Em entrevista ao site da RTP, Nuno Feist assume que está focado em ganhar o Festival da Canção, tendo escolhido para o efeito o vencedor da última edição do The Voice Portugal. “Estou focado em ir lá fora e fazer uma boa classificação", afirmou. 



Depois de várias tentativas para que o ESCPORTUGAL pudesse entrevistar o compositor Nuno Feist, a mesma não foi possivel. Citamos, por isso, a entrevista publicada ontem no site da RTP. Depois da estreia em 1985 como cantor, em conjunto com o irmão Henrique, Nuno Feist volta ao Festival em 2007 como compositor e tem sido aquele que mais vezes tem participado, sem contudo ter conseguido uma vitória. Acompanha-o, mais uma vez, Nuno Marques da Silva como letrista. Para a edição de 2017 do Festival, o maestro convidou como intérprete Fernando Daniel, o vencedor da recentemente terminada 4.ª edição do The Voice Portugal. Recorde a entrevista de Fernando Daniel ao ESCPORTUGAL AQUI


Nuno Feist não discute os métodos de seleção das canções que concorrem ao Festival. É da altura em que a RTP recebia as propostas em envelopes fechados e anónimos e considera que a vantagem desse método “é que dá a oportunidade a todos de concorrerem. A RTP optou este ano por convidar compositores que fazem disto a vida deles. Mas ambos os métodos são válidos para mim. Só porque é anónimo isso não significa que não possa apresentar coisas com qualidade”. Sobre a edição deste ano, é dos poucos compositores a assumir que concorre com os olhos postos na Eurovisão: "Estou focado em ir lá fora e fazer uma boa classificação", afirma à RTP. "Isto é um concurso. E se vamos para um concurso temos de partir do princípio que vamos para ganhar e não para marcar presença. E se vamos para um concurso para eleger uma canção que vai para outro concurso temos de ir com a fasquia lá em cima. Pode parecer presunçoso, mas… por que não ganhar a Eurovisão? Podemos sonhar". 
 
A escolha de Fernando Daniel como intérprete foi inequívoca. "Ter um intérprete popular obviamente que ajuda a que a canção se torne mais popular, mas também se a canção não for boa também não é a popularidade dele que a vai salvar. Não estou a contar com a popularidade do Fernando Daniel para apresentar uma coisa menor. Isso seria defraudar o Fernando (…) Eu não lhe vou retirar a identidade nem ele vai ser a Adele nem nada que se pareça. Até porque nós não somos um país que faz canções da Adele ou pops suecos, não nos corre nas veias, não vale a pena estarmos a imitar".

 A canção será escrita em português: "Tentei fazer um tema que mantivesse a nossa identidade porque há dois anos, quando fizemos o Outra Vez Primavera eu bem vi o que é que a Europa disse sobre a Yola e sobre o tema – “Isto é Portugal!”. Aliás, o “Senhora do Mar”, que eu acho um tema brutal (o Carlos Coelho e o Andrej Babic têm os meus parabéns) conseguiu capturar as sonoridades portuguesas e funcionou lá fora por ser Portugal", recorda. 




Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: RTP /Imagem: GOOGLE 

0 comentário(s):

Enviar um comentário

Temas em Destaque

 
Top