Christer Björkman, chefe de delegação da Suécia e produtor executivo da última edição do Festival Eurovisão, garantiu que confia na gestão da EBU/UER sobre a realização do ESC2017.


Apesar do lançamento dos 28 semifinalistas do Melodifestivalen 2017 ter dominado as entrevistas na conferência de imprensa da passada quarta-feira, realizada pela SVT, o produtor do Melodifestivalen e responsável pela última edição do Festival Eurovisão, Christer Björkman, foi questionado sobre a próxima edição do evento. "Não estou dentro do assunto, mas estou completamente convencido que a EBU/UER tenha um plano B para a organização, caso a Ucrânia não a consiga assegurar" afirmou, reagindo aos rumores sobre a eventualidade do organismo máximo retirar a organização ao país vencedor em Estocolmo.

"Há certamente uma data limite imposta pela EBU sobre este assunto. De certo que tomarão a decisão correta na altura certa, caso seja necessário mover a competição" afirmou, recusando pensar que o Festival Eurovisão possa estar em risco: "Isto será resolvido a tempo. Mas também ainda não é 100% certo que seja em Kiev, por isso vamos aguardar para ver".

Apesar de nenhuma informação ter sido avançada pela EBU/UER, em caso da organização ser retirada à Ucrânia, o organismo máximo do concurso deverá abrir candidaturas para que todas as emissoras filiadas interessadas em receber a competição possam apresentar as suas propostas. Rússia, Alemanha e Suécia são os países mais comentados como os possíveis anfitriões do concurso em caso do mesmo não ser sediado em território ucraniano.

Recorde, de seguida, a vitória de Jamala no Festival Eurovisão 2016:


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: VK / Imagem: EBU / Vídeo: YOUTUBE

1 comentário(s):

  1. Anónimo18:31

    Plano B para quê? Há dúvidas que não seja a Ucrânia a realizar o ESC 2017, é? A EBU criou o 'Big 5' para suportar economicamente o Eurofestival, tendo como moeda de troca estes cinco paises participarem directamente na Final, sem necessidade de passar pelas semifinais (para o bem e para o mal), e agora, nesta altura do campeonato, disparatam a torto e a direito com discursos ininteligíveis? A EBU/Big 5 que ganhem vergonha e abram os cordões à bolsa e que se deixem de tretas, que se algo correr menos bem no ESC ou a Ucrânia deixar de ser país anfitrião, a culpa será unicamente destes incompetentes citados!

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top