame é cantar numa das línguas nacionais para "melhorar a criatividade musical". A competição contará com 10 participantes, estando a escolha totalmente a cargo de um júri.

Suécia (AQUI)
Depois de uma série de quatro colocações consecutivas no top5 da competição, algo inédito na sua história, a Suécia continuará a escolher os seus representantes através do Melodifestivalen. Os 28 participantes serão anunciados em outubro/novembro, estando apenas confirmada a participação de Stiko Per Larsson (AQUI).

Suíça (AQUI)
A emissora helvética SRF revelou o processo de seleção da Suíça para o Festival Eurovisão 2018, terminando com as quotas regionais e iniciando um processo que seleção diferenciado entre cantores e temas. O público e o júri internacional selecionam os representantes a 4 de fevereiro.

Ucrânia (AQUI)
Anfitriã da última edição, a emissora ucraniana confirmou a participação no Festival Eurovisão 2018, havendo planos de realização de uma final nacional.



Países indecisos (4):

Albânia (AQUI)
A emissora estatal da Albânia ainda não decidiu a participação do país no Festival Eurovisão 2018, sendo que a mesma deverá ser discutida nas próximas semanas. Em caso de participação, os representantes serão escolhidos pelo Festivali i Kenges.

Bulgária (AQUI)
A emissora estatal BNT revelou, anteriormente, que a participação no Festival Eurovisão 2018 só seria discutida após 23 de agosto, data da escolha do novo diretor-geral da emissora (AQUI).

Croácia (AQUI)
A emissora estatal da Croácia anunciou que a decisão sobre a participação no Festival Eurovisão 2018 ainda não foi tomada. A decisão final deverá ser tomada nos próximos dias.

Eslováquia (AQUI)
A emissora eslovaca RTVS revelou que a decisão sobre o Festival Eurovisão 2018 ainda não foi tomada. Em caso de participação, esta será a primeira presença da Eslováquia no concurso desde 2012.


Países que ainda não confirmaram (6):

Eslovénia (AQUI)
O EMA2018, final nacional da Eslovénia para o Eurovision Song Contest, deverá ter regras que obriguem os participantes a cantar em esloveno ou numa das línguas minoritárias reconhecidas no país. Contudo, até ao momento, a RTVSLO não confirmou a mudança nem a participação em Lisboa.

Grécia
Apesar do presidente da ERT ter garantido que o Festival Eurovisão era um requisito, a emissora grega ainda não confirmou publicamente a sua participação em Lisboa.

Israel (AQUI)
A imprensa nacional israelita avançou que a nova emissora estatal IPBC assinou um acordo com a EBU/UER para continuar a participar nos eventos eurovisivos e ter acesso aos direitos de transmissão da organização. De realçar que a IPBC ainda não é membro-ativo da EBU/UER, sendo que a sua inclusão só será decidida em dezembro.

Itália (AQUI)
Andrea Fabiano, chefe da RAI1, revelou os seus planos e as suas ambições para as próximas edições do concurso, manifestando o desejo de aproximar o Festival de Sanremo ao Festival Eurovisão. Contudo, apesar de ser expectável a participação e o recurso ao Sanremo, a RAI ainda não confirmou a participação em Lisboa.

Montenegro (AQUI)
A emissora montenegrina RTCG revelou que irá discutir as opções de participação na próxima edição do Festival Eurovisão, após uma queda significativa no patrocínio comercial da participação no concurso em Kiev.
Reino Unido
A BBC ainda não teceu qualquer comentário sobre a participação no Festival Eurovisão em 2018, mas a imprensa sueca avançou que Mans Zelmerlöw, vencedor do certame em 2015, estaria envolvido num novo modelo da final nacional britânica, algo que a emissora nunca confirmou.


Sem qualquer informação (5):
ARJ Macedónia
Hungria
Marrocos
Moldávia
Mónaco


Possíveis estreias (1):


Países que poderão ficar de fora (2):

Bósnia-Herzegovina (AQUI)
A emissora estatal da Bósnia-Herzegovina garantiu um financiamento sustentável com a implementação de um novo sistema de cobrança da taxa audiovisual. Contudo, o país deverá ficar de fora do Festival Eurovisão 2018 visto que as dívidas superam os 20 milhões de euros.

São Marino (AQUI)
Após mais uma eliminação nas semifinais do Eurovision Song Contest, São Marino poderá desistir de participar no concurso europeu, avançou Carlo Romeo, diretor-geral da SMRTV: "não há lugar para micro-estados na Eurovisão". De realçar que o país é o único que está impossibilitado de apresentar voto de televoto, sendo a votação composta por um grupo de países desconhecidos (AQUI).


Países oficialmente de fora (3):

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPortugal/ Imagem: Google

13 comentário(s):

  1. Anónimo18:51

    Até agora foi avançado o quê em relação a Cazaquistão como possível estreia?
    Ps: acho que Kosovo poderia constar aí, penso que já houve interesse por parte do país

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A emissora do Cazaquistão (Khabar Agency) é um membro associado da EBU/UER, tendo todas as condições para entrar no certame, tendo já demonstrado interesse em competir. Por outro lado, o Kosovo não pode competir no Festival Eurovisão, como está descrito no seguinte link: http://www.escportugal.pt/2017/05/esc2018-kosovo-mantem-esperanca-de.html

      Eliminar
    2. Anónimo20:29

      ESC Portugal - 1
      Anónimo - 0

      Eliminar
    3. Anónimo21:00

      1-0 porquê, querido anónimo? Ao contrário do que eventualmente possa parecer, não fiz esta pergunta com a intenção de querer transparecer que sei mais que o ESC Portugal. Não estou 100% em cima de que países já confirmaram ou algo do género, e já que ouvi uns zunzuns no twitter sobre Kosovo, resolvi perguntar. Tenha uma excelente noite.

      Eliminar
    4. Anónimo03:21

      @21:00... :-)

      Eliminar
    5. o comentário do anónimo das 20h30 é patético...parece aqueles pessoas àvidas de confusão.

      Eliminar
  2. Anónimo19:30

    a moldavia e a hungria provavelmente vão participar

    ResponderEliminar
  3. Eu acho que Marrocos devia participar...

    ResponderEliminar
  4. Criticam Austrália. Marrocos e africa já nao criticam

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22:30

      Critica quem tem opinião. Você também a têm e já não o criticam.

      Eliminar
    2. Anónimo22:40

      A EBU-UER tem como membros ativos estações de televisão e rádio da Área de Radiodifusão Europeia, que engloba países do Mediterrâneo e da Ásia Ocidental. Marrocos, Tunísia ou Egito são membros ativos; Quénia ou Nigéria, por exemplo, não são. A SBS australiana é um membro associado (e não ativo), tal como, por exemplo, a TV Cultura do Brasil ou a NBC dos Estados Unidos. Não se trata, pois, de criticar a Austrália e apoiar países doutro continente; trata-se de ver respeitados os estatutos. Por que não convidar um país diferente (que não seja membro ativo) cada ano, em vez de ser sempre a Austrália?

      Eliminar
  5. Ainda há possibilidade de se bater o recorde de países participantes em Lisboa 2018... - para comemorar 50 anos de participação portuguesa no ESC seria óptimo!
    Vamos aguardar novos desenvolvimentos, com expectativa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo00:27

      Quanto menos melhor...

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top