22 das 62 edições do Festival Eurovisão não foram realizadas nas capitais dos respetivos países, sendo que três cidades albergaram o concurso em duas ocasiões. Conheça todas as 19 cidades em questão num ESPECIAL preparado exclusivamente para si!

No dia em que poderá ser conhecida a sede do Festival Eurovisão 2018, edição que será realizada em Portugal, o ESCPortugal recorda as 22 edições do certame internacional que não foram realizadas na capital do país organizador. No total, foram 19 cidades que albergaram a competição, com destaque para Cannes (França), Haia (Holanda) e Malmö (Suécia), cidades que organizaram o Festival em dois anos distintos.

Sabia que a Alemanha é o único país com que organizou o concurso três (ou mais) vezes, mas nunca o sediou na sua capital? E sabia que Birmingham foi a segunda escolha para albergar o Festival Eurovisão de 1998? Saiba tudo isso e tudo mais no Especial preparado exclusivamente para si:


1956: A edição inaugural do Festival Eurovisão foi realizada em Lugano
Inspirado no festival italiano de Sanremo, a primeira edição do atual Eurovision Song Contest foi realizada no Teatro Kursaal, em Lugano, uma cidade no sul da Suíça, no cantão de língua italiana de Ticino. Projetado pelo arquiteto Achille Sfondrini, em 1804, o Teatro Kursaal foi a primeira sala de jogos com café a abrir na cidade e é atualmente conhecido como Casinò Lugano.


1957: Frankfurt sediou o concurso num estúdio da televisão estatal
Apesar dos resultados nunca terem sido revelados, na altura, especulou-se que a organização do Festival Eurovisão havia entregue a organização da edição de 1957 à Alemanha por este ter sido o segundo classificado no ano anterior (a Suíça, anfitriã, foi a vencedora): contudo, os rumores nunca foram confirmados. O concurso teve lugar em Frankfurt am Main, uma das maiores cidades da Alemanha Ocidental, sendo sediado no Großer Sendesaal des Hessischen Rundfunks, um antigo estúdio de televisão.


1958: Hilversum, a 'Capital dos Media', foi a anfitriã da terceira edição do concurso
Depois da vitória holandesa em 1957, o país acolheu a terceira edição do Festival Eurovisão, tendo sido realizado a uma quarta-feira, nos estúdios da emissora em Hilversum. A cidade, no norte da Holanda, é conhecida como a Capital dos Medias visto contemplar os centros de radiodifusão e rádio do país desde 1920, sendo que o sector dos media é um dos principais empregadores da região.


1959/1961: A sede do Festival de Cannes foi a primeira a receber duas edições do ESC
Localizado no atual local do hotel JW Marriott Cannes, o Palais des Festivals et des Congrés de Cannes foi construído em 1949 para sediar o Festival de Cinema da cidade, tendo sediado o Festival Eurovisão de 1959 e de 1961: foi a primeira vez que um recinto acolheu duas edições do concurso. Devido ao aumento do sucesso do Festival de Cinema, o município do sul de França decidiu construir um novo Palais des Festivals em 1979, tendo o mesmo sido ampliado em 1999.


1965: Nápoles foi a cidade escolhida para sediar o Festival Eurovisão de 1965
Poucos anos depois da sua abertura, a Sala di Concerto della RAI, o centro de produção da emissora italiana em Nápoles, a terceira maior cidade de Itália, foi a escolhida para albergar o Festival Eurovisão de 1965. A estrutura conta com três estúdios de televisão, com capacidade para cerca de 400 pessoas, sendo ainda utilizada para filmagens de programas e congressos. Os arquivos de música italiana estão localizados no centro de produção.


1972: Edimburgo recebeu a única edição do certame realizada na Escócia
Pela primeira e única vez na história do Festival Eurovisão, a Escócia recebeu o certame, sendo que as restantes edições sediadas no Reino Unido ocorreram em Inglaterra. O Usher Hall, em Edimburgo, construído em 1914 e com capacidade para cerca de 3 mil pessoas, foi o local escolhido para acolher a competição musical.


1974: Brighton foi o palco da vitória dos ABBA
Considerada por muitos como a vitória mais importante no Festival Eurovisão, a edição de 1974, ganha pelo grupo sueco ABBA, foi sediada no The Dome, na cidade britânica de Brighton e Hove. O local, mandado construir pelo rei George IV, é composto pelo Concert Hall, o Corn Exchange e o Studio Theatre, estando os três locais ligados ao Royal Pavilion através de um túnel subterrâneo.


