Logo após ganhar o Festival Eurovisão 2016, Jamala foi a protagonista de uma conferência de imprensa onde confessou que preferia não ter tido razões para escrever esta canção. "Dedico esta canção à minha bisavó. É muito difícil explicar como me estou a sentir. Eu teria preferido que todos aqueles terríveis acontecimentos não tivessem ocorrido para a minha bisavó e até preferia que esta canção não tivesse razão de existir".


Na conferência de imprensa que se seguiu à vitória no Festival Eurovisão 2016, Jamala não escondia o seu contentamento, agradecendo o empenho da sua equipa, inteiramente da Ucrânia. "Sempre acreditei que temos de acreditar no nosso trabalho", afirmou abraçando-se aos seus companheiros de jornada. "Quando estava a preparar a minha performance - recordou - ouvi as canções da banda sonora do filme 'A Lista de Schindler' e desejei que a minha canção tivesse a mesma força".

Quando questionada sobre o que estava a sentir naquele momento, Jamala afirmou emocionada: "Não tenho palavras para descrever os meus sentimentos em inglês. Foi fantástico! Foi uma loucura! Eu tinha a certeza que, se cantares com verdade, isso pode tocar nas pessoas. E eu estava certa"! E como foram os 3 minutos no palco, perguntaram. "Estou super agradecida à calorosa audiência da Globe Arena. Foi um espetáculo fantástico! Eu estava tão contente por viver aqueles três minutos... foi uma honra e uma grande responsabilidade. Obrigada a todos os que votaram em mim!" 




Ola Sand dá as boas-vindas à Ucrânia


No final, o supervisor executivo do Festival Eurovisão, Jon Ola Sand, ofereceu um pack de boas-vindas à chefe de delegação da Ucrânia, Victoria Romanova, com os primeiros preparativos para a organização do Festival de 2017. Dirigindo-se à cantora Jamala, este responsável afirmou: "Criaste um momento único para a Europa. Estamos orgulhosos de ti! Quero felicitar-te e à tua equipa. Estamos muito honrados por ir para a Ucrânia e sediar aí o Festival Eurovisão 2017. Iremos iniciar as conversações muito em breve. NTU sediou a Eurovisão em 2005 e fê-lo muito bem. Foi um fantástico evento e estou certo que irá sê-lo de novo". 


Quem é Jamala


Susana Jamaladinova, mais conhecida como Jamala, tem 32 anos de idade e nasceu no Quirguistão, ex-república da União Soviética. A família estava ali deportada. Nos anos 90, aquando da independência da Ucrânia, a família regressou à Crimeia. O pai é natural da Crimeia e a mãe da Arménia.

É cantora soprano, mas também letrista e compositora. Estuda música desde criança e aos 9 anos de idade já recebia prémios. Canta música lírica, mas também jazz, soul e música do mundo. O ponto alto da sua carreira, até a noite passada, foi a participação no festival New Wave em 2009, ganhando o prémio máximo do júri. O seu primeiro álbum data de 2011 e desde então já gravou 4 álbuns de originais e 1 ao vivo. Participou também em dois filmes como atriz.

A paixão por Braga e Portugal

Foi na conversa mantida com o ESCPORTUGAL em Amesterdão no passado mês de abril, que a agora vencedora do Festival Eurovisão 2016 revelou gostar muito de Portugal, e em concreto de Braga, onde tem a viver uma grande amiga de infância. Recorde esse vídeo AQUI.

Em 2015, aquando duma dessas visitas, e em deslocação ao Santuário do Bom Jesus do Monte, Jamala foi surpreendida com a presença de músicos de rua e, de forma inesperada e improvisada, começou a cantar com ambos. Sem ensaios. Apenas o poder da música e da voz. "Eu estava em êxtase, foi uma união musical de músicos de rua portugueses, que não me conhecem, eu não os conheço, mas sabemos a linguagem da música!", escreveu na descrição ao vídeo que se encontra no youtube desde o ano passado, como pode ver ou rever AQUI


Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte: EUROVISION, ESCPORTUGAL / Imagem: EUROVISION/Vídeo: YOUTUBE




21 comentário(s):

  1. Jamala Diva! além de ter uma voz poderosa, fazer uma apresentação arrebatadora ainda escreveu a música, é uma artista completa, prêmio mais que merecido, parabéns (h)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo11:43

      Para o ano de 2017 podíamos levar uma kizomba. Tem tudo haver com Portugal nos ultimos anos. Até podia ser a rtp a fazer uma escolha interna. Tipo Anselmo ralph ou então um pop do David carreira

      Eliminar
    2. Anónimo14:36

      Tem "tudo a ver", não "tem tudo haver". Fonética e ortografia nem sempre coincidem...

