Philip Kirkorov disse que a Rússia não deve voltar ao Eurovision Song Contest enquanto as regras de votação não forem alteradas.


Philip Kirkorov foi o representante russo em 1995 e tem estado envolvido em quase todas as participações do país nos últimos anos. O cantor tem sido um dos maiores críticos do novo sistema de votação, tendo recentemente renovado essas críticas. Para Kirkorov, a Rússia não deve voltar à Eurovisão enquanto não houver alterações no peso das votações. O sistema 50%/50% é considerado injusto por Kirkorov, por dar tanto peso ao voto de 5 jurados quanto ao voto de milhões de europeus. O cantor quer que o voto do público valha, pelo menos, 70% da votação final.

Em 2016, Sergey Lazarev ganhou o televoto mas foi apenas 5.º na votação dos jurados, o que o atirou para o 3.º lugar da classificação final. Jurados de países como a Lituânia tem também posto o país em último lugar consistentemente, prejudicando as hipóteses da Rússia na competição.

O voto do júri foi reintroduzido em 2009, quando a Eurovisão foi organizada precisamente na Rússia, depois de vários países terem protestado contra o tendencioso voto do público. Polónia, Reino Unido e Áustria foram alguns dos queixosos. Do outro lado da barricada, junto da Rússia, encontra-se a Turquia, que se retirou do concurso alegando ser contra o novo método de votação e a existência dos BIG5.

Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte e Imagem: eurovoix

11 comentário(s):

  1. Anónimo01:04

    Então não voltem por favor!

    ResponderEliminar
  2. Diogo Magalhães02:48

    Não posso deixar de concordar com o senhor... Temos o exemplo da Polónia em 2014 em que os Ingleses (público) lhe deram uma clara vitória no televoto e porque 4 ou 5 marmanjos que acham que são entendidos em música não gostaram, as polacas apenas tiveram 1 ponto se não me engano. Ou seja, a vontade de milhares ou quiçá de milhões de inglês, foi "desprezada"
    Portanto, partilho da opinião de que a votação do júri deveria valer no máximo 25%

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo23:59

      Sim, porque uma cantora a imitar a Fergie e com figurinas a exibir os seus peitos numa canção que nem era hip hop nem era pop ... é um exemplo de profunda excelência musical que apenas o público consegue compreender. Claro ... O mesmo que votaria por uma Ana Malhoa em circunstância semelhantes ... uau, que credibilidade musical.

      Eliminar
  3. Anónimo08:20

    Ou seja só voltam quando o sistema lhes for favorável e que permita que vençam todos os anos. Está bem.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo09:29

    Isto para a Rússia nem devia ser um problema tendo em conta as boas classificações com que ficam países mais pequenos são bem mais prejudicados do que a própria Rússia eles sozinhos quase engolem a europa

    ResponderEliminar
  5. Anónimo09:59

    Concordo tambem a certo ponto mas nao se pode agradar a gregos e troianos... Deixem se disso e voltem agora em 2018

    ResponderEliminar
  6. Anónimo12:32

    Claro que quem beneficia mais do voto público prefere que o voto do público valha mais........

    ResponderEliminar
  7. Anónimo13:33

    Então querem que o poder fique todo no público? Não pode ser, arriscamo-nos a que vença uma canção que foi votada maioritariamente por pessoas que pouco ou nada percebem de música por isso tem que haver alguém que perceba de música mesmo que em alguns casos assim não aconteça. Rússia fora, acham q mandam em tudo. O pior é que acho que a EBU vai ceder

    ResponderEliminar
  8. Anónimo16:10

    "Jurados de países como a Lituânia tem também posto o país em último lugar consistentemente, prejudicando as hipóteses da Rússia na competição." =)) Do tipo ou Ganha a Russia ou Ganha a Rússia!! :-d

    ResponderEliminar
  9. Por um momento pensei que se referisse ao facto da expulsão da Rússia e que estes só voltariam a participar se a EBU criasse regras para evitar que volte a acontecer.
    Não só para evitar que a Rússia seja expulsa, mas também para evitar que a Rússia possa expulsar qualquer participante lgbtq e/ou testemunha de Jeová.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo00:02

    A Rússia e a Turquia ... duas crianças à espera que o professor lhes dê a nota mais alta porque sim ... duas crianças à espera que a mãe lhe leve a papinha a boca porque sim .... claro ... vamos fazer com que as regras sejam do formato e da cor que estas duas crianças assim desejam ... Kirkorov, Kirkorov ... enquanto não ultrapassares o teu desgosto de 1995, nunca na vida terás paz nessa tua cabecinha de "diva".

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top