1976/1980: Haia é a única cidade holandesa a ter sediado duas edições do Festival Eurovisão
O Nederlands Congresgebouw, atualmente conhecido como World Forum, é um centro de convenções e concertos em Haia, na terceira maior cidade da Holanda. O local recebeu o Festival Eurovisão de 1976 e 1980, sendo a única cidade holandesa a ter albergado duas edições do certame. Nas proximidades do complexo situa-se o Tribunal Internacional para a Ex-Jugoslávia, a Organização para a Proibição de Armas Químicas e a Europol.


1982: Harrogate foi uma das cidades mais pequenas a receber o Festival Eurovisão
Inaugurado em 1982, o auditório principal do Harrogate International Center abriu as portas com a organização do Festival Eurovisão, albergando cerca de 2000 pessoas. O local expandiu-se ao longo dos anos, sendo que atualmente alberga oito salas de exposições bem como instalações auxiliares, como um hotel. Atualmente, a cidade de Harrogate tem cerca de 79 mil habitantes, tendo sido nomeada como "o local mais feliz para viver" numa sondagem a nível nacional.


1983: Uma das sedes dos Jogos Olímpicos de 1972 albergou a edição de 1983
Fundada em 1971 para receber os eventos de Basquetebol dos Jogos Olímpicos de Verão de 1972, realizados em Munique, o Rudi-Sedlmayer-Halle foi o local escolhido para albergar o Festival Eurovisão de 1983. A arena, atualmente conhecida como Audi Dome, é a sede da equipa de basquetebol do Bayern de Munique desde 2011, depois de obras de melhoramento na primeira década do século XXI.


1985: O Scandinavium, em Gotemburgo, continua a receber eliminatórias do Melodifestivalen 
A segunda maior cidade da Suécia e a quinta maior dos Norden, Gotemburgo recebeu o Festival da Eurovisão de 1985, sendo a segunda cidade sueca a organizar o certame. Com capacidade para 14 mil pessoas em concerto, o Scandinavium foi a arena escolhida para a organização, tendo estado na corrida para albergar as mais recentes edições realizadas em território sueco. O local foi também a sede de diversas edições mundiais de desporto, destacando-se três edições do Campeonato Europeu de Atletismo Indoor e quatro Finais da Copa Davis da ITF.


1986: A edição realizada em Bergen contou com um dos maiores orçamentos da época
Sendo uma das primeiras edições do Festival Eurovisão a contar com a presença da família real reinante na plateia, a edição de 1986, a primeira realizada em solo norueguês, teve lugar no Grieghallen, em Bergen, tendo a NRK recusado as propostas de Oslo, Stavanger, Sandnes e Trondheim. O local, com capacidade para 1500 pessoas, foi transformado num "palácio de gelo viking" para o evento, tendo um dos maiores orçamentos da época.


1989: Lausanne foi a segunda cidade suíça a receber a competição
Considerada a quarta maior cidade da Suíça, Lausanne, no cantão francês, sediou o Eurovision Song Contest de 1989. O local escolhido foi o Palais de Beaulieu, um edifício histórico e emblemático do Centro de Convenções e Exposições da cidade, tendo sido inaugurado em 1921, contando com 1884 lugares.


1990: Zagreb foi a escolhida para receber a única edição organizada na ex-Jugoslávia
Apesar de ser atualmente a capital da Croácia, a cidade de Zagreb recebeu o Festival Eurovisão 1990 enquanto fazia parte da Jugoslávia, cuja capital era Belgrado. A sala de concertos Vatroslav Lisinski, em homenagem a um compositor croata, foi o local escolhido para sediar a competição, assinalando a primeira grande renovação efetuada no centro de convenções que foi inaugurado em 1973.


1992/2013: Malmö recebeu o Festival Eurovisão em duas arenas distintas
A terceira cidade mais povoada da Suécia, Malmö, é a única cidade não-capital que recebeu o Festival Eurovisão em duas arenas distintas. Em 1992, o certame foi sediado no Malmömässan, antigo complexo da cidade que foi encerrado em 2010 e reaberto noutra zona da cidade. Por outro lado, em 2013, a cidade surpreendeu ao vencer a corrida pela organização com a Malmö Arena, a quarta maior arena indoor do país, destronando a favorita Friends Arena. O apelo da EBU/UER à SVT para a organização de "uma Eurovisão mais pequena" devido aos elevados custos das edições anteriores poderá ter sido fulcral para a escolha.


1993: Millstreet sediou o concurso num centro equestre
Com apenas 1500 pessoas a residir na cidade na altura, Millstreet entrou para a história do Festival Eurovisão como a cidade mais pequena a organizar o certame. Contudo, a escolha do local ficou também para a história: o Green Glens Arena, centro equestre, foi a escolha da RTÉ para a organização. O apoio das autoridades locais e nacionais, além de várias empresas das redondezas, foi fulcral para a acomodação do evento no local que se traduziu num triunfo técnico para a emissora irlandesa.


