O Festival da Canção 2017 será constituído por três espectáculos, mas ainda não são conhecidos os locais que receberão a competição. O ESCPORTUGAL pôs mãos à obra e traz até si uma lista de eventuais recintos que poderão ser a escolha da RTP.

Depois da garantia dada pela chefe de delegação, Carla Bugalho, ao ESCPORTUGAL, de que os estúdios da RTP não receberão a final do Festival da Canção 2017, como pode recordar AQUI, a especulação em torno do local ou dos locais que irão albergar o concurso tem aumentado. 

"Ainda não podemos divulgar, mas será certamente do agrado geral" foi avançado pela estação de televisão, sendo que os eurofãs portugueses não demoraram a avançar com eventuais locais: o Campo Pequeno lidera as preferências dos comentários nas redes sociais, sendo que a Sala Tejo e o Coliseu dos Recreios também se destacam nos comentários. Muitas vozes também opinam de que já era tempo do festival decorrer noutra região do país, pelo menos as semifinais. Contudo, será que os teatros e as arenas de que se falam estão disponíveis para receber as galas do Festival da Canção? 

O ESCPORTUGAL pôs as mãos à obra e traz até si uma lista de possíveis locais, em Lisboa, que poderão receber o Festival da Canção 2017, de acordo com uma pesquisa que efuatámos nos sites dos respetivos locais e nos sites de venda de bilhetes de espectáculos.


Aula Magna (capacidade: 1653 lugares sentados)

Construída durante o Estado Novo, a Aula Magna é um anfiteatro contido no edifício da Reitoria da Universidade de Lisboa, em plena Cidade Universitária. O local recebeu, recentemente, a Maratona da Saúde da RTP e poderá ser uma das surpresas na escolha do local para o Festival da Canção 2017, nas três datas do evento.

Arena Box (capacidade: entre 500 e 4000 pessoas)

Arena Box é o mais recente espaço do complexo Meo Arena, surgindo de uma variação da Sala Atlântico. Dispõe de uma área de 2000 metros quadrados, tem a possibilidade de modularização (com ou sem bancada, plateia em pé ou sentada), tendo uma capacidade entre as 500 e as 4000 pessoas. Permite acolher eventos de pequena e média dimensão, podendo ser uma das surpresas na escolha dos locais do Festival da Canção 2017.

Campo Pequeno (capacidade: perto de 10 mil pessoas/ 6848 lugares sentados)

Sede do Festival da Canção de 2010, a sala de espetáculos do Campo Pequeno está fora das opções para organizar a Final do Festival da Canção 2017: o Mercado Gourmet (AQUI) terá lugar no recinto entre 3 e 5 de março, coincidindo com a data da final do certame da RTP. Contudo, o local está livre nas datas das semifinais, mas deverá estar fora das escolhas da emissora.

Casino Lisboa - Auditório dos Oceanos (capacidade: 634 lugares sentados)

Aberto em maio de 2006, aquando da abertura do Casino Lisboa, o Auditório dos Oceanos tem sido palco de congressos, seminários, apresentações e concertos. Mariza, Carlos do Carmo, Rodrigo Leão e Ana Carolina são alguns dos nomes que já atuaram na sala que tem uma capacidade para cerca de 600 pessoas. Até ao momento, o espaço não tem aparentemente nenhum evento marcado para os três dias, sendo outra das opções para sediar os eventos do Festival da Canção 2017, apesar da sua reduzida lotação.

Centro Cultural de Belém - Grande Auditório (capacidade: 1429 lugares sentados)

Palco da única competição eurovisiva realizada em Portugal, o Eurovision Young Musicians 1996, o Grande Auditório do Centro Cultural de Belém foi inaugurado em 1993. Com capacidade para cerca de 1500 pessoas, o local tem sido palco de alguns dos maiores concertos da capital portuguesa. O concerto da Orquestra Sinfónica Portuguesa está marcado para 19 de fevereiro (AQUI), impossibilitando a realização das semifinais no espaço, sendo que poderá ser o local escolhido para a Final da competição.

