"pai, arquiteto e construtor da democracia portuguesa", Mário Soares faleceu, ontem, aos 92 anos de idade em Lisboa. Nas redes sociais e nos órgãos de comunicação, o país chora a morte do antigo Presidente da República.

Preso político, exilado, deputado constituinte, ministro dos Negócios Estrangeiros, primeiro-ministro, Presidente da República e deputado europeu: Mário Soares dedicou a vida à política e ao país e é, por muitos, considerado como o "pai da democracia portuguesa". Faleceu ontem, 7 de janeiro, em Lisboa, aos 92 anos de idade e o seu desaparecimento fez notícia em todo o mundo: The Guardian, El Pais, Euronews, La Vanguardia, Financial Times, Bloomberg, Deutsche Welle, Spiegel e Pravda são algumas das publicações que assinalam a morte do antigo Presidente da República Portuguesa.

Em Portugal, muitas foram as personalidades que se manifestaram publicamente, quer através dos órgãos de comunicação quer pelas redes sociais, recordando o papel fundamental e fulcral de Mário Soares na construção do "Portugal democrático, europeu e moderno". 

O ESCPORTUGAL recolheu o testemunho de diversas personalidades ligadas ao mundo eurovisivo, neste ESPECIAL, que poderá aceder de seguida:

Amiga pessoal de Mário Soares e apoiante política nas diversas campanhas eleitorais, a atriz Lourdes Norberto (FC1969) foi uma das últimas pessoas a visitá-lo no Hospital da Cruz Vermelha. Emocionada, afirmou que o político "era um homem de bondade, de convívio e sempre preocupado com os outros". "Estava sempre a perguntar se estava a trabalhar, o que estava a fazer e se estava parada. Ocasionalmente, incentivava-me e dizia: «Mas a Lourdes tem de trabalhar" recorda, garantindo que Mário Soares era "um homem genuinamente interessado pela cultura e o meio artístico e que fica para a história".


O poeta Manuel Alegre (FC/ESC1976), amigo, camarada e outro dos "pais do Partido Socialista", recordou Mário Soares, com quem disputou as Presidenciais de 2006, revelando estar a viver um momento muito difícil: "É um dia de luto. Partiu com o Mário Soares uma parte muito importante da minha vida, da resistência e do combate pela democracia. (...) É a perda do último grande estadista europeu. É o grande construtor da democracia portuguesa.". O antigo deputado recorda igualmente a relação "inabalável" que sempre mantiveram, mesmo na época em que foram adversários: "Fomos sempre amigos e cúmplices no essencial".



Responsável pelo hino oficial da campanha de Mário Soares às presidenciais de 1986, 'Rock da Liberdade', Rui Veloso (FC1986) garante que "Mário Soares foi, provavelmente, a maior figura da democracia portuguesa. Homem de cultura e visão (...) Recordo bem os idos do PREC em que foi o catalisador. Devemos-lhe a democracia depois de 25 de novembro". Além disso, o cantor relembrou que o ex-Presidente da República era "amigo de longa data" dos seus pais, ligados à oposição à ditadura de Salazar e Caetano: "Estive com ele muitas vezes e sempre teve a amabilidade de perguntar pelos meus pais. Conheci-o em 1969, por altura dos 80 anos do meu tio-avô Amadeu Gaudêncio, na Nazaré, sempre, como aliás os meus pais, ligado à oposição e grande amigo de João Soares [pai de Mário Soares], que também conheci fugazmente. (...) A minha mãe deve estar muito triste, assim como muitos portugueses que se lembram deste homem que fez da sua vida a luta pela liberdade".



Ana Bola (FC/ESC 1977 e 1981)

Cristina Roque (FC1992/93)

Daniel Oliveira (FC2006)

Herman José (FC1983)

Isabel Campelo (FC1993/1994)


Jan Van Dijck (FC/ESC1989/ FC2010/2014)

Luís Represas (FC1986)




Manuela Bravo (FC/ESC1979)


Manuel Luís Goucha (FC1999)


Miguel Majer (FC2008)

Tiago Torres da Silva (FC2015)




Nuno Markl (FC2008)

Paulo Brissos (FC1993)


Rita Ferro Rodrigues (FC1999)

Em 1987, enquanto Presidente da República, Mário Soares assistiu, na bancada presidencial do Teatro São Luíz, em Lisboa, ao Festival da OTI, a única edição do concurso sediada em território nacional. Recorde a prestação de Teresa Mayuko com Não me Tirem este mar, representantes de Portugal, de seguida:


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: ESCPORTUGAL/Expresso/Facebook / Imagem: Globo /Vídeo: YOUTUBE

4 comentário(s):

  1. Ricardo Alves13:34

    "Nao me tirem este mar", por Teresa Mayuco. Que saudades dessa canção e desta cantora. A música é excelente (Carlos Mendes/Jorge Letria e arranjos do maestro José Calvário)

    ResponderEliminar
  2. Anónimo15:14

    Estamos de luto

    ResponderEliminar
  3. Anónimo16:55

    Não conhecia esta canção. Adorei! Nos dias de hoje ainda seria um excelente representante no ESC.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo18:51

    Será que a ana bola hashtag ana Simoes, não se enganou na foto?

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top