      Eliminar
    3. Sabes uma coisa, mais vale estares calado...

      Eliminar
    4. Anónimo15:38

      Que ninguém ouça o teu comentário, Anónimo das 11:43. Amén! :)
      (Há mais artistas bem melhores que eles em Portugal, não há a necessidade de referir sempre mais do mesmo).

      Eliminar
    5. Anónimo16:27

      Horrível , não me diga que não havia melhor !!!! a mulher só grita !!!!

      Eliminar
    6. 11:43 - Eu concordo contigo.Kizomba ou Afro-house seriam algo de inaudito no ESC. Anselmo Ralph sabe o que e actuar para grandes audiencias.David Carreira e um grande profissional,mas as cançoes dele nao sao grande coisa.O Mickael e melhor.Boa sugestao,a tua!

      Eliminar
  2. Anónimo09:37

    Eurovision 2005 - microfones de Portugal não funcionaram.
    Eurovision 2017 - Que medo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. xDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

      Eliminar
  3. Anónimo09:54

    e pro ano iremos para a Ucrania país que nao se pode dizer muito "gay-friendly"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. melhor que a russia sem duvida

      Eliminar
    2. Concretamente,na Ucrania nao se e sancionado/preso/julgado por dizer"homossexual" em presença de um menor,a tal lei que proibe a "divulgaçao,aliciamento,expansao"da homossexualidade na Russia entre menores.So isso faz toda a diferença. :) (c)

      Eliminar
    3. Anónimo14:38

      Patetice.

      Eliminar
    4. Ignorancia.

      Eliminar
  4. Quando a votação do júri terminou eu tive um pressentimento que era a Ucrânia que ia ganhar.Felizmente não me enganei.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando a votaçao do juri terminou eu estava hirto de terror a pensar que ,no fim de tudo,a Australia/Coreia do sul/Indico/Pacifico ia ganhar. Felizmente estava errado.

      Eliminar
    2. Anónimo14:42

      Não era por ser "Australia/Coreia do sul/Indico/Pacifico" mas porque a música não era grande coisa. De outro modo parece-me inaceitável que se exclua alguém por ser oriunda de onde quer que seja.

      Eliminar
    3. Nao aceito a Australia no ESC.Nao mencionei a exclusao fosse de quem fosse por razoes fossem quais fossem. A Australia nao e uma pessoa(alguem).Nao mencionei 1 vez sequer o nome da cantora,Dami Im.

      Eliminar
    4. Anónimo15:36

      É apenas uma questão de tempo até à Austrália ganhar!

      Eliminar
  5. Anónimo16:25

    É triste a eurovisão misturar politica com musica , a Rússia ate podia não merecer , mas a Ucrania nunca , a Austrália é que devia ter ganho isto reparem (a Austrália ficou em 2º), e foi a mais votada do júri , (a Rússia em 3º) e mais votada do publico, afinal com esta nova forma de votação a partir de agora o leste vai começar as suas vitorias !!!! não ganhou a melhor, nem de perto nem de longe, ganhou o 2º lugar que por sinal votada em 2º pelo publico e pelo júri !!!! Não é um pouco esquisito!!!!! eu acho.... mais um ano de desilusão. só com uma diferença , é que a Suécia o ano passado ganhou pelo júri !!!! e este ano , volto a frisar , nem pelo publico nem pelo júri , espero que revejam estas canções politicas , pois nós quando levamos os homens da luta , fomos arrasados , agora pergunto, qual a diferença ?????.....

    ResponderEliminar
  6. Anónimo16:38

    "NTU sediou a Eurovisão em 2005 e fê-lo muito bem. Foi um fantástico evento e estou certo que irá sê-lo de novo"??????

    A sério?! A organização da Ucrânia deve ter ficado para a História como a pior organização de sempre! Que horror! Esperemos que tenham aprendido alguma coisa!!!

    ResponderEliminar

Temas em Destaque

 
Top