Centro de Congressos de Lisboa - Auditório I (capacidade: entre 700 e 1500 pessoas)

Local escolhido para receber o Festival da Canção de 1991 e 2006, o Auditório I do Centro de Congressos de Lisboa têm uma capacidade escalável para eventos que recebam entre 700 e 1500 participantes. A estética e versatilidade são factores que fazem com que seja palco habitual de grandes eventos nacionais e internacionais em diferentes áreas. Está aparentemente livre nas três datas do Festival da Canção 2017, podendo estar na corrida pela terceira organização do evento.

Centro de Congressos de Lisboa - Pavilhão do Rio (capacidade: cerca de 3000 pessoas)

Inaugurado em 26 de maio de 1957 com a designação de Pavilhão Keil do Amaral foi durante mais de 40 anos a Feira Internacional de Lisboa. Em setembro de 2007 foi renomeado Pavilhão do Rio. Um espaço para a realização de grandes eventos que é hoje um dos marcos históricos da cidade e do país, tendo uma área de 3800 metros quadrados caracterizado por ausência de colunas. Poderá ser uma das surpresas em caso de escolha para sediar o Festival da Canção, estando aparentemente livre nas três datas.

Cinema São Jorge - Sala Manoel de Oliveira (capacidade: 836 lugares sentados)

A maior sala do Cinema São Jorge tem sido palco de alguns dos eventos culturais mais importantes da cidade, recebendo as grandes antestreias da indústria do cinema português. O local estará livre nas semanas do Festival da Canção e poderá estrear-se na lista de recintos que albergaram as finais nacionais da RTP para o Festival Eurovisão.

Coliseu dos Recreios (capacidade: 4 mil pessoas / 2846 lugares sentados)


Palco do Festival da Canção de 1997 (no ano em que a RTP assinalou o 40.º aniversário), o Coliseu de Lisboa recebeu a gala comemorativa dos 50 anos da estação pública portuguesa. Contudo, o local está ocupado no dia da primeira semifinal, a 19 de fevereiro, com o concerto Wake Up de Mário Caetano (AQUI). No entanto, a sala será uma das favoritas para receber a Grande Final do Festival da Canção 2017.

Culturgest - Grande Auditório (capacidade: 616 pessoas sentadas)

Incorporada no Edifício Sede da Caixa Geral de Depósitos, a Culturgest foi inaugurada em 1993. O Grande Auditório é uma sala de cena contraposta à italiana e tem uma lotação de 612 lugares + 4 para pessoas em cadeira de rodas. Está vocacionado para espectáculos de teatro, dança, música, ópera, cinema, para congressos e todo tipo de reuniões. Poderá sediar o Festival da Canção, estando alegadamente livre nas três datas, apesar da sua reduzida dimensão de palco e de plateia.

Maria Matos Teatro Municipal (capacidade: 447 lugares)

Inaugurado em 1969 e remodelado em 2006, o Teatro Maria Matos, localizado perto da Avenida de Roma, foi o palco do Festival da Canção em 5 edições distintas: 1973-1975 e 1981-1982. Nos últimos anos consolidou-se como uma das principais salas de Lisboa, apostando numa programação própria regular em produções teatrais próprias e coproduções de vários festivais de cinema. Até ao momento, não tem qualquer espetáculo marcado para as semanas do Festival da Canção 2017.

Meo Arena (capacidade: 20 mil pessoas / 12500 lugares sentados)

Anteriormente denominado como Pavilhão Atlântico, a Sala Meo Arena é o maior recinto para concertos e espetáculos em Portugal. Inaugurado em 1998 no âmbito da EXPO 98, o recinto teve a maior audiência no concerto dos Scorpions, com um total de 20 114 pessoas presentes. É apontado como o local que organizará o Festival Eurovisão quando Portugal adquirir esse direito, sendo que a disponibilidade do local para as datas do Festival da Canção coloquem a sala como uma das possíveis sedes do Festival da Canção 2017.

Sala Tejo (capacidade: 2200 pessoas)

Palco do Festival da Canção de 1999, 2000 e 2007, a Sala Tejo é um dos espaços do Meo Arena, tendo 2200 metros quadrados. Separada da sala principal pelo mesmo túnel técnico, faz com que beneficie de acesso direto a qualquer equipamento, sendo utilizada frequentemente como backstage. Estará livre nas datas do Festival da Canção 2017, sendo um dos espaços favoritos a receber o evento.

