[AO VIVO] Lara Li em Espinho numa homenagem aos grandes autores

Durante as mais de três décadas de carreira, Lara Li editou uma dezena de singles, cinco álbuns de originais e seis coletâneas. Em 2005 foi convidada pelo pianista e produtor Miguel Braga para interpretar o tema que dá o nome ao seu álbum, “Secreta Passagem”. Na noite de ontem, a cantora esteve em Espinho e o ESCPORTUGAL acompanhou este regresso aos palcos.


“Proponho que façamos uma viagem, andando com a máquina do tempo para a frente e para trás, cantando e tocando temas de várias épocas e homenageando diversos autores portugueses”. Estava, assim, criada a necessária cumplicidade com o público que encheu, na noite de ontem, a sala do Casino de Espinho para assistir ao concerto de Lara Li. Tratou-se de um regresso às luzes da ribalta de uma cantora que marcou gerações de portugueses com canções intemporais e que, por aquilo que se ouviu na noite de ontem, ainda sabem algumas letras de cor.

Lara Li entrou sozinha no palco despojado de grandes adornos cénicos e explicou de imediato ao público o que ia ouvir: “São temas que gosto de cantar”, revelou. E, a acompanhá-la, num ambiente intimista e informal, contou com três músicos - João Lima, no contrabaixo, João Castro Cunha, na bateria, e Miguel Braga, pianista, compositor e autor.


Estava dado o mote para a noite que seria de aplausos. Ao longo de hora e meio de concerto, a cantora interpretou, entre outros, ‘Queda do império’, tema de Vitorino com o qual inaugurou o serão. Seguiu-se o clássico ‘Dessas Juras Que Se Fazem’, de Carlos Tê e Rui Veloso, originalmente interpretado por Né Ladeiras no Festival da Canção 1986. Os clássicos do Festival da Canção não se ficaram por aqui: A versão de “Sol de Inverno” na voz de Lara Li, faria com certeza Simone de Oliveira encher-se de orgulho. E “Estrela da Tarde”, originalmente interpretado por Carlos do Carmo em 1976, numa roupagem nova. A destacar, no concerto, “Barco negro”, só com a voz inconfundível da cantora e sem qualquer apoio de instrumental. E “Sorri”, apenas acompanhada ao piano por Miguel Braga.


Do alinhamento, destacou-se também os temas ‘Nativa’, ‘Um homem na cidade’, ‘Sorriso’, ‘Balada da neve’, ‘Eu gosto tanto de ti’ e, já no encore, ‘Besame mucho’. Entre canções, Lara Li fez questão de referir os grandes nomes da música do nosso país, mas não esquecendo os novos valores. O público não perdoaria se Lara Li não cantasse o tema-âncora da sua carreira, ‘Telepatia’, com letra de Ana Zanatti e música de Nuno Rodrigues. “Penso que em 1981 os autores nunca imaginaram o sucesso que esta canção viria a ter ao longo de gerações”.

Impossível apresentar numa só noite todos os temas de uma carreira de três décadas. Ficaram por cantar os temas com os quais concorreu ao festival, “Teu ponto final” em 1979, “E pouco mais” em 1980, e ‘Rapidamente’ em 1986.




Esta e outras notícias também no nosso Facebook e Twitter. Visite já!
Fonte e imagem: ESCPORTUGAL

10 comentários:

  1. Anónimo14:09

    Que bom estar de volta. Uma das grandes vozes da minha infancia

    ResponderEliminar
  2. Nao sabia que"Teu ponto final" tinha concorrido ao FC 79. Como foi possivel uma cançao daquele calibre e com um som,para 1979,modernissimo,ter-se quedado pela semifinal???Apesar de a final do FC 79 ter sido muito boa...Lara Li, uma grande voz e interprete.Miguel Braga um grande compositor/autor.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo18:04

    Adorei saber q a lara li esta de volta

    ResponderEliminar
  4. Anónimo19:03

    Em lado nenhum consigo encontrar que a Lara Li foi ao FC 1979... expliquem por favor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gratos pelo envio das mensagens. :)
      A canção "Teu ponto final" concorreu ao FC1979.
      Para esse festival (seleção aberta a todos os interessados), a RTP recebeu 257 canções, tendo um júri selecionado 27, que foram depois distribuídas por três semifinais. A canção "Teu ponto final" ficou-se pelas não-selecionadas para as semifinais.
      Esperamos ter sido úteis para este leitor e para os muitos outros que nos enviaram mensagens a solicitar esclarecimentos.

      Eliminar
    2. Anónimo10:24

      Eu digo-te o que se passou , O teu ponto final foi o 1º disco da Lara e foi uma das muitas canções rejeitadas para o FC 1979 o quer deu muito que falar porque o disco foi um grande sucesso e era anunciada na rádio a musica que a RTP não quis no festival daí as pessoas pensarem que a Lara esteve numa das semifinais mas não ´verdade O teu ponto final não concorreu ao FC (foi uma injustiça) e era dito por todos os orgãos de comunicação, a Lara só esteve em 1980 (semifinal) e 1986. Nesse ano de 1979 houve duas canções que foram grandes EXITOS foi O teu ponto final (rejeitada pela RTP para o FC) e o Zé brasileiro portugues de Braga (que não passou à final) o que levantou uma grande polemica porque a cançõe que acabou por ganhar a final era do mesmo genero mas para pior.

      Eliminar
    3. Anónimo11:49

      Anonimo das 10.24: Obrigado, mas o escportugal ja tinha respondido. É uma cancao muito bonita e nunca imaginei q tivesse sido rejeitada. Adoro aprender estas curiosidades. :-)

      Eliminar
    4. Anonimo 10:24 - Gostos sao gostos,mas ,para mim,"Sobe,sobe balao sobe"por Manuela Bravo estava a anos-luz de distancia,para melhor, do tema,para mim,proto-pimba "Ze brasileiro".A começar pela abrangencia da letra e a acabar na sonoridade.Mas gostos,sao isso mesmo,cada um tem o seu.

      Eliminar
  5. Rita Martins21:48

    Nunca tive muita ligação à Lara Li mas a minha mãe fala-me imenso dela. (h)

    ResponderEliminar
  6. Anónimo23:29

    Lara Li e "De água na boca" the best

    ResponderEliminar