A canção vencedora do Festival Eurovisão de 1979, 'Hallelujah', foi eleita a melhor canção de sempre de Israel no certame. 'Hasheket shenish'ar' e 'Golden Boy' seguiram-se nas preferências.

O canal israelita Keshet emitiu, recentemente, o programa The Big Eurovision Chart onde recordou as candidaturas do país no Festival Eurovisão. Dez candidaturas disputaram a Final do concurso, tendo sido escolhidas previamente através do portal MAKO, sendo que as interpretações estiveram a cargo dos candidatos do HaKokhav HaBa 2017, certame que elegeu Imri como representante de Israel no Festival Eurovisão em Kiev.

'Hallelujah', canção vencedora do Festival Eurovisão 1979, venceu a votação, sendo seguida por 'Hasheket shenish'ar' e 'Golden Boy', canções representantes do país em 2005 e 2015, respetivamente. Gali Atari, Shlomit Aharon do grupo Hakol Over Habibi e Hovi Star marcaram presença no concurso, defendendo as próprias canções, enquanto que Imri interpretou 'Heroes'. As votações recolheram 67 500 shekeles (cerca de 17 mil euros), tendo o valor sido atribuído à associação Pitchon Lev que irá aplicá-lo em projetos de educação infantil e no combate à extrema pobreza.

Aceda, de seguida, aos resultados da gala:


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: eurovision-spain / Imagem: IBA / Vídeo: Youtube

4 comentário(s):

  1. Ricardo L17:52

    Completamente merecido! Grande canção, sem dúvida. Passados tantos anos quem a ouviu ainda não esqueceu o refrão (letra e música).
    Quem nos dera que as de "hoje" fossem assim, mas infelizmente são poucas as que perduram.

    Uma nota para a "Golden Boy" - não gosto de dançar (tb não sei) mas quando a ouço (sim, ando com um CD/mp3 no carro com as músicas que mais gosto da Eurovisão desde 2005), dá-me sempre uma vontade de me "mexer" que é irresistivel. É cada tiro cada melro, acontece sempre. Era uma das minhas preferidas à vitória quando concorreu.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo20:45

    Justa vitória! Por cá, a "melhor canção de sempre" é sempre a última participação. Não há capacidade de olhar para trás e dar o devido valor a grandes pérolas, com bom instrumental, letras fantásticas, canções arrojadas (ainda agora o são, quanto mais na época!)...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro Carvalho08:21

      100% de acordo

      Eliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top