São Luiz Teatro Municipal (capacidade: 730 lugares sentados)

Considerado como um dos principais palcos da cidade, o São Luiz foi o local mais escolhido pela RTP para organizar o Festival da Canção fora dos seus estúdios: 7 edições (1969, 1972, 1980, 1992-94, 1998). A sala principal do teatro, a Sala Luis Miguel Cintra, tem capacidade de 730 lugares disponíveis e não terá qualquer espetáculo marcado para fevereiro e março, sendo outra das opções para receber as Semifinais e/ou a Final do Festival da Canção 2017.

Teatro Camões (capacidade: 888 lugares sentados)

Gerido pela Companhia Nacional de Bailado, o Teatro Camões, uma das salas de espetáculo mais recentes da capital portuguesa, recebeu o Festival da Canção em 2008, 2009 e 2011. No entanto, a sala está ocupada no dia da segunda semifinal do concurso, a 26 de fevereiro, com o espetáculo iTMOi - In The Mind of Igor (AQUI), devendo ficar de fora das escolhas para a próxima edição do Festival da Canção.


Teatro Capitólio (capacidade: 1500 pessoas/400 lugares sentados)

Situado no Parque Mayer, o Teatro Capitólio foi inaugurado em julho de 1931, segundo um projeto de Luís Cristino da Silva. Foi utilizado como teatro, cinema e até discoteca, tendo encerrado nos anos 90. Em 2007, a Câmara Municipal de Lisboa anunciou um projeto de reabilitação, tendo sido reaberto no passado mês de novembro. Estará livre nas semanas do Festival da Canção e poderá ser uma das grandes surpresas da escolha.

Teatro Tivoli BBVA (capacidade: 1088 lugares)

Situado na Avenida da Liberdade, em Lisboa, o Teatro Tivoli BBVA foi palco do Festival da Canção de 1971 e dos Festivais da Canção Júnior em 2006 e 2007. Construído em 1924 e alvo de obras de remodelação no século XXI, o espaço alberga mais de 1000 pessoas e é considerado um Monumento de Interesse Público pelo IPPAR. No entanto, o espaço está ocupado na data da primeira semifinal do evento com a peça Sonho de uma Noite de Verão (AQUI), sendo um dos locais que poderá albergar a Final do Festival 2017.

No entanto, à semelhança de 1983, 1987, 1989, 1990 e 2001, a RTP poderá apostar numa sala fora da capital para sediar o Festival da Canção 2017. Porto, Funchal, Évora, Estoril e Santa Maria da Feira receberam as grandes decisões, mas, em 2001, o Festival da Canção teve as semifinais em diferentes cidades portuguesas: Setúbal, Leiria, Faro, Funchal e Ponta Delgada.

Aceda, de seguida, a alguns dos recintos fora de Lisboa que poderão receber o Festival da Canção 2017:

Arena d' Évora (capacidade: 3000 lugares)

Inaugurada em 1889 pelo rei D. Luís, a Arena d'Évora era considerada uma das melhores praças de touros do país com capacidade para cerca de 5000 pessoas. Em 2007, o local foi alvo de profundas obras, tendo sido convertida num pavilhão multiusos. Até ao momento, o recinto estará livre nas semanas do Festival da Canção, existindo a possibilidade do Festival da Canção regressar a Évora, depois de organizar a edição de 1989.

Casa da Música - Sala Suggia (capacidade: 1238 lugares sentados)

Projetada para o Porto Capital Europeia da Cultura em 2001, a Casa da Música é um dos principais recintos do Norte do País. No entanto, a Sala Suggia, considerada o coração da Casa da Música, não receberá o Festival da Canção 2017: o local receberá o Concerto da Banda Sinfónica Portuguesa e o Concerto de Carnaval nas datas das duas semifinais, enquanto que Beatrice Rana atuará no dia da Grande Final do certame.

Casino Estoril - Salão Preto e Prata (capacidade: 1000 lugares sentados)

O Salão Preto e Prata, o maior espaço do Casino Estoril, é conhecido pela sua "mística e beleza intemporal", sendo utilizado, recorrentemente, para inúmeras galas televisionadas. O local estará disponível nas três semanas do Festival da Canção 2017, podendo ser um dos locais escolhidos pela RTP, tendo em conta que a Grande Final do concurso coincidirá com a celebração dos 60 anos da estação pública.

