Vencedora do Festival Eurovisão de 1981 integrada no grupo Bucks Fizz, Cherly Baker criticou algumas decisões da BBC e justifica alguns maus resultados: "Um grupo de países não gosta de nós porque estamos ligados com a América".


Com 62 anos de idade, Cherly Baker, antiga integrante do grupo Bucks Fizz, vencedor do Festival Eurovisão de 1981, está de regresso aos palcos com um novo espetáculo, intitulado 'Make Believe', como pode ver AQUI. Em entrevista a um tablóide britânico, a cantora mostrou-se muito critica com as últimas escolhas do Reino Unido para o Festival Eurovisão.

"Quando Engelbert nos representou na Eurovisão eu não estava a ver em direto... Mas quando vi pela primeira vez a atuação, pensei: «Oh que pena, ele está morto»" afirmou a cantora, fazendo alusão aos sucessivos falhanços do país no concurso, realçando as representações de 2012 e 2013. "Está mais que visto: a Europa não quer ver os velhos no Festival Eurovisão. Querem ver jovens cantores com atuações vibrantes".

Sobre a representação deste ano, Cherly não poupa nos elogios a Joe & Jake, antepenúltimos classificados em Estocolmo: "Eles foram fabulosos. Eram uns meninos lindos com uma óptima canção, mas o resultado foi uma farsa" afirmou, acrescentando que as relações políticas do Reino Unido têm pesado na classificação: "A Eurovisão cresceu imenso e a votação política continua. Nós somos uma ilha e portanto não temos vizinhos. E um grupo de países não gostam de nós porque estamos ligados com a América".

Recorde, de seguida, a vitória dos Bucks Fizz em 1981:


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: DailyStar / Imagem: GOOGLE / Vídeo: YOUTUBE

6 comentário(s):

  1. Anónimo18:05

    Malcriada, mal educada e presuncosa. "ele este morto"??? Sera que ela esta morta tambem e nos nao sabemoS?

    ResponderEliminar
  2. Anónimo18:17

    Essa de estarem ligados à América não percebi... mas também não deve ser para perceber !

    ResponderEliminar
  3. Acho que ela tem razao em alguns pontos.Mas ela esqueceu-se duma questao: Os Big5! Umas vezes mais,outras vezes menos,os Big5 sao sancionados no ESC por serem privilegiados.Sim,o UK,tal como a Irlanda esta muito ligado aos EUA,o que nao e factor positivo para certos paises na hora de votar.

    ResponderEliminar
  4. Rui Ramos19:54

    Sendo big 5, muitos fas nao votam no uk, nem em nenhum big 5, por não concordarem com essa regra. Este pais nao é simpático aos olhos de muitos europeus, e a partir de agora vom o brexit será pior na minha opinião. Por fim, sobre a idade dos artistas, nao Gostei do tom que usou. Se a canção for boa, a idade será o menos importante. Em 2015 Portugal deveria ter levado a Simone pois tinha a melhor canção.

    ResponderEliminar
  5. Dan Carv21:51

    Estou de acordo com ela num ponto: eu também não gosto de ver velhos reformados a exibirem-se misturados com os novos. Nestas coisas do espetaculo tudo tem um limite e há que haver equilíbrio para evitar que se caia no ridículo. Outra coisa de que eu não gosto de ver são os hipopótamos que volta e meia resolvem aparecer para tentarem a sua sorte de fazerem rebentar o palco da Eurovisão. Não é por nada, mas acho os hipopótamos uns animais muito feios. Outro ponto que ela abordou aqui e com o qual eu também concordo foi a bonita presença dos jovens britânicos no festival deste ano. Também acho que eles mereciam melhor classificação, tinham uma canção pelo menos melhor do que a que ganhou.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Independentemente de concordar ou discordar,bom mesmo ler um texto assim, com cor e sabor,atitude e humor. Tanto quanto gostei da vitoria da Ucrania,tambem eu acho que os jovens britanicos mereciam muito melhor classificaçao,pelo menos Top5.

      Eliminar

Temas em Destaque

 
Top