Co-apresentador da segunda semifinal do Festival da Canção 2017, Jorge Gabriel falou com o ESCPORTUGAL sobre a sua paixão pelo Festival Eurovisão, recordando a sua participação em Helsínquia como comentador da RTP.

Depois da transmissão da segunda semifinal do Festival da Canção 2017, o ESCPortugal esteve à conversa com Jorge Gabriel, um dos apresentadores do programa. Fervoroso seguidor do Festival da Canção e do Festival Eurovisão, Jorge Gabriel realçou a importância da votação do público que "por muitas vezes contraria a votação do júri, tal como aconteceu", relembrando também a sua passagem pelo Festival Eurovisão em 2007 como comentador da RTP. 

Aceda, de seguida, à conversa:


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL /Imagem: RTP


10 comentário(s):

  1. Anónimo10:39

    Eu por um lado eu adorava ver Portugal ficar em último só para ver se a RTP aprendia a mudar a M**** q e este festival, não comecem a fazer concurso aberto não só a compositores portugueses mas a estrangeiros tbm, ou então só mesmo daqui a 100 anos e q vamos a final. :-b

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo11:19

      acredita se ficassemos em ultimo seria ainda pior, iria fazer com que a rtp desistisse de vez. A unica soluçao seria deixar de lhes dar audiencias...

      Eliminar
    2. Anónimo12:11

      Vocês falam em audiência? A RTP não quer saber disso, não são as audiências que dão dinheiro a RTP, não é como nas privadas que lutam diariamente pelas audiências.

      Eliminar
    3. Anónimo13:02

      Vamo lá dizer entao preto no branco o que da dinheiro à RTP. A malta quer saber

      Eliminar
    4. Anónimo17:11

      Bem, eu apenas retirava a palavra adorava, porque quase pela certa que vamos ficar pelo caminho mais uma vez. Com o resto concordo : deviamos encomendar uma canção para ganharmos aquilo uma vez na vida. Não significa que não haja alguma daquelas canções que seja simpatica, só que não vai chegar.

      Eliminar
    5. Anónimo21:15

      12:11 Eles querem saber e precisam das audiencias, basta olhar para o The Voice. $$

      Eliminar
  2. Anónimo14:55

    Gostei muito de ver o gosto do Jorge Gabriel pelo FC e pelo ESC.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo21:17

    Gostava que ele estivesse na final com a Silvia, detesto o trabalho da Catarina...

    ResponderEliminar
  4. Anónimo23:10

    Penso que o Jorge Gabriel tocou num ponto importante: a questão das editoras discográficas. Qual é o país que, por mero acaso, é o que possui mais discografias envolvidas no festival? Suécia! Quantas vezes, desde 2011, é que os suecos não estiveram no top 10? Apenas numa ocasião, em 2013... Isto realmente dá que pensar, pois de facto há muitos interesses por parte destas produtoras em que as suas músicas fiquem bem classificadas, logo investem grandes quantias de dinheiro em compra de votos, para vários pontos da Europa, para que os seus temas recebam o maior número de votos por parte do público! Fora isso, ainda há os interesses geopolíticos... Posto isto, enquanto isto continuar, podem ter a certeza que Portugal nunca estará sequer perto de um top 5...

    Quanto ao Festival da Canção, discordo com os comentários que vi acima, já para não falar de haver um indivíduo a desejar que Portugal fique em último...enfim, sem comentários! A RTP, quanto a mim, está a fazer um bom trabalho com o festival deste ano, que rompeu totalmente com o que tem vindo a ser feito nos últimos anos, com convites feitos com antecedência e também na produção e divulgação do evento! Se as audiências não são boas, é porque em Portugal se tem o triste vício de que o que passa ao domingo à tarde é que é boa música... Obviamente que, se me perguntarem, sou 100% a favor de um festival aberto aos interessados, com liberdade de idioma, mas restritos a intérpretes e compositores/autores de nacionalidade portuguesa. Seria também uma excelente ideia dar incentivos aos participantes e tentar envolver as editoras no festival! Não acho que o caminho seja virem produtores estrangeiros, nomeadamente suecos, para fazerem músicas para nós... Essa estratégia é errada e posso garantir que nunca iria resultar! Há muito boa música feita em Portugal, por portugueses, moderna ou mais tradicional, em inglês ou em português! Tomem como exemplo, a música do Pedro Gonçalves, pois que eu saiba, não foi o Thomas G:son que a compôs... Precisamos de enviar algo feito por nós e não pelos outros, uma vez que só assim nos podemos destacar dos demais países!

    ResponderEliminar
  5. Anónimo00:01

    Portugal o incompreendido? Argumentam sempre com os votos politicos... A verdade é que nunca vi portugal perto de uma proposta t0p' 10'Falam tanto da senhora do mar nao era la grandes coisas (merito da grande vania) E a melhor de sempre teve o lugar certo e ate poderia ganhar a Lucia ja contou a verdadeira historia.... A senhora do mar ainda passa nas radios?

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top