Coliseu Comendador Rondão Almeida (capacidade: 7500 lugares)

A maior sala de espetáculos do Alentejo e do sul de Portugal, o Coliseu Comendador Rondão Almeida foi inaugurado em setembro de 2006, no local onde se situava a antiga Praça de Touros de Elvas. Contudo, o recinto receberá as atuações do Carnaval de Elvas no dia seguinte à segunda semifinal, o que poderá impossibilitar a realização do Festival da Canção na cidade alentejana.

Coliseu do Porto (capacidade: 5000 pessoas/3016 lugares sentados)

Inaugurado a 19 de dezembro de 1941, o Coliseu do Porto recebeu o Festival da Canção em 1983, sendo a primeira vez que o certame aconteceu fora de Lisboa. Contudo, o recinto não deverá ser um dos locais escolhidos para 2017: a sala principal receberá o concerto de Glenn Miller Orchestra na véspera da 1.ª semifinal (AQUI), sendo pouco provável que seja a escolha para a Grande Final.

Estúdios Valentim de Carvalho (capacidade: cerca de 800 pessoas)

Localizados em Paço de Arcos (Oeiras), os Estúdios Valentim de Carvalho detêm o maior complexo audiovisual do país, sendo constituídos por seis estúdios de televisão. Foram a sede das galas ao vivo do Idolos e do The Voice Portugal, bem como de inúmeras produções televisivas. Não há qualquer informação sobre a sua ocupação para as datas do Festival da Canção 2017, podendo ser uma das escolhas da RTP, nomeadamente para as semifinais, mantendo assim o local da sua transmissão de domingo. Dependendo do palco e dos equipamentos técnicos, o festival poderá albergar varias centenas de pessoas na audiência.

Multiusos de Guimarães (capacidade: 7603 lugares sentados)

Inaugurado em 2001, o Multiusos de Guimarães tem recebido alguns dos mais importantes concertos em território nacional nos últimos anos. No entanto, não deve ser uma das escolhas para o Festival da Canção 2017: o recinto receberá o concerto de Tony Carreira (AQUI) na véspera da segunda semifinal, impossibilitando a realização da gala do Festival no local.

Portimão Arena (capacidade: 6000 pessoas/3000 lugares sentados)

Situado no Parque de Feiras e Exposições de Portimão, o Portimão Arena é um pavilhão moderno, dominado pela Sala Algarve, a principal arena do pavilhão. O local tem recebido variados concertos de artistas nacionais e internacionais, sendo que estará desocupado nas três datas do Festival da Canção 2017, o que poderá marcar o regresso do concurso nacional em terras algarvias.


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: ESCPortugal / Imagem: Google

32 comentário(s):

  1. Anónimo22:50

    Excelente artigo. Obrigada!

    ResponderEliminar
  2. Anónimo23:04

    Excelente trabalho de pesquisa

    ResponderEliminar
  3. Anónimo23:10

    No Porto ainda tem o pavilhao rosa mota e o multiusos de gondomar...sao duas excelentes salas tambem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo23:26

      Concordo podiam fazer uma análise também a esses :)

      Eliminar
    2. Anónimo18:45

      O pavilhão Rosa Mota esta em muito mau 👎 estado.

      Eliminar
  4. Anónimo23:12

    MEO Arena please

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo23:18

      deixa isso para o Eurovision Song Contest 2018 :)

      Eliminar
  5. Ricardo Alves23:17

    Por isto e muito mais, gosto tanto do escportugal. há salas aqui que nem conhecia!! :-)

    ResponderEliminar
  6. Anónimo23:17

    Não fizeram referência ao Pavilhão Rosa Mota, Porto?

    ResponderEliminar
  7. Anónimo23:31

    E porque não o Theatro Circo em Braga? Sala lindíssima!

    ResponderEliminar
  8. Obrigado a todos pelas sugestões! Vamos analisar as salas que comentaram e iremos atualizar o artigo :)

    ResponderEliminar
  9. Anónimo23:56

    A malta quer é um local moderno... ja chega de velharias!