1998: Birmingham foi a segunda escolha para o Festival Eurovisão de 1998
Numa altura em que se apaziguavam os conflitos entre nacionalistas e unionista sobre a questão da união da Irlanda do Norte com a República da Irlanda ou a sua continuação como parte do Reino Unido, o produtor executivo da BBC, Jonathan King, tencionava organizar o Festival Eurovisão de 1998 em Belfast, capital da Irlanda do Norte. Contudo, a questão da segurança levou a que a polémica edição fosse sediada na National Indoor Arena, a maior arena indoor da altura do Reino Unido. O local recebeu, na semana seguinte à Eurovisão, a reunião do G8, tendo Bill Clinton, presidente dos Estados Unidos da América, ocupado o quarto do hotel deixado vago por Terry Wogan, apresentador do concurso.


2004: Istambul tencionava organizar o certame no Aeroporto Internacional da cidade
A maior cidade da Turquia, Istambul, foi a escolhida da TRT para sediar o Festival Eurovisão de 2004, a primeira edição do concurso com semifinal. O Mydonose Showland, um complexo de tendas no aeroporto internacional da cidade, foi a primeira escolha da emissora, tendo sido alterado ao final de algumas semanas. A escolha final recaiu sobre o Abdi İpekçi Arena, pavilhão multiusos da cidade com capacidade para 12 270 pessoas.

2011: Düsseldorf foi a segunda cidade alemã a albergar a competição
Depois de 23 cidades terem manifestado interesse em sediar o Festival Eurovisão 2011, a emissora NDR selecionou quatro para a derradeira fase das candidaturas: Berlim, Hanover, Hamburgo e Dusseldörf. Com a Esprit Arena, estádio de futebol com telhado flexível, a cidade de Dusseldörf venceu a corrida, tendo recebido cerca de 38 mil pessoas no local em cada um dos espetáculos. A cidade ofereceu também 23 mil camas de hotel, às quais se juntaram as 2 mil camas adicionais nos arredores da cidade e os navios de cruzeiro atracados no rio Reno, a escassos metros do estádio.


2018: Braga, Gondomar, Lisboa ou Santa Maria da Feira?
Depois de semanas de longa especulação, a RTP poderá colocar um ponto final nas dúvidas, esta tarde, com a conferência de imprensa, onde é esperado que seja efetuado o anúncio da cidade anfitriã do Festival Eurovisão 2018. Lisboa segue na frente das preferências com o MEO Arena, sendo que o renovado Parque de Exposições de Braga, o Pavilhão Multiusos de Gondomar e o EuroParque, em Santa Maria da Feira, também receberam visitas técnicas da RTP. Recorde, de seguida, os artigos preparadas pelo ESCPortugal sobre as quatro cidades na corrida:

Braga [AQUI]
Gondomar [AQUI]
Lisboa [AQUI]
Santa Maria da Feira [AQUI]

Este e outros artigos também no nosso FacebookTwitter e Instagram. Visite já!
Fonte: ESCPortugal/ Imagem: Google

9 comentário(s):

  1. Anónimo11:11

    Só vos falta uma coisa! Dizeram o porquê de terem sido escolhidas... cof cof

    ResponderEliminar
  2. Anónimo12:36

    Vai ser em lisboa no meo arena, já está confirmado pelo "observador" e pela "nit".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo13:33

      Dois pesos do jornalismo, portanto....

      Eliminar
    2. Bobby22:35

      Sim, anónimo das 13:33, com um pouco de sorte ainda estão os dois enganados... :)) [IRONIA]

      Eliminar
  3. Rui Ramos12:42

    mais um excelente artigo

    ResponderEliminar
  4. Anónimo13:13

    Lisboa é a escolha obvia. Eurovisão não pode ser no norte

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14:37

      Nao pode ser no Norte porque...enfim... Acham se melhores em que? So nao ha uma arena disponivel e com as condiçoes necessarias neste momento porque senao qual era o problema? Numa proxima vez o festival vai ser no Porto no Pavilhao Rosa mOta que vai mudar de noma e qual vai ser o problema? O que vai fazer? Matar se? Gostava de saber o que tem contra o norte... Em que que lisboa e melhor que o Norte... Ja agora e se fosse no sul no Algarve?

      Eliminar
    2. Anónimo15:40

      Querido, fiquei abesbílico com seu comentário. Calma no espírito, caríssimo amigo.

      Eliminar
  5. Anónimo15:41

    Repondam-me pahhh!!! Vai haver transmissão da conferência ou não??????? Esc portugal

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top