    ResponderEliminar
  10. Anónimo00:00

    Se a RTP é uma televisão nacional, este ano é ano de sair de Lisboa. Pelo menos as semifinais deviam ser noutra cidade

    ResponderEliminar
  11. Carmelinda Pessanha00:03

    Excelente artigo de pesquisa. Acho bem. Claro que será em Lisboa, só pode ser.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo20:12

      So pode ser porque? O resto nao e portugal?

      Eliminar
  12. Anónimo00:37

    O europarque de santa Maria da feira e a nave de espinho? Que tal?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo20:12

      Sou de espinho :)

      Eliminar
  13. Anónimo00:41

    Sabem se foi divulgado quem vai produzir o festival? A própria RTP ou um produtora tipo Shine ou FremantleMedia? Lembro-me de em maio passado ler que o o diretor de programas da RTP pretendia assistir in loco ao ESC2016 acompanhado por 2 produtoras mas nunca mais li nada sobre o assunto...
    Lembro-me tb do Helder Reis dizer que iriam preparar um regresso em grande de Portugal ao ESC, espero bem que sim....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo13:05

      Isso de assistir ao vivo foi uma brincadeira do dia das mentiras

      Eliminar
  14. Não se esqueçam do Multiusos de Fafe, que já recebeu o Preço Certo e tem uma capacidade a rondar as 2000 pessoas

    ResponderEliminar
  15. Anónimo12:40

    O Espaço Arena Portimão é muito bom , podiam divulgar este espaço do Alvar, seria certamente uma boa final do Festival em terra Algarvias e com boas unidades hoteleiras em redor.

    ResponderEliminar
  16. Anónimo16:27

    COnsiderando que a RTP quer audiencias e voltar a trazer a magia do festival acho que as semifinais nao deveriam ser em Lisboa... sempre Lisboa, sempre Lisboa.. Portugal nao e so Lisboa.. viato ser a capital sim acho que deveria acolher a final.. mas as semifinais deveriam ser no porto e num dos arquipelagos ( que tambem ficam muitas vezes esquecidos) ou noutra cidade no sul de Portugal. Assim so em Lisboa e muito mais dificil cativar o publico do resto do país. Visto que quase de certeza cai ser tudo em lisboa, agradou me a Arena Box e o Coliseu dos recreios...

    ResponderEliminar
  17. Anónimo16:28

    E muitos sao os que falam em muitas maneiras de expandir o FC.. como o ingles, arena maior,... mas esquecem se de abranjer o resto do país.. sem ser lisboa.. e abranger todo o pais.. e um ponto crucial.. veja se na Suécia por exemplo

    ResponderEliminar
  18. Anónimo18:24

    Eu cá acho que vai ser num dos estúdios da Valentim de Carvalho, como acontece no The Voice.

    ResponderEliminar
  19. Anónimo22:29

    Seria interessante... Fora de Lisboa ;) E eu sou de Lisboa.

    ResponderEliminar
  20. Anónimo08:57

    Casa da Música obviamente! Se a RTP que um "novo" FC, os portugueses querem também novas canções e ideias, temos de apostar numa nova imagem, um novo conceito. Tem de ser algo muito "à frente" no tempo! A RTP Porto tem meios, e muitos : )

    ResponderEliminar
  21. Anónimo09:01

    Multiusos de Guimarães: uma boa ideia também, para "salvar" e "refundar" o "velhinho" Festival... A RTP deveria submeter a escolha a uma votação online e sortear um prémio. Este artigo (link) deveria ser enviado à emissora!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo12:29

      Eles já escolheram o local, apenas ainda não foi divulgado publicamente.

      Eliminar
    2. Anónimo12:29

      Eles já escolheram o local, apenas ainda não foi divulgado publicamente.

      Eliminar
    3. Anónimo14:11

      Se dizes que já escolheram, então aposto fortemente em que é o Coliseu dos Recreios.

      Eliminar
    4. Anónimo14:23

      ou o Coliseu ou o Tivoli queria eu dizer*

      Eliminar
  22. Anónimo12:51

    Acertaram na Final e será em Lx num dos mais emblemáticos espaços no centro da Capital